carregando
MotoGP

Rossi sinaliza com permanência em 2021 e admite decisão antes do início da temporada

Mesmo interessado em avaliar seu nível de competitividade, Valentino Rossi admitiu que pode ter de decidir sobre a temporada 2021 antes de voltar às pistas. Com o campeonato deste ano condicionado pela pandemia do novo coronavírus, o #46 reconhecer que esta não seria a melhor maneira de encerrar a carreira

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Ao que parece, 2020 não será o ano do adeus de Valentino Rossi à MotoGP. Ainda confinado na Itália por conta da pandemia do novo coronavírus, o #46 reconheceu que gostaria de seguir no Mundial e admitiu tomar sua decisão antes mesmo do início da temporada.
 
Até aqui, a MotoGP precisou cancelar o GP do Catar apenas para a classe rainha e também adiou as provas de Tailândia, Austin, Argentina, Espanha, França, Itália e Catalunha. As corridas de Alemanha, Holanda e Finlândia devem ser as próximas adiadas oficialmente, já que os governos locais recomendam que eventos com grandes aglomerações não aconteçam antes de agosto.
Maverick Viñales, Matt Birt e Valentino Rossi (Foto: Yamaha)
Paddockast #58
COMO SERIA O GRID DA F1 SEM PILOTOS DA F1?

Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

Em seu último ano com o time de fábrica da Yamaha, Valentino precisa decidir se quer ou não seguir na MotoGP. O plano do italiano de Tavullia queria esperar pelas primeiras corridas para avaliar sua performance, mas, com o início do campeonato no ar, Rossi já admite definir o futuro antes de correr.
 
“Estou numa situação difícil, porque, como eu disse, a minha primeira opção é tentar continuar. Tenho motivação o bastante e quero continuar. Mas é muito importante entender o nível da competição, pois, especialmente na segunda parte do ano passado, nós sofremos muito, eu fui lento muitas vezes e tive de lutar fora do top-5”, disse Rossi em uma entrevista online divulgada pela Yamaha. “Na minha cabeça, tinha mais um ano com o time de fábrica e precisava de tempo para decidir. Preciso de cinco ou seis corridas, com um novo mecânico-chefe, e algumas modificações no time, para entender se posso ser forte”, ponderou.
 
“O problema é que não tem corrida. Com o vírus, não podemos correr. Então tenho de decidir antes de correr, porque a situação mais otimista é que possamos correr na segunda metade da temporada, então por volta de agosto ou setembro, esperamos, se tudo estiver bem”, comentou. “Mas tenho de tomar minha decisão antes. Mas, de qualquer forma, eu quero continuar, mas tenho de tomar essa decisão sem nenhuma corrida”, afirmou.
 
Questionado se acharia justo terminar a longa e vitoriosa carreira com uma temporada reduzida, Rossi respondeu: “Não é a melhor maneira de parar, pois talvez a gente nem corra neste 2020. Então é mais justo que eu faça outro campeonato e talvez pare no fim do próximo, então espero continuar em 2021”.
 
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.