Rossi admite dificuldade com acerto da M1 e lamenta sétimo lugar: “Não encontramos uma boa solução”

Valentino Rossi não escondeu a frustração pela posição de largada no GP da Austrália. Sétimo no grid, o italiano reconheceu que não encontrou o melhor acerto para sua Yamaha

A cobertura completa do GP da Austrália no GRANDE PRÊMIO

Valentino Rossi conseguiu apenas o sétimo tempo no treino que definiu as posições de largada para o GP da Austrália, em Phillip Island. O líder do campeonato fechou o dia com a marca de 1min29s014, 0s650 mais lento em relação a Marc Márquez, o pole.

 
Rossi reconheceu que não encontrou o melhor acerto para a sua Yamaha, por isso acabou na terceira fila. Atrás, inclusive, de Jorge Lorenzo, o único que pode impedir o décimo título do italiano no Mundial. 
Valentino Rossi mais uma vez não foi bem nos treinos (Foto: Yamaha)
"Começar da terceira fila é sempre difícil, nós esperávamos um pouco mais. Hoje tentamos algumas coisas diferentes para melhorar a nossa velocidade, mas não encontramos uma boa solução", admitiu o líder da MotoGP. 
 
"Mantive uma coerência com os meus tempos de volta, mas eles não foram rápidos o suficiente, não chegamos prontos à qualificação. Consegui uma volta que não foi tão ruim, mas não foi o suficiente para iniciar mais na frente", acrescentou. 
 
Por fim, o #46 falou sobre o comportamento dos pneus. "A Bridgestone está preocupada com este circuito, especialmente considerando o passado, mas a aderência do novo asfalto é menor. Por esta razão acho que a vida útil do pneu não é um problema, é mais importante encontrar o equilíbrio certo da moto para reduzir o patinar das rodas", concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube