Rossi ressurge, mas Lorenzo usa última volta para bater companheiro de Yamaha por 0s08 e levar pole da MotoGP no Japão

Valentino Rossi apareceu mais forte no treino classificatório, mas viu Jorge Lorenzo usar seu último giro para virar 0s081 mais rápido e ficar com a pole em Motegi. Marc Márquez completa a primeira fila

A cobertura completa do GP do Japão no GRANDE PRÊMIO

A pole-position de Jorge Lorenzo já era esperada em Motegi, mas a previsão de um resultado tranquilo caiu por terra logo no início do Q2. Depois de um fim de semana um tanto irregular, Valentino Rossi surgiu mais forte na tarde deste sábado (10) e se colocou como um grande desafiante.

 
Em seu último giro, Rossi cravou 1min43s871, assumindo a ponta da sessão já com o cronômetro travado. Lorenzo, entretanto, vinha em seu último giro e encontrou 0s081 para superar o companheiro de Yamaha e conquistar sua quarta pole no ano.
Jorge Lorenzo conquistou sua quarta pole no ano (Foto: AP)
Completamente fora da briga das Yamaha, Marc Márquez virou 0s426 mais lento que Lorenzo, mas vai completar a primeira fila de Motegi. 0s106 atrás do piloto da Honda, Andrea Dovizioso abre a segunda linha do grid.
 
Andrea Iannone surge logo atrás, com Dani Pedrosa virando 1min44s582 para garantir a sexta colocação. Aleix Espargaró conseguiu um sétimo posto com a Suzuki, à frente de Cal Crutchlow, Bradley Smith e Maverick Viñales.
Apesar da bela disputa entre as Yamaha, o treino desta tarde ficou marcado por um forte acidente de Alex de Angelis. O piloto da Ioda caiu entre as curvas 9 e 10 de Motegi durante o quatro treino livre e precisou ser encaminhado a um hospital local. Ainda não há informações detalhadas sobre o estado do piloto de San Marino.
 
Lorenzo lidera treino marcado por forte acidente de De Angelis
 
Assim como aconteceu mais cedo, as nuvens ganharam uma presença maior no céu de Motegi, baixando as temperaturas. Quando os pilotos da MotoGP foram para a pista para a última sessão do fim de semana, os termômetros marcavam 21°C, com o asfalto chegando aos 27°C. A velocidade dos ventos estava em 10 km/h.
 
Para essa quarta sessão livre, a Ducati apareceu com uma novidade na moto de Andrea Iannone. Para melhorar a aerodinâmica, a fábrica de Borgo Panigale colocou um segundo par de asas na dianteira da GP15.
 
Na saída dos boxes, a maioria dos pilotos optou por um par de pneus macios, o composto mais mole disponível para os pilotos de Honda e Yamaha. Os que seguem o regulamento Aberto têm a opção de usar a borracha extramacia traseira.
 
Quando a primeira volta foi computada, Aleix Espargaró começou na ponta, à frente de Bradley Smith, Scott Redding e Marc Márquez.
 
Sem demora, Jorge Lorenzo cravou 1min45s629 e assumiu a ponta, com Márquez pulando para segundo, 0s205 atrás. Aleix vinha na sequência, com Redding e Smith fechando o top-5. Valentino Rossi aparecia em sexto.
 
Com 1min45s390, Iannone assumiu a liderança, 0s067 à frente de Dani Pedrosa. Márquez caiu para terceiro, com Smith e Lorenzo aparecendo logo atrás.
 
Fortíssimo ao longo do fim de semana, Lorenzo não tardou em reagir e retomar a ponta, abrindo 0s290 de margem para Iannone. Márquez seguia em terceiro. 
De Angelis recebeu atendimento médico ainda na pista de Motegi (Foto: Reprodução/Twitter)
Passados dez minutos de treino, a sessão foi interrompida em bandeira vermelha por conta de um acidente com Alex de Angelis na curva 9, a V. Inicialmente, as câmeras não mostram o acidente, mas a moto do piloto de San Marino estava destruída e ele seguia inerte no chão.
 
Não demorou, uma ambulância chegou ao ponto do acidente e os fiscais cobriram a área. Aos poucos, mais e mais pessoas chegaram ao local.
 
Ainda com De Angelis sendo atendido na lateral da pista, a equipe médica da MotoGP confirmou que o piloto da Ioda estava “consciente e respirando”, mas seria submetido a uma avaliação mais detalhada no centro médico de Motegi.
 
Depois de cerca de 15 minutos de atendimento na lateral da pista, De Angelis foi levado para a ambulância, mas completamente cercado por fiscais, que impediam qualquer imagem do piloto. De acordo com a TV italiana, o piloto seria transferido de helicóptero a um hospital local.
 
Pouco após a ambulância deixar a pista, a sessão foi reiniciada para os 20 minutos restantes do quarto treino livre. Os pilotos logo deixaram os boxes, mas ninguém escondia a preocupação com Alex.
 
De volta à pista, Rossi baixou sua marca para 1min45s417 e saltou para o terceiro posto, 0s417 atrás de Lorenzo. Márquez e Pedrosa vinham a sequência. Na passagem seguinte, Valentino conseguiu uma nova melhora e agora tinha 0s366 de atraso para o companheiro de Yamaha.
 
Perto da marca de dez minutos para o fim do treino, os pilotos começaram a voltar para os boxes. Lorenzo tinha a liderança da sessão, à frente de Iannone, Rossi, Márquez, Pedrosa, Smith, Dovizioso, Aleix e Pol Espargaró e Redding.
 
Alguns minutos após ser levado ao centro médico, De Angelis foi transferido de helicóptero para o Hospital Dokkyo, em Mibu. De acordo com a imprensa espanhola, o piloto movia as pernas e falava com os médicos.
 
Com 1min45s207, Smith saltou para a segunda colocação. Pouco depois, Márquez foi 0s009 mais rápido que o piloto da Tech3 e passou à frente.
 
Em seu 15ª giro na sessão, Rossi acertou uma volta em 1min45s175 e saltou para o segundo posto, 0s175 atrás de Lorenzo. Márquez, Smith e Iannone fechavam o top-5.
 
Com a bandeira quadriculada tremulando em Motegi, ninguém conseguiu superar o 1min45s000 de Lorenzo, que ficou com a liderança. Rossi garantiu o segundo posto, com Márquez, Smith, Iannone, Pedrosa, Dovizioso, Aleix, Viñales e Pol fechando o top-10.
Viñales e Redding avançam ao Q2
 
Como manda o regulamento, participam do Q1 todos os pilotos que ficaram de fora do top-10 do resultado combinado dos três primeiros treinos livres. Assim, foram para a pista nos primeiros 15 minutos da classificação: Stefan Bradl, Héctor Barberá, Danilo Petrucci, Álvaro Bautista, Katsuyuki Nakasuga, Toni Elías, Viñales, Jack Miller, Redding, Eugene Laverty, Mike di Meglio, Kousuke Akiyoshi, Yonny Hernández, Nicky Hayden, Takumi Takahashi e Loris Baz.
 
Com 1min45s562, Viñales foi o primeiro a aparecer no topo da tabela, 0s189 à frente de Nakasuga, que ao contrário de Maverick, não pode usar o pneu traseiro extramacio na sessão. Além do #21, apenas Redding e Takahashi também não tem acesso à borracha verde.
 
0s171 mais lento que o #25, Redding saltou para a segunda colocação, enquanto o piloto da Suzuki tratou de baixar seu registro para 1min45s449. Nakasuga era o terceiro.
Scott Redding precisou passar pelo Q1 neste sábado (Foto: Marc VDS)
Restando pouco menos de sete minutos para o fim, os pilotos voltaram aos boxes em busca de novos pneus. Viñales liderava a sessão, 0s284 à frente de Redding. Nakasuga era o terceiro, à frente de Bradl e Hernández.
 
De volta à pista, Takahashi saltou para terceiro, se colocando a 0s010 de uma vaga no Q2. Hayden também foi melhor e assumiu o sexto posto.
 
Em seguida, Nakasuga virou em 1min45s496 e se instalou em segundo, 0s017 atrás de Maverick. 
 
Imediatamente, Bradl baixou para 1min45s432 e assumiu a ponta, mas viu Redding virar 0s173 melhor e assumir o comando. Viñales não deixou por menos e tirou Scott da ponta por uma diferença de 0s229.
 
Com o cronômetro travado, ninguém superou Viñales e Redding, que avançam à fase seguinte da classificação. Bradl vai largar em 13º, à frente de Hernández, Nakasuga, Bautista, Petrucci, Barberá, Takahashi, Laverty, Hayden, Miller, Baz, Di Meglio, Elías e Akioshi.

Lorenzo bate Rossi por 0s081 e fica com a pole em Motegi
 
Líderes do Q1, Viñales e Redding se juntaram a Lorenzo, Iannone, Dovizioso, Márquez, Rossi, Pedrosa, Pol e Aleix Espargaró, Crutchlow e Smith para definir o pole-position do GP do Japão de MotoGP.
 
Assim que o pit-lane foi aberto, Lorenzo seguiu a tradição de sair na frente, mas foi seguido por Rossi e, na sequência, pelos demais
 
Quando a primeira volta foi registrada, Rossi assumiu a liderança com 1min44s662, mas logo foi batido por um Iannone 0s017 mais rápido. Márquez pulou para terceiro, à frente de Lorenzo e Dovizioso.
 
Rossi abriu outro bom giro na sequência e assumiu a liderança ao anotar 1min44s222, 0s423 ais rápido que Iannone – um novo recorde para a pista, aliás. Márquez era o terceiro, à frente de Dovizioso e Lorenzo.
Rossi brinca com sua moto em Motegi (Foto: AP)
Antes de chegar à metade da sessão, Smith sofreu uma queda na curva 5, mas não se feriu. O britânico, no entanto, precisou voltar a pé para os boxes.
 
Pouco depois, os pilotos partiram para os boxes de Motegi. Rossi liderava, seguido por Iannone, Márquez, Pedrosa, Dovizioso, Lorenzo, Crutchlow, Smith, Aleix e Pol Espargaró, Viñales e Redding.
 
Um dos primeiros a voltar para a pista, Lorenzo logo virou 1min43s990 e tomou a ponta de Rossi por uma diferença de 0s232. Foi a primeira volta em 1min43s da história de Motegi, superando a pole de Dovizioso de 2014 por 0s512.
 
Restando em torno de três minutos para o fim da sessão, Lorenzo voltou aos boxes da Yamaha, onde a moto reserva estava preparada para uma nova saída. O #99 voltou com um par de pneus médios. Rossi, por outro lado, tinha um pneu médio na frente.
 
Pouco depois, Smith sofreu outra forte queda, desta vez na curva 12. Mais uma vez, o britânico não se feriu com gravidade.
 
0s376 atrás de Lorenzo, Dovizioso assumiu o terceiro posto, à frente de Iannone, Márquez, Pedrosa e Crutchlow.
 
Já nos instantes finais da sessão, Márquez baixou para 1min44s216 e saltou para o segundo posto, 0s006 à frente de Rossi. O italiano, então, cravou 1min43s871 e tomou a ponta de Lorenzo, abrindo 0s119 de margem para Lorenzo.
 
Jorge vinha em seu último giro e em ritmo para bater Rossi. Por 0s081, o espanhol ficou com a ponta.

MotoGP, GP do Japão, grid de largada:

1 99 JORGE LORENZO ESP YAMAHA 1:43.790  
2 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:43.871 +0.081
3 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:44.216 +0.426
4 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA DUCATI 1:44.322 +0.532
5 29 ANDREA IANNONE ITA  DUCATI 1:44.436 +0.646
6 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:44.582 +0.792
7 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP SUZUKI 1:44.809 +1.019
8 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:44.932 +1.142
9 38 BRADLEY SMITH ING TECH3 YAMAHA 1:45.067 +1.277
10 25 MAVERICK VIÑALES ESP SUZUKI 1:45.081 +1.291
11 44 POL ESPARGARÓ ESP TECH3 YAMAHA 1:45.219 +1.429
12 45 SCOTT REDDING ING MARC VDS HONDA 1:45.333 +1.543
13 6 STEFAN BRADL ALE APRILIA GRESINI 1:45.432 +1.642
14 68 YONNY HERNÁNDEZ COL PRAMAC DUCATI 1:45.438 +1.648
15 21 KATSUYUKI NAKASUGA JAP YAMAHA 1:45.496 +1.706
16 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP APRILIA GRESINI 1:45.608 +1.818
17 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 1:45.691 +1.901
18 8 HECTOR BARBERÁ ESP AVINTIA DUCATI 1:45.724 +1.934
19 72 TAKUMI TAKAHASHI JAP HONDA 1:45.743 +1.953
20 50 EUGENE LAVERTY IRN ASPAR HONDA 1:45.751 +1.961
21 69 NICKY HAYDEN EUA ASPAR HONDA 1:45.843 +2.053
22 43 JACK MILLER AUS LCR HONDA 1:46.039 +2.249
23 76 LORIS BAZ FRA FORWARD YAMAHA 1:46.048 +2.258
24 63 MIKE DI MEGLIO FRA AVINTIA DUCATI 1:46.179 +2.389
25 24 TONI ELÍAS ESP FORWARD YAMAHA 1:46.256 +2.466
26 64 KOUSUKE AKIOSHI JAP AB HONDA 1:46.256 +2.466
  15 ALEX DE ANGELIS RSM IODA ART sem tempo  

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube