Rossi fala em três propostas e admite que decisão para 2013 "é a mais difícil da carreira"

Ainda falando sobre o futuro na MotoGP, Valentino Rossi admitiu que está prestes a tomar a decisão mais difícil da carreira. O italiano revelou que está estudando três propostas

Depois de dizer que o "dinheiro não importa" ao comentar as negociações sobre seu futuro na MotoGP, Valentino Rossi admitiu que tem pela frente a "decisão mais difícil da carreira". O italiano, sete vezes campeão da categoria rainha, afirmou que só vai definir a equipe que defenderá em 2013 durante as férias de verão, mas revelou que possui, pelo menos, três propostas para a próxima temporada. 

Rossi ainda disse que está estudando os pontos fortes e fracos de cada oferta e reconheceu que o fator piloto também deve pesar em sua decisão, referindo-se especificamente ao espanhol Jorge Lorenzo, que considera atualmente "o melhor piloto do mundo". Lorenzo e Valentino dividiram os boxes da Yamaha por três temporadas e não tiveram uma convivência das mais amistosas, apesar do sucesso nas pistas.


"Esta talvez seja a decisão mais difícil da minha vida, porque tenho de pensar em onde e como quero finalizar a minha carreira. E essa decisão cabe a mim e não depende de mais ninguém", afirmou o piloto da Ducati, em entrevista ao jornal ‘La Gazzetta dello Sport’. "Tenho três propostas sobre a mesa e todas as três têm aspectos positivos e negativos. Uma delas há a incerteza sobre a velocidade com relação à obtenção de resultados positivos, enquanto que com as outras duas já existe a certeza de que teria bons resultados rapidamente", completou.
Rossi revelou que possui três propostas para 2013 na MotoGP (Foto:Ducati)

Pressionado a falar sobre os rumores sobre o possível retorno à Yamaha, equipe em que obteve sucesso sem precedente entre 2004 e 2010, Valentino admitiu que a atual performance de Lorenzo no Mundial torna a decisão pelo time japonês mais difícil, mais até do que na época em trocou a Honda pela equipe dos três garfos, em 2003.

"É claro que seria uma escolha difícil demais, talvez até mais complicada do que foi em 2003. Naquela época, era uma questão de organizar e trabalhar em uma moto que não era tão rápida, enquanto agora é uma questão de como superar o melhor piloto do mundo com o mesmo equipamento", reconheceu.

O italiano de 33 anos, entretanto, declarou que a Ducati continua sendo a opção mais forte, especialmente por conta do envolvimento da Audi, montadora alemã que recentemente adquiriu a equipe vermelha. "Estou conversando com a Ducati, mas ainda não temos todos os detalhes técnicos, infelizmente. Mas estou orgulhoso com o fato de que a Audi está preparando um grande projeto vencedor e querendo fazer isso comigo", acrescentou.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube