Salac aproveita melhora da pista e lidera dia 1 de treinos da Moto3 no GP da França

Com o tempo de 1min44s820, o tcheco foi o mais rápido do primeiro dia de atividade em Le Mans. Romano Fenati e John McPhee completaram os três mais rápidos da sexta-feira

Filip Salac tratou de ser o mais rápido no primeiro dia de treinos da Moto3 em Le Mans. Nesta sexta-feira (9), o piloto anotou 1min44s820 em sua última volta rápida para encerrar a abertura das atividades na ponta da tabela.

A manhã começou chuvosa no circuito francês, com um festival de quedas marcando a primeira saída do dia. Entretanto, quando voltaram à pista para o TL2, as condições estavam melhorando rapidamente e os tempos caindo drasticamente.

Portanto, o piloto da Snipers cravou marca mais de 10s inferior ao melhor tempo do primeiro treino da sexta-feira. Apenas 0s039 atrás, Romano Fenati ficou com a segunda posição, com John McPhee completando os três primeiros colocados.

Albert Arenas teve dia bastante discreto em Le Mans. Atual líder da classificação, fez 1min46s587 e ficou apenas no 13º posto da tabela, 1s767 mais lento que o primeiro colocado.

Salac liderou o primeiro dia em Le Mans (Foto: Reprodução)

A Moto3 foi quem abriu as atividades do GP da França, realizando o primeiro treino livre debaixo de chuva. Quando a atividade começou, o termômetro apontava 15ºC e o asfalto chegava a 15ºC. O vento soprava a 3 km/h.

Carlos Tatay tratou de inaugurar a tabela de tempos, mas logo foi superado a medida que os pilotos completavam suas voltas rápidas. Com 1min58s464, Sergio García era o primeiro colocado com dez minutos de sessão rodados.

Ainda nos primeiros minutos, por conta das condições bastante molhadas do traçado, diversos pilotos acabaram no chão. O primeiro a cair foi Romano Fenati, com Jason Dupasquier, Deniz Öncü, Khairul Pawi e Alonso López logo na sequência.

Com metade do treino completado, o festival de quedas seguiu. Agora, Tony Arbolino, Tatay e Celestino Vietti foram outros nomes que levaram um tombo. Enquanto isso, na ponta da tabela, Raúl Fernández tomou a ponta com 1min56s349.

John McPhee era o líder da sessão com 1mins55s274. O piloto havia completado 14 giros e tinha vantagem de 0s158 para Migno, que havia completado 16 giros e era quem mais tinha quilometragem no momento. Albert Arenas completava os três primeiros. Bandeira quadriculada e a ordem seguiu a mesma, com García, Ai Ogura, Vietti, Ai Ogura, Gabriel Rodrigo e Stefano Nepa também indo ao chão.

Mesmo com a melhora considerável do traçado, boa parte do pelotão demorou para deixar os boxes e partir para o segundo treino do dia. Mas dos que saíram, foi Baltus quem surgiu como o primeiro mais rápido, mas logo foi superado por Arenas, que anotou 1min53s429. Com dez minutos rodados, apenas 12 pilotos haviam marcado tempo.

Em relação a primeira atividade do dia, os tempos baixaram consideravelmente. Nos treinos combinados, Filip Salac era o mais veloz, com Fenati e Salac na sequência. De maneira provisória, Dennis Foggia, Vietti, Tatay, Ricardo Rossi, Arenas, Baltus, Arbolino, Max Koefler, López Jaime Masià e Dupasquier garantiam vaga ao Q2.

A medida que o TL2 em Le Mans entrava na reta final, as posições mudaram drasticamente na tabela. Com 1min46s004, Masià eram o líder quase 10s mais rápido do que a melhor marca da parte da manhã. McPhee, 0s308 mais lento, era o segundo, com Fenati saltando para terceiro. Bandeira quadriculada e as posições se mantiveram da mesma maneira, cravando os três melhores do dia.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar