Terceiro, Lorenzo exalta forte ritmo de Rossi e Márquez e reconhece: “Percebi que hoje não era dia”

Jorge Lorenzo concluiu o GP da Holanda em terceiro lugar e viu o vencedor Valentino Rossi abrir vantagem na tabela de classificação. Espanhol pulou do oitavo para o terceiro lugar ainda na primeira volta e se disse satisfeito com o resultado final

Jorge Lorenzo vinha de uma sequência arrasadora de quatro vitórias consecutivas, mas neste sábado (27) não conseguiu repetir as últimas brilhantes atuações e acabou com o terceiro lugar no GP da Holanda, vencido por Valentino Rossi. O espanhol fez um ótimo início, saltou da oitava posição no grid para o terceiro lugar ainda na primeira volta, mas não conseguiu acompanhar o forte ritmo de corrida imposto por Rossi e Marc Márquez. No fim, teve que se contentar com o último degrau do pódio.

Com o resultado, viu o companheiro de Yamaha abrir vantagem no campeonato. O #99 chegou a Assen apenas um ponto atrás na tabela, e vai embora com dez tentos de desvantagem. Mesmo assim, Lorenzo não se mostrou desanimado.  

Jorge Lorenzo terminou em terceiro na Holanda (Foto: Yamaha)
"Nós ainda estamos dez pontos atrás do líder, o que é bom. Estava 29 pontos depois da Argentina, então dez pontos depois de um fim de semana difícil não é tão ruim. Fiz uma boa largarda, estava muito focado em recuperar posições na primeira volta e fiz isso mais rápido do que esperava. Eu já estava na terceira posição quando cruzei a linha de chegada pela primeira vez", contou.

"Tentei manter o ritmo de Valentino e Marc, mas eles estavam realmente fortes e percebi que hoje não era o dia. Hoje era dia para lutar e manter este terceiro lugar, o que é muito bom para o campeonato".

 Valentino Rossi e Jorge Lorenzo (Foto: Honda))"/>

Marc Márquez, Valentino Rossi e Jorge Lorenzo (Foto: Honda)
O vice-líder da MotoGP afirmou que não se entendeu muito bem com os pneus mais duros e admitiu problemas de velocidade em dois pontos do circuito holandês. "Valentino estava um pouco mais competitivo aqui desde o início, Marc melhorou sua moto e para nós foi o oposto. Descobrimos que os pneus mais duros nos deu um pouco mais de problemas e em dois setores eu não conseguia ser rápido, perdia muito tempo nos setores dois e quatro, 0s5 em ambos, o que tornou impossível ter um bom ritmo", acrescentou.

Por fim, ele projetou vida dura na Alemanha, em 12 de julho, quando será realizada a nona etapa do Mundial. "A próxima corrida em Sachsenring será um pouco mais complicada, porque nunca ganhei lá, mas você nunca sabe o que pode acontecer", concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube