Rossi lamenta ausência de pilotos do Brasil e defende prova no país: “Brasileiros merecem uma corrida”

Com boas lembranças das corridas em Jacarepaguá, Valentino Rossi lamentou que país não esteja mais no calendário da MotoGP. Ainda, piloto italiano disse que é uma pena que o Brasil não tenha tido nenhum outro piloto top desde a saída de Alex Barros do Mundial

 

Valentino Rossi esteve no Brasil na última semana a convite da Yamaha para ajudar a promover a segunda geração da Factor 125cc, linha de maior vendagem da marca nipônica no país. Participando de uma entrevista coletiva em um hotel de São Paulo, o multicampeão lamentou que o Brasil esteja fora do calendário da MotoGP.
 
O Brasil recebeu o Mundial de Motovelocidade durante muitos anos, com três circuitos tendo acomodado a categoria: Interlagos, Goiânia e Jacarepaguá. O traçado paulista não entende as exigências de segurança da FIM (Federação Internacional de Motociclismo) e, por isso, não tem a homologação necessária para voltar a receber a categoria. A pista de Goiás precisa de reformas, mas ainda não há uma confirmação de quando isso poderá ocorrer. O caso do circuito do Rio de Janeiro é diferente. O autódromo Nelson Piquet foi completamente destruído para dar lugar ao Parque Olímpico da Olimpíada de 2016. 
Simpático, Rossi posou para muitas fotos durante sua passagem por São Paulo (Foto: Felipe Tesser/ Warm Up)

 

As imagens da visita de Rossi ao Brasil
Yamaha lança M1 de 2013 na próxima sexta em Jerez

“Antes de tudo, é uma grande pena que não tenha nenhuma corrida da MotoGP aqui no Brasil, porque todos têm ótimas memórias de quando corríamos no Rio. Foram muitas corridas ótimas”, lembrou o italiano, que soma seis vitórias no traçado carioca – quatro na MotoGP, uma nas 250cc e uma nas 125cc. “A pista era muito divertida e também ficar no Rio nos domingos era muito divertido para todos. Espero que no futuro possamos voltar a correr aqui”, continuou. 

 
Além de comentar a ausência da prova nacional, Valentino também lamentou a falta de um piloto top na MotoGP desde a saída de Alexandre Barros em 2007. Rossi lembrou a presença de Eric Granado no Mundial desde o ano passado e disse torcer para que um piloto brasileiro consiga ter sucesso na categoria. 
 
“É uma pena que o Brasil, um lugar que tem uma grande paixão pelas motocicletas em geral, não tenha um piloto top”, afirmou. “Depois de Alex Barros, a situação está um pouco pior. Agora nós temos um piloto na Moto2 que é do Brasil”, lembrou. 
 
“O conselho que eu dou é tentar. Tentar andar de moto, especialmente começando quando você é muito jovem, porque quando você é jovem, sua mente é mais livre para entender a melhor maneira de ser rápido com a moto”, defendeu. “E eu espero ver algum bom piloto do Brasil no futuro.”
 
Por meio de um comunicado divulgado pela Yamaha, Rossi voltou a falar das boas recordações que tem do Brasil. Participando de um evento na fábrica na montadora, Valentino vestiu a camisa da seleção brasileira e chegou a ensaiar alguns passos de Samba ao lado de passistas. 
 
“É um grande prazer voltar ao Brasil depois de tantos anos. Ainda tenho boas memórias dos GPs que disputei aqui. Os brasileiros são realmente especiais e sua paixão e entusiasmo são contagiantes! Eles também conseguiram me fazer sambar em público!”, falou. “Eu gostaria de agradecer ao Presidente [Shigeo] Hayakawa e a Yamaha Motor Brasil pelo convite. Fiquei feliz em aproveitar a ocasião do teste em Austin para vir aqui para promover a Yamaha e a nova Factor 125cc, em que a YMDB está apostando muito para dar um novo empurrão aos seus negócios.” 
 
“Estou realmente ansioso para voltar aqui logo, tomara que para uma corrida da MotoGP! Os brasileiros merecem uma corrida aqui, já que a paixão deles pela MotoGP é inigualável!”, concluiu o multicampeão. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube