MotoGP

Rossi dá aula, caça por 22 voltas, coloca Márquez no chão e vence com classe em Termas de Río Hondo

Valentino Rossi caçou Marc Márquez por 22 voltas e garantiu a vitória na Argentina após um toque que resultou em uma queda do espanhol. Cal Crutchlow bateu Andrea Iannone na reta de chegada e ficou com o último posto do pódio

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
A cobertura completa do GP da Argentina no GRANDE PRÊMIO

Valentino Rossi conseguiu outra vez. Impecável na escolha de pneus, o italiano deu um show em Termas de Río Hondo, caçando Marc Márquez por 22 das 25 voltas deste domingo (19). Com três giros para o fim, o italiano chegou e depois de duas inversões de posição, o espanhol acabou tocando o multicampeão e abandonou a disputa após uma queda.

A briga em Termas de Río Hondo começou ainda com a escolha de pneus. Sempre interessado na borracha mais dura, Rossi deixou claro desde o início que o melhor para a Yamaha era o pneu extraduro. Márquez chegou a considerar a borracha amarela, mas optou pelo composto duro, um indício de que a corrida poderia ser definida nas voltas finais.
VIU ESSA? ROSSI PÕE MÁRQUEZ NO CHÃO E VENCE NA ARGENTINA

Depois de um início discreto, com direito a um toque leve com Andrea Iannone na primeira curva, Rossi passou a escalar o pelotão e teve de descontar mais de 4s de vantagem para chegar em Márquez.

Com um ritmo mais forte, Rossi foi tirando a vantagem do piloto da Honda volta a volta e a briga esquentou definitivamente com três giros para o fim. Em um espaço de poucos metros, Marc foi do céu ao inferno.

Sempre disposto a uma boa briga, o espanhol entrou na disputa com Rossi, defendendo e atacando quando necessário, mas tudo acabou na curva cinco, quando o #93 tocou o piloto da Yamaha em uma troca de direção e caiu.

A direção de prova chegou a investigar a colisão, mas entendeu que se tratava de um simples toque e não tomou nenhuma atitude em relação aos dois pilotos.

5s685 atrás de Rossi, Andrea Dovizioso colocou a Ducati no pódio pela terceira vez em 2015 no segundo posto do pódio. A GP15 segue mostrando que veio para ficar.

Para fazer valer ainda mais o ingresso de cada um dos pagantes, Cal Crutchlow bateu Andrea Iannone na linha de chegada e garantiu o terceiro posto, seu primeiro pódio pela LCR.

Jorge Lorenzo, por sua vez, não verá muitos motivos para comemorar. O espanhol voltou a ter uma atuação apagadinha e ficou com o quinto posto, correndo isolado na maior parte da corrida. Bradley Smith aparece na sexta colocação, à frente de Aleix e Pol Espargaró. Scott Redding fechou a disputa com a nona colocação, com Maverick Viñales completando o rol dos dez primeiros.

Para aumentar a festa dos argentinos, Rossi subiu ao pódio de Termas de Río Hondo devidamente vestido com a camisa de Diego Maradona. Depois, o piloto explicou que estava com a camisa preparada desde o ano passado.

Com o resultado, Rossi chegou aos 66 pontos e permanece na liderança do Mundial com seis pontos de vantagem para Andrea Dovizioso. Iannone aparece em terceiro, com Jorge Lorenzo e Marc Márquez completando o top-5.

A classificação da MotoGP após o GP da Argentina

Saiba como foi o GP da Argentina de MotoGP:

O clima na Argentina parecia decidido a não atrapalhar o espetáculo. Com as arquibancadas de Termas de Río Hondo lotadas, o tempo foi abrindo, o que permitiu o aumento da temperatura. Na hora da largada, os termômetros marcavam 24°C, com o asfalto chegando a 32°C. A velocidade dos ventos estava na casa dos 6 km/h.

Quando as luzes se apagaram, Aleix colocou por dentro e tomou a liderança, com Márquez tentando o ataque na curva 2. Na reta oposta, a cavalaria da Honda não teve o menor problema para deixar Espargaró para trás, com Lorenzo também pulando para segundo.

Crutchlow vinha na quarta colocação, à frente de Dovizioso, Iannone, Petrucci, Rossi e Viñales. Valentino teve um toque leve com o #29 e não conseguiu melhorar sua posição inicial.

Enquanto Márquez se empenhava em escapar, Lorenzo seguia pressionado por Aleix, mas sem deixar o piloto da Suzuki passar. Pouco depois, Crutchlow passou Aleix, assim como Dovizioso. Iannone também passou o catalão para trás, deixando Espargaró para se defender de Rossi.

Na ponta, Márquez já tinha 1s6 de vantagem para Crutchlow, que passou Lorenzo no início da segunda volta. Pouco depois, foi Dovizioso quem se colocou à frente do #99 na curva 1.
 
No segundo giro, Rossi passou Aleix e subiu para sexto, 0s466 atrás de Lorenzo, o quinto. Aleix caiu para sétimo, à frente de Petrucci, Hernández, Smith e Redding.
Andrea Dovizioso conquistou seu terceiro segundo lugar em 2015 (Foto: Ducati)
Sozinho na ponta, Márquez ia virando melhor que a concorrência e abrindo mais e mais. Na abertura da terceira volta, a diferente entre o espanhol e Crutchlow era de mais de 2s e seguia aumentando.
 
Sem conseguir alcançar Márquez, Crutchlow era pressionado por Dovizioso, que era seguido de perto por Iannone. Mais atrás, Lorenzo estava sob ataque de Rossi, que vinha sem ninguém pressionando. 
 
Quem vinha escalando o pelotão era Smith. Na quinta volta, o britânico aparecia em oitavo, 1s8 atrás de Aleix.
 
Na curva 7, Rossi conseguiu passar Lorenzo, que não encontrou espaço para reagir de imediato. Iannone vinha à frente, com 0s837 de vantagem para o piloto de Tavullia.
 
No sexto giro, Hernández teve problemas com a Ducati, que pegou fogo na curva 1. O colombiano conseguiu escapar das chamas sem maiores problemas. 
 
Depois de alguma insistência, Dovizioso conseguiu passar Crutchlow e assumiu o segundo posto, já com 3s775 de atraso para Márquez. Quarto, Iannone tinha Rossi cada vez mais perto. Lorenzo, por outro lado, não conseguiu acompanhar o ritmo do companheiro de YZR-M1 e permitiu que o #46 abrisse 1s7 de vantagem. 
Jorge Lorenzo sai da Argentina sem muito para comemorar (Foto: Yamaha)
Virando mais rápido que os demais, Rossi chegou e passou Iannone e começou a pressionar Crutchlow. Dos pilotos do top-5, Valentino era o único com o pneu traseiro extraduro — as Ducati não tinham direito de usar a borracha amarela. 
 
No nono giro, Crutchlow errou na entrada da curva 7 e permitiu a passagem de Rossi. O #46 tinha agora 0s140 de atraso para Dovizioso, que, por sua vez, vinha 4s314 atrás de Márquez.
 
Mais atrás, Pol Espargaró também vinha escalando o pelotão. Depois de seu pior grid na carreira, o espanhol aparecia em nono, 2s533 atrás do irmão mais velho.
 
Na curva 7, Rossi atacou Dovizioso e assumiu a segunda colocação. Quase que imediatamente, Iannone deixou Crutchlow para trás e assumiu o quarto posto, 0s661 atrás de Dovi.
 
Uma vez em segundo, Rossi passou a tentar reduzir a vantagem de Márquez e, ao mesmo tempo, se livrar de Dovizioso, que vinha tentando acompanhar o ritmo.
 
Com tempos de volta melhores que Márquez, Rossi conseguiu reduzir discretamente a diferença, mas nada que fosse muito impressionante ou que fizesse o público levantar da cadeira. 
 
Sexto colocado, Lorenzo vinha praticamente isolado na disputa. O espanhol tinha 2s061 de atraso para Crutchlow, que vinha em quinto, e 5s645 de vantagem para Smith, que vinha logo atrás. Não era exatamente o início de Mundial que o piloto de Palma de Mallorca tanto queria.
 
Na 14ª das 25 voltas da corrida, Rossi já tinha levado a vantagem de Marc para 3s547 e exibia uma margem de 0s405 para Dovizioso. Iannone era o quarto, seguido por Crutchlow, Lorenzo, Smith, Aleix e Pol Espargaró e Redding.
 
Rodando constantemente na casa de 1min39s4, Rossi foi diminuindo mais e mais a vantagem de Márquez e se afastando de Dovizioso também.
 
Mais atrás, Crutchlow passou Iannone por dentro na curva 12 e subiu para a quarta colocação, 3s521 atrás de Dovizioso.
 
Na abertura da 17ª volta, Rossi já tinha derrubado a vantagem de Márquez para 2s629. Restavam oito giros para a bandeirada em Termas de Río Hondo.
 
No 18º giro, Rossi rodou em 1min39s399, sua melhor volta na disputa. Assim, a vantagem de Márquez caiu para 2s075. O tempo de volta de Marc era quase 1s mais lento. Mais atrás, Lorenzo ia se aproximando mais e mais de Iannone, entrando na briga pela quinta colocação. Smith vinha 7s6 atrás.
 
Com uma bela primeira parcial, Valentino seguia reduzindo a diferença vertiginosamente, chegando a 1s08 de Marc na 20ª volta. E, claro, estabelecendo um novo recorde para a pista: 1min39s019.
 
No giro seguinte, a vantagem do bicampeão da MotoGP era de apenas 0s625. O final de corrida prometia! O tempo de volta de Marc, no entanto, já não era tão  mais lento assim.
 
Com três giros para o fim, a diferença já era visual, com Rossi virando mais rápido que o rival.
 
Vale fez a primeira tentativa a curva 1, mas Marc fechou a porta. O italiano passou na curva 2, mas levou o troco. Pouco depois, o #46 passou de novo. Pouco depois, na saída da curva 5, os dois se tocaram e Márquez caiu, entregando a vitória para Valentino.
 
A direção de prova logo anunciou que o acidente seria investigando, mas não parecia ter acontecido nada de muito especial. Apenas Marc tocando o rival na mudança de direção.
 
Na reta de chegada, Cal Crutchlow bateu Andrea Iannone e conquistou seu primeiro pódio pela LCR.
 


MotoGP, GP da Argentina, Termas de Río Hondo, corrida:

1 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 41:35.644  
2 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI +5.685  
3 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA +8.298  
4 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI +8.352  
5 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA +10.192  
6 38 BRADLEY SMITH ING TECH3 YAMAHA +19.876  
7 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI +24.333  
8 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA +27.670  
9 45 SCOTT REDDING ING MARC VDS HONDA +34.397  
10 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI +34.808  
11 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI +40.206  
12 43 JACK MILLER AUS LCR HONDA +42.654  
13 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI +42.729  
14 76 LORIS BAZ FRA FORWARD YAMAHA +42.853  
15 6 STEFAN BRADL ALE FORWARD YAMAHA +43.037  
16 69 NICKY HAYDEN EUA ASPAR HONDA +43.252  
17 50 EUGENE LAVERTY IRN ASPAR HONDA +43.400  
18 63 MIKE DI MEGLIO FRA AVINTIA DUCATI +43.808  
19 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI +44.878  
20 33 MARCO MELANDRI ITA APRILIA GRESINI +56.236  
21 17 KAREL ABRAHAM TCH AB HONDA +1:03.371  
22 15 ALEX DE ANGELIS RSM IODA ART +1:08.444  
23 7 HIROSHI AOYAMA JAP HRC TEST TEAM +1 volta NC
24 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA +2 voltas NC
25 68 YONNY HERNÁNDEZ COL PRAMAC DUCATI +19 voltas NC