Viñales segura Morbidelli, crava pole em San Marino e puxa 1-2-3-4 da Yamaha

O ítalo-brasileiro bem que tentou, mas o espanhol cresceu na volta final em Misano para cravar a segunda pole na temporada da MotoGP. Fabio Quartararo fecha a primeira fila, logo à frente de Valentino Rossi

Maverick Viñales mostrou força neste sábado (12) para garantir a 11ª pole-position na MotoGP. Depois de dominar todos os treinos, a Yamaha foi superior na classificação, o que resultou em um duelo interno do quarteto de YZR-M1 até o último instante no circuito Marco Simoncelli.

Na primeira metade do Q2, Viñales e Fabio Quartararo passaram pela pole provisória e, quando chegou a hora do pit-stop, a marca dos três diapasões sustentava um 1-2-3. De volta à pista, Maverick retomou a ponta por só 0s004 de frente para o francês, garantindo a casa de Iwata no top-4 do grid.

Com o cronômetro travado, Morbidelli pulou para a ponta com 0s064 de margem para Viñales, mas levou o troco de imediato, com o espanhol de Figueres passando 0s312 melhor. 0s068 atrás do companheiro de equipe, Quartararo fechou o top-3, 0s086 à frente de Valentino Rossi, que vai abrir a segunda fila.

Maverick Viñales lidera um 1-2-3-4 histórico da Yamaha (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Melhor do resto, Jack Miller cravou 1min32s052 e ficou com o quinto posto, à frente de Francesco Bagnaia, que volta à ativa após a lesão sofrida em Brno. Álex Rins colocou a Suzuki na sétima colocação, seguido por Joan Mir.

Andrea Dovizioso foi 0s773 mais lento que Viñales e ficou com o nono lugar, com Johann Zarco fechando o top-10. Pol Espargaró sofreu uma queda no início da sessão, mas acabou em 11º, 0s057 melhor que Miguel Oliveira, o 12º.

Aleix Espargaró passou boa parte do Q1 com uma vaga provisória na fase seguinte, mas instantes antes da bandeirada, viu Oliveira aparecer 0s083 mais rápido para assegurar o avanço. Assim, a melhor Aprilia vai sair da 13ª colocação, escoltada por Takaaki Nakagami, a melhor Honda.

Danilo Petrucci ficou com o 15º lugar, seguido por Brad Binder e Tito Rabat. Destaque na sexta-feira, Iker Lecuona não teve o mesmo brilho neste sábado e vai largar só em 18º, diante de Stefan Bradl, Bradley Smith e Álex Márquez, o último na ordem de partida.

Cal Crutchlow foi barrado pelos médicos nesta manhã pelo risco de contaminação no braço direito, que ainda tem uma ferida aberta por conta de uma cirurgia para tratar a síndrome compartimental. O piloto da LCR deve voltar à pista apenas para o GP da Catalunha, marcado para 27 de setembro.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de San Marino e da Riviera de Rimini, sétima etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Quartararo puxa dobradinha da Yamaha no TL4 em Misano

Na sequência da Moto3, a MotoGP entrou na pista com a temperatura elevada, chegando a 29ºC, com o asfalto atingindo 42ºC. O vento soprava a 18 km/h.

Após os primeiros giros no circuito italiano, Johann Zarco foi o primeiro a aparecer na ponta com 1min34s494. Mas Fabio Quartararo usou a força da Yamaha e logo bateu o compatriota, se colocando na liderança do início da sessão.

A medida que o tempo corria, as posições mudavam constantemente na tabela. Com dez minutos completados, Francesco Bagnaia era o mais rápido com 1min32s762, o primeiro a virar na casa de 1min32s. Morbidelli e Viñales vinham na sequência.

Restando 16 minutos para a bandeira quadriculada, grande parte do pelotão estava nos boxes para a parada programada. Pecco era o primeiro, seguido por Viñales, Morbidelli, Nakagami, Zarco, Quartararo, Mir, Binder, Pol Espargaró e Petrucci.

Nas primeiras cinco colocações, três motos da Yamaha – ocupando as primeira, quarta e quinta colocações. As outras duas marcas vistas no top-5 eram Ducati e Suzuki, em segundo e terceiro, respectivamente.

Bandeira quadriculada, e Quartararo tratou de puxar dobradinha da Yamaha com Viñales em segundo, apenas 0s127 atrás do francês. Bagnaia ficou em terceiro, com Pol Espargaró crescendo no final e sendo quarto. Rins completou o top-5.

Pol Espargaró avança para Q2; Oliveira bate Aleix e também passa para fase seguinte

Com o início da classificação, foram à pista para o Q1 os pilotos Aleix Espargaró, o irmão Pol, Oliveira, Lecuona, Bradl, Smith, Petrucci, Binder, Nakagami, Álex Márquez e Rabat.

Com os primeiros giros completados, os irmãos Espargaró eram os nomes que asseguravam as duas vagas para a fase seguinte. Quem aparecia em primeiro era o piloto da Aprilia com 1min32s159, enquanto o competidor da KTM era 0s136 mais lento.

Na escolha de pneus, a maior parte do pelotão tinha duro dianteiro e macio traseiro. Nakagami, Rabat, Bradl e Smith foram de médio e macio, enquanto Pol optou por duro e médio.

Restando apenas três minutos para o encerramento da primeira sessão da classificação, Pol e Aleix Espargaró eram os pilotos a serem batidos. Petrucci, que estava em terceiro, tinha 0s354 de desvantagem para o segundo.

Os últimos instantes ainda reservaram mudanças na ordem da tabela. Enquanto o piloto da KTM passou sem problemas para o Q2, Aleix perdeu a vaga para Oliveira, que o bateu por apenas 0s083 para ficar em segundo e garantir ambas as vagas para a fábrica austríaca.

Enquanto isso, a Honda teve classificação bastante complicada. O melhor colocado foi Nakagami, que sai em 14º. Com Stefan Bradl em 19º e Álex Márquez em 21º, nenhum piloto da marca foi para a fase seguinte.

Viñales puxa primeiro 1-2-3-4 da Yamaha na MotoGP

A segunda parte da classificação começou e a dupla se juntou a Rossi, Viñales, Quartararo, Miller, Rins, Mir, Bagnaia, Zarco, Morbidelli e Dovizioso para brigar pela pole-position do GP de San Marino.

A maioria dos pilotos optou por sair com pneu médio dianteiro e macio traseiro. Apenas Quartararo, Morbidelli, Pol e Bagnaia se diferenciaram dos demais, com duro na frente e macio atrás.

Ainda nos primeiros cinco minutos, Pol Espargaró sofreu um forte revés. Quando vinha em volta rápida, caiu na curva 15, tirando as chances de conseguir a posição de honra do grid. Neste ponto, Viñales era o líder com 1min32s130.

Mas quando o Doutor fechou o terceiro giro rápido, virou 1min31s877 para se colocar em primeiro, mas logo foi superado por Quartararo, com a dupla sendo a única na casa de 1min31s. Morbidelli vinha em terceiro para fechar a trinca das marcas dos diapasões.

A briga estava mesmo entre as Yamaha. Com 1min31s787, foi a vez de Maverick Viñales saltar para a primeira posição, garantindo o domínio da fábrica no top-4. Bagnaia, Miller, Mir, Dovizioso, Zarco, Rins, Pol Espargaró e Oliveira fechavam o top-10.

Bandeira quadriculada e, com 1min31s723, Morbidelli apareceu na pole-position, mas não por muito tempo. Viñales tratou de virar 0s312 mais rápido que o ítalo-brasileiro para tomar para si a posição de honra do grid. Quartararo fecha a primeira fila.

Rossi completa o quarteto da Yamaha, seguido por Miller e Bagnaia, ambos da Ducati. Depois vêm Rins e Mir, da Suzuki, com Dovizioso e Zarco, também da fábrica italiana, e Pol Espargaró e Oliveira, da KTM, fechando a ordem do Q2.

LEIA TAMBÉM
Rossi apresenta capacete para GP de San Marino com desenho ousado: cartela de viagra
+ Com referência a filme de Spike Lee, Morbidelli pede igualdade em capacete de Misano
Disney entra em acordo e mantém direito de transmissão da MotoGP no FOX Sports

MotoGP 2020, GP de San Marino e da Riviera de Rimini, Misano, Grid de largada:

1M VIÑALESYamaha1:31.411 
2F MORBIDELLISRT Yamaha1:31.723+0.312
3F QUARTARAROSRT Yamaha1:31.791+0.380
4V ROSSIYamaha1:31.877+0.466
5J MILLERPramac Ducati1:32.052+0.641
6F BAGNAIAPramac Ducati1:32.054+0.643
7A RINSSuzuki1:32.090+0.679
8J MIRSuzuki1:32.102+0.691
9A DOVIZIOSODucati1:32.184+0.773
10J ZARCOAvintia Ducati1:32.218+0.807
11P ESPARGARÓKTM1:32.266+0.855
12M OLIVEIRATech3 KTM1:32.323+0.912
13A ESPARGARÓAprilia Gresini1:32.295+0.884
14T NAKAGAMILCR Honda1:32.382+0.971
15D PETRUCCIDucati1:32.418+1.007
16B BINDERKTM1:32.534+1.123
17T RABATAvintia Ducati1:32.791+1.380
18I LECUONATech3 KTM1:32.838+1.427
19S BRADLHonda1:32.915+1.504
20B SMITHAprilia Gresini1:33.166+1.755
21Á MÁRQUEZHonda1:33.333+1.922

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube