MotoGP

Rossi vê Ducati pioneira em esforço “mais próximo da F1” na MotoGP e pede que Yamaha siga tendência

Valentino Rossi avaliou que a Ducati foi a primeira a introduzir um esforço nos moldes da F1 na MotoGP. O italiano quer que a Yamaha siga o mesmo modelo de também foi adotado pela Honda

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Valentino Rossi avaliou que a Yamaha precisa ampliar seu esforço na MotoGP se quiser voltar a brigar pelo título. O #46 considerou que a Ducati foi pioneira em introduzir uma classe rainha do Mundial de Motovelocidade um sistema “mais próximo da F1”, receita que acabou sendo seguida pela Honda.
 
Ao longo da temporada 2018, a Yamaha encarou seu maior jejum de vitórias, mas, na Austrália, conseguiu seu único triunfo no ano, com Maverick Viñales. Ainda assim, a marca dos três diapasões ficou longe de ser uma ameaça para Honda e Ducati.
 
Na visão de Rossi, a fábrica de Borgo Panigale investiu em seu grupo de trabalho e, assim, conseguiu mudar sua sorte na MotoGP, já que a Ducati não tinha resultados desde expressivos desde os tempos de Casey Stoner.
Valentino Rossi quer mais empenho da Yamaha na MotoGP (Foto: Divulgação/MotoGP)
“Recentemente, especialmente no último ano e meio, a situação técnica na MotoGP mudou muito”, disse Rossi. “A Ducati foi a primeira a dar esse passo com a quantidade de gente e de engenheiros. É um pouco mais próximo da F1, enquanto permanece ainda muito distante”, seguiu.
 
“A Honda acompanhou e eu já falei sobre isso”, contou. “Agora, para você vencer na MotoGP, você precisa de um esforço deste tipo. Nós precisamos ver se isso acontece com a Yamaha”, pressionou.
 
Às vésperas do início da pré-temporada, a Yamaha tem trabalho a fazer para tentar deixar para trás a má fase das últimas temporadas. Durante os testes, porém, os pilotos ficaram divididos. Enquanto Viñales vê a YZR-M1 em condições de brigar pelo título, o #46 acredita que a evolução não veio na área em que se fazia necessária.
 
Ainda assim, o piloto de Tavullia garante que ficaria feliz em ver o time de Iwata atender os desejos de Viñales.
 
“Se eles trouxerem coisas novas para Viñales, eu ficaria feliz, porque eu também teria a chance de testá-las”, comentou Rossi. “As coisas que nós dois dizemos são muito similares e estamos de acordo quase sempre em relação ao desenvolvimento da moto”, seguiu.
 
“Se a Yamaha trouxer tudo que ele pede, vai ser muito bom para mim, porque, pelo menos, eles estão trazendo alguma coisa”, ponderou. “Pois, 90% das vezes, nós dizemos as mesmas coisas”, concluiu.