MotoGP

Vice-campeão da MotoGP, Gibernau abandona aposentadoria após uma década para disputar MotoE

Sete Gibernau, que chegou perto do título da MotoGP em 2003 e 2004, resolveu voltar às pistas. Fora de ação desde 2009, o espanhol foi convencido pela Pons de embarcar no desafio do motociclismo elétrico através da MotoE
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Sete Gibernau (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
A segunda-feira (12) reservou um retorno dos mais inesperados no motociclismo. Sete Gibernau, duas vezes vice-campeão da MotoGP e afastado das pistas desde 2009, anunciou o retorno para disputar a temporada inaugural da MotoE pela Pons.
 
Gibernau, aos 45 anos, precisou ser convencido para embarcar na aventura. Sem disputar competições de moto há uma década, o espanhol ouviu o pedido insistente de Sito Pons, homem forte da equipe. De uma hora para outra, o que parecia loucura virou uma chance de entrar em contato com o motociclismo elétrico.
 
“Nunca pensei que voltaria a participar de um campeonato desde que aposentei definitivamente, mas a vida te reserva surpresas e, depois de dez anos aposentado e sem competir, aqui estou”, disse Gibernau ao ser anunciado. “Agradeço a Sito [Pons, chefe de equipe] pela oportunidade ao insistir tanto até me convencer de tentar. Trabalharei duro para estar à altura do chamado de alguém como Sito. É um grande sonho viver e pilotar essa nova geração de motos elétricas, ajudando um pouquinho com o desenvolvimento”, seguiu.
Sete Gibernau (dir.) viveu o auge na MotoGP no começo dos anos 2000 (Foto: Getty Images)
Gibernau é, até aqui, o único piloto anunciado pela Pons para a temporada 2019 da MotoE. A categoria começa a ganhar corpo, com nomes mais conhecidos: Bradley Smith e Xavier Siméon vem direto da MotoGP. O brasileiro Eric Granado e a pilota María Herrera são outros com contratos assinados.
 
Gibernau competiu na MotoGP entre 1997 e 2009. O auge veio no começo dos anos 2000: em 2003 e 2004, o espanhol foi superado apenas por ninguém menos que Valentino Rossi.