Wayne Gardner revela que filho Remy tem contrato com KTM para MotoGP em 2022

Wayner Gardner, campeão das 500cc em 1987, falou sobre a carreira do filho Remy, atualmente na Moto2, durante um podcast. O ex-piloto confirmou contrato do jovem de 23 anos com a KTM e também o interesse de outras equipes do grid da MotoGP já para 2022

Piloto da Moto2, Remy Gardner carrega o peso de ser filho de Wayne Gardner, campeão mundial da classe rainha do Mundial de Motovelocidade em 1987. O jovem de 23 anos, porém, está trilhando sua carreira de maneira convincente e já possui contrato para correr na MotoGP em 2022.

Atualmente na Ajo Motorsport, o australiano possui acordo com a KTM para o próximo ano, segundo informações do pai Wayne no podcast ‘Rusty’s Garage’. A decisão será apenas entre o time de fábrica e a KTM, dependendo dos resultados obtidos na Moto2 nesta temporada.

“Remy assinou com a KTM, ele está em um acordo de dois anos com eles. Isso significa um ano na Moto2, outro ano na MotoGP. E se os resultados dele forem bons depois deste ano, garante automaticamente um assento na equipe de fábrica da KTM na MotoGP”, afirmou o ex-piloto.

Remy Gardner está na Moto2 e é o vice-líder do campeonato em 2021 (Foto: Ajo Motorsport)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Após a rodada dupla em Losail, Remy é o vice-líder da Moto2 neste campeonato, com dois segundos lugares obtidos nos GPs do Catar e de Doha. O australiano, porém, é alvo de outras equipes do grid no Mundial de Motovelocidade, como a SRT.

“Se a KTM não o quiser, ele está liberado para ir a outras equipes. A KTM é prioridade, mas existem outros times interessados no Remy, apesar de poucas vagas disponíveis. Então vai ser interessante ver o que acontece com o [Valentino] Rossi”, disse o campeão de 1987.

“Ele [Remy Gardner] poderia ter corrido na MotoGP no ano passado, teve uma oferta do Hervé [Poncharal, dono da Tech3] para se juntar ao time da KTM. Mas no momento da oferta, a moto não estava boa e pensamos que seria melhor mais um ano na Moto2 para conseguir um equipamento melhor”, completou.

LEIA TAMBÉM
⇝ Série à la ‘Drive to Survive’ é impulso necessário para expansão da MotoGP
⇝ WEB STORIES – Pedro Acosta: a nova pérola do Mundial de Motovelocidade
⇝ Zarco acerta ao confiar na Ducati e dá volta por cima após saída tumultuada da KTM
⇝ Miller sucumbe à pressão e derrete favoritismo em rodada dupla da MotoGP no Catar
⇝ Espargaró começa oscilante e deixa Honda longe de Yamaha, Ducati e Suzuki no Catar

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube