MotoGP

Rossi cita evolução da Yamaha e mira resultado positivo em circuito onde “não somos muito rápidos”

Animado com a melhora mostrada pela Yamaha na fase asiática da temporada, Valentino Rossi falou em terminar o ano com um resultado positivo. O #46 lembrou, no entanto, que o time não costuma ser rápido em Valência
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Valentino Rossi chega a Valência recuperado do triste desfecho do GP da Malásia. Apostando na melhora mostrada pela Yamaha na fase asiática da temporada, o #46 vai para o circuito Ricardo Tormo esperando fechar 2018 de maneira positiva.
 
Em um não difícil para o time de Iwata, a YZR-M1 se mostrou mais forte na Tailândia. Depois, Maverick Viñales conseguiu encerrar o jejum de vitórias em Phillip Island. Em Sepang, Rossi liderou a maior parte da corrida, mas, com quatro voltas para o fim, caiu e entregou a vitória para Marc Márquez.
Valentino Rossi destacou a evolução da Yamaha nas últimas corridas (Foto: Divulgação/MotoGP)
Na última etapa da temporada, Rossi foca em fechar o ano em alta, mas sabe que Valência não é um dos melhores traçados para o protótipo dos três diapasões. O #46, porém, já fez uma série de visitas ao pódio valenciano: venceu em 2003 e 2004, foi segundo em 2002, 2009 e 2014, e terceiro em 2005, 2008 e 2010.
 
“Chegamos a Valência”, começou. “Para nós, será um fim de semana interessante, porque é um circuito no qual normalmente não somos muito rápidos, mas nas últimas corridas nós vimos alguma melhora”, lembrou.
 
“Na Malásia, nós fomos rápidos durante todo o fim de semana e também na corrida. Infelizmente, a corrida não terminou bem, mas os aspectos positivos permanecem”, ponderou. “Em Valência, vamos tentar nosso melhor. Nós gostaríamos de terminar a temporada com um resultado positivo. Aí teremos os testes em Valência e aqueles de Jerez. Serão semanas muito intensas”, concluiu.