MotoGP

Rossi fala em pódio necessário no GP da Argentina e brinca: “Pilotei como quando era jovem”

Valentino Rossi celebrou o fim do jejum de pódios e avaliou que a Yamaha precisava de um resultado como o do GP da Argentina. 23 anos após a estreia no Mundial de Motovelocidade, italiano considerou que piloto “como quando era jovem”

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo

Resultado de imagem para valentino rossi 46 Quase 400 GPs, nove títulos e recordes: os 23 anos de Rossi no Mundial
🏍️ Confira a classificação da MotoGP após o GP da Argentina

Valentino Rossi saiu do GP da Argentina revigorado. Apesar de não ter tido a menor chance contra um Marc Márquez impecável, o italiano celebrou o fim de um jejum de pódios que já durava dez corridas ― desde o segundo lugar no GP da Alemanha do ano passado ― e deu à Yamaha o primeiro top-3 de 2019.
 
No dia em que celebrou 23 anos da estreia no Mundial de Motovelocidade, Rossi exaltou o bom resultado e, aos 40, disse que pilotou como “quando era jovem”.
Valentino Rossi encerrou um longo jejum de pódios (Foto: Yamaha)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #12: Quem sobrevive a 'Drive to Survive'?



Resultado de imagem para icon itunes Ouça pelo iTunes 
Resultado de imagem para icon spotify Ouça pelo Spotify


“Estou muito feliz por mim, por meu time e pela Yamaha, porque fazia muito tempo que eu não chegava ao pódio”, disse Rossi. “Estou muito feliz. Nós precisávamos desse resultado. Nós trabalhamos muito bem desde sexta-feira, pilotei como quando era jovem. Curti muito”, declarou.
 
Em Termas de Río Hondo, Rossi garantiu o segundo lugar com uma manobra na curva sete na última volta depois de uma longa batalha com Andrea Dovizioso, dono da terceira colocação.
 
“A corrida foi boa, esperava ter um pouco mais de ritmo do que Dovi, mas não, então eu fiquei atrás, mas, no fim, eu tinha dois ou três pontos onde era mais rápido do que ele”, explicou. “Eu tentei na última volta e foi bom. Dovi não conseguiu fazer sua famosa cortada [movimento de ultrapassagem onde o italiano ‘dribla’ o rival]”, continuou.