MotoGP

Rossi admite dificuldade em voltar a vencer, mas entre “opção de ficar em casa ou correr, escolhi a segunda”

Valentino Rossi mostrou estar com a motivação em alta. Mesmo reconhecendo as dificuldades de voltar a vencer e disputar contra pilotos mais jovens, o piloto deixou claro que entre ficar em casa e seguir nas pistas, é sempre melhor continuar a correr

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Valentino Rossi garantiu que ainda está com a ambição e a fome de vitórias em alta. O italiano reconheceu que subir ao degrau mais alto do pódio não tem sido tarefa fácil, mas que isso não vai segurá-lo de seguir nas pistas.
 
No último dia 31 de março, o titular da Yamaha completou nada menos que 23 anos no Mundial de Motovelocidade. Em uma trajetória para lá de frutífera, carrega no currículo quase 400 corridas e nove títulos.
 
Entretanto, o reencontro com a vitória tem demorado para acontecer. A última vez que cruzou a linha de chegada na primeira colocação foi no GP da Holanda de 2017 – ou seja, já são 29 provas sem ganhar. 
Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Rossi, no entanto, apesar de reconhecer a força do grid da MotoGP e a dificuldade de competir contra pilotos mais jovens, não quer se dar por vencido, mostrando ainda estar em forma para seguir nas disputas.
 
“Durante a primeira parte de minha trajetória, ganhei muitas corridas e campeonatos. Mas depois chega um momento em que as coisas ficam mais complicadas porque começa a correr contra pilotos mais jovens e mais rápidos”, disse.
 
“Neste momento, você tem duas opções: ou você fica em casa e começa a admirar e olhar os troféus que conseguiu ou continua correndo. Eu optei pela segunda opção”, completou.
 
E Valentino segue fazendo história no Mundial de Motovelocidade. No GP da Argentina, há duas semanas, após uma boa batalha com Andrea Dovizioso, terminou a prova em segundo, tornando-se o primeiro piloto em mais de quatro décadas a terminar no top-3 da classe rainha depois de fazer 40 anos.