Rossi enaltece trabalho na Ducati e afirma que decisão de deixar equipe não foi precipitada

Valentino Rossi enalteceu a melhora significativa apresentada pela Ducati na temporada, sobretudo depois do segundo lugar conquistado em Misano, no último domingo, em condições normais. O italiano também negou que a decisão de deixar a equipe italiana tenha sido tomada muito cedo

Todo o esforço que os dois pilotos da Ducati vem fazendo neste ano, a cada teste privado durante a temporada para tornar a problemática GP12 uma moto competitiva, parece que finalmente está dando resultado. Em condições normais e com pista seca, Valentino Rossi conseguiu seu segundo pódio em 2012 – o primeiro havia sido em Le Mans com chuva ― praticamente no quintal de sua casa, a pista de Misano. 

A vitória foi de Jorge Lorenzo, mas o italiano largou bem, se posicionou em segundo e, embora não tenha sido capaz de acompanhar o ritmo do espanhol conseguiu brigar de igual para igual com a Honda LCR de Stefan Bradl no início da corrida. 

Rossi exalta progresso da Ducati em 2012 (Foto: Ducati)

Rossi não escondeu o desempenho tem muito a ver com sua melhor adaptação ao novo chassi da moto vermelha e às novas peças testas e introduzidas no fim de semana do GP de San Marino, do último domingo. “Nós sofremos um pouco neste ano com o outro chassi, mas agora me sinto muito mais confortável com esse novo chassi. E também com o braço oscilante traseiro. Nós fizemos muitos testes ao longo do ano, mas é na corrida que a gente consegue mesmo observar e entender se tudo que testamos vai dar resultado ou não. E foi o que fizemos aqui”, explicou o italiano aos jornalistas em Misano.

“Por isso, é importante testar e vamos continuar a fazer isso até o fim da temporada. Talvez a coisa seja completamente diferente em Aragón, mas não vamos desistir de tornar essa moto mais competitiva, mais fácil de pilotar. E nós sabemos que cada corrida é uma história diferente, mas vamos continuar tentando”, completou. 

Porém, a primeira grande melhora da Ducati também gerou questionamentos sobre a decisão de Rossi em deixar a equipe italiana para o próximo ano. O heptacampeão assinou com a Yamaha por duas temporadas, na esperança de voltar mais rapidamente à luta por vitórias e títulos. A decisão significa que Valentino formará novamente dupla com Lorenzo a partir do próximo campeonato.

Perguntado sobre a atual situação da Ducati e se a decisão de sair não teria sido tomada cedo demais, o piloto negou. “Neste ano, acho que todos começaram a falar sobre a próxima temporada muito mais cedo. E as coisas são assim. Eu pensei bem em tudo e tomei minha decisão”, disse. 

“O meu objetivo neste momento, entretanto, é continuar trabalhando duro na Ducati, para desenvolver o máximo possível essa moto. E pretendo ainda conseguir melhores resultados até o fim da temporada, para provar que o trabalho que fizemos aqui foi um bom trabalho”, acrescentou, brincando em seguida. “A meta é deixar uma moto mais competitiva para o pessoal que vai entrar no ano que vem”.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube