carregando
MotoGP

Viagens proibidas e reuniões à distância: chefe da Suzuki relata rotina no isolamento

Em meio a uma pandemia de coronavírus, as equipes da MotoGP seguem tocando o desenvolvimento das motos. Mesmo que a distância

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O mundo está um bocado mais lento por causa da pandemia de coronavírus, mas nem por isso o trabalho acabou. Enquanto a MotoGP aguarda o início da temporada 2020, as equipes vão tocando o desenvolvimento das motos, mesmo que trabalhando a distância.
 
O Mundial de Motovelocidade precisou cancelar o GP do Catar ― apenas para a classe rainha ― e adiou as corridas em Buriram, Austin e Termas de Río Hondo. Assim, o calendário atual diz que o campeonato começa em maio, com o GP da Espanha, mas isso ainda vai depender do desenrolar da epidemia.
 
Chefe da Suzuki, Davide Brivio explicou que, mesmo a distância, o time ainda está buscando maneiras de se preparar para o campeonato de 2020. 
 
“É diferente. Nós estamos acostumados a ter um plano e saber onde estaremos amanhã, na semana que vem, no mês que vem. Agora, nós estamos trabalhando em casa por um longo período de tempo e temos de aprender a lidar com isso e como tirar o máximo disso”, disse Brivio. “Tendo uma organização com pessoas ao redor do mundo, estamos bem habituados a trabalhar via e-mail e telefone, mas, normalmente, isso só acontece entre as corridas. No momento, não podemos ter reuniões cara a cara e pode levar um longo tempo até podermos ver nossa equipe e nossos colegas. Claro, estamos seguindo as orientações dos governos e autoridades, que é de ficar em casa e tentar evitar contato”, sublinhou.
Davide Brivio, Álex Rins e Joan Mir (Foto: Suzuki)
Paddockast #52
PREVISÕES CERTEIRAS E OUSADAS PARA A F1 2020


Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Infelizmente, na Itália a situação é muito séria. Espero que todos os outros países sigam o que a Itália está fazendo e o que a China fez, que parece ser efetivo, antes que seja tarde demais. Seria muito melhor copiar o que foi feito para prevenir a disseminação ao invés de esperar até que fique muito sério”, defendeu. “Nós fomos forçados a reduzir o ritmo das nossas atividades diárias e vamos usar esse tempo extra para curtir nossas famílias, estudar e encontrar novos interesses para nos mantermos ocupados”, comentou.
 
Perguntando sobre a relação entre as equipes e os promotores, Davide explicou: “Nós estamos em contato frequente com a Dorna, estamos consultando um ao outro e sugerindo opções e soluções. A Dorna e a IRTA estão mantendo todos os times informados durante esses cancelamentos e adiamentos. Nós temos uma relação muito boa. Todos estão muito disponíveis e abertos a tentar resolver os problemas para todos. É um momento muito difícil e entendemos as dificuldades para a Dorna, então, como um time, estamos tentando dar nosso máximo apoio e solidariedade. Estamos todos trabalhando juntos para entender como lidar com essa situação”.
 
Brivio, no entanto, relatou que ainda não existe uma nova atualização sobre o calendário. Chefe da Tech3 e presidente da IRTA (Associação Internacional das Equipes de Corrida), Hervé Poncharal admitiu que não espera que o campeonato inicie realmente em maio
 
“Nós estamos acompanhando a situação dia após dia, como todo mundo, para checar como as coisas estão se desenvolvendo. Nós simplesmente temos de tentar fazer planos e aí esperar para ver se eles podem ser executados. Se não der, precisamos fazer um novo plano”, declarou. “Como eu disse, estamos em contato com a Dorna e a IRTA para modificar as coisas dependendo das notícias. Claro, esperamos voltar às pistas o mais rápido possível, mas, primeiro, temos de sair dessa emergência”, insistiu.
 
Brivio explicou, ainda, que não foi criado um Comitê de Crise no Mundial. “A Dorna está muito ocupada falando com os circuitos e organizadores para poder encontrar a melhor situação. Como equipe, nós os consultamos e falamos de tudo”.
 
No caso específico da Suzuki, o contato é frequente com os funcionários da fábrica no Japão. 
 
“Nós falamos todos os dias com os engenheiros no Japão para ajustar o plano. Na SMC (Suzuki Motor Corporation), eles estão tentando trabalhar nos últimos detalhes antes do início do campeonato. Mas, do ponto de vista técnico, estamos bem ok e a moto estava pronta, então não tem muito mais que possamos fazer lá”, detalhou. “Basicamente, dentro da companhia, qualquer viagem está muito limitada. Dentro do time, ninguém está viajando agora. Nós também decidimos cancelar o teste que estava marcado entre 18 e 20 de março em Jerez, apenas para todos ficarem seguros”, continuou.
 
“Nós estamos em contato, mantendo todos atualizados com notícias. Estamos no mesmo barco. Via telefone, e-mail e WhatsApp é muito fácil compartilharmos comentários e notícias, mas é só uma questão de esperar e apoiar um ao outro”, disse.
 
Por fim, o dirigente falou da situação dos pilotos, mas explicou que Álex Rins e Joan Mir estão buscando alternativas para se manterem em forma. 
 
“Eles não estão felizes, porque eles estavam realmente prontos para começar a temporada. Mas eles estão em boa forma, treinando bastante e permanecendo focados, tentando ficar prontos para quando a primeira corrida acontecer. Todos entendem as prioridades e as medidas de segurança, então eles simplesmente aceitam, como todo mundo”, comentou. “Eles, na verdade, estão bem. Eles vivem em Andorra, estão organizando seus treinamentos de maneiras diferentes e se mantendo ocupados enquanto estão restritos”, concluiu.
 

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.