Yamaha casa bem com Barcelona e parte favorita à vitória. Inclusive com Rossi

As Yamaha mostraram boa performance nos treinos e partem como favoritas no GP da Catalunha, mas Joan Mir, mais uma vez, aparece como ameaça. Largada e cuidado com os pneus será chave no domingo

Franco Morbidelli vive grande fase na MotoGP. Depois de conquistar no GP de San Marino e da Rivieira de Rimini a primeira vitória da carreira na classe rainha, o ítalo-brasileiro deu mais um passo e conseguiu neste sábado (26) outro feito inédito: a pole-position.

Depois de dominar o primeiro dia de treinos em Montmeló, o campeão de 2017 da Moto2 voltou a mostrar força e aproveitou a última volta da classificação para baixar para 1min38s798 o tempo e bater Fabio Quartararo. Mas diferente do que aconteceu em Misano, desta vez o ítalo-brasileiro vai ter a companhia do mentor e amigo Valentino Rossi na foto deste momento histórico da carreira. Afinal, o italiano que ontem celebrou 15 anos da conquista do sétimo título no Mundial de Motovelocidade ficou com o terceiro posto do grid, fechando uma fila completamente dominada pela Yamaha.

Além de representar um ótimo momento em 2020, a forma deste ano é também uma resposta ao que aconteceu na temporada passada, quando chegou a SRT com status de protagonista, mas acabou ofuscado por Quartararo, que conseguiu até mesmo um contrato com o time de fábrica da Yamaha para 2021 dada a boa performance no campeonato de estreia.

Mas não é só isso. Além do sabor vingança pessoal, o resultado desde sábado é mais uma mostra do crescimento da Yamaha em 2020, ainda que a YZR-M1 siga na lanterna no quesito velocidade. No Q2 da classificação, por exemplo, Franco atingiu 339,6 km/h, a menor velocidade máxima da sessão. Líder do Speed Trap, Jack Miller chegou a 350,6 km/h.

Valentino Rossi e Franco Morbidelli serão parceiros de SRT em 2021 (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Ao longo dos treinos, Morbidelli mostrou que está bem preparado para a corrida e, assim, sai como um dos favoritos à vitória nesta que será a oitava etapa da temporada 2020.

“É ótimo ser o primeiro hoje. Ver que fui o mais rápido dá uma sensação realmente boa”, expressou Franco. “É sempre difícil bater Fabio em uma volta rápida, então, estou muito feliz com a classificação de hoje. Estava me sentindo ótimo na moto e percebi que poderia forçar bastante, inclusive com os dois pneus”, relatou.

“Agora é uma questão de tentar refinar tudo para amanhã e fazer uma boa largada. Temos bom ritmo, mas têm muitos pilotos com uma performance similar à nossa. Vai ser importante tentar melhorar um pouquinho mais para amanhã, mas tenho certeza de que será uma boa corrida”, garantiu.

Superado apenas na volta final, Quartararo se mostrou confiante no desempenho da moto, mas colocou a largada como um momento chave da corrida.

“Estou feliz por estar de volta para a primeira fila em Barcelona. Acho que será realmente importante fazer uma boa largada amanhã. Me sinto confiante com a moto”, contou. “Vamos ver o que podemos fazer amanhã, mas nosso ritmo parece ótimo e acho que o único problema é a escolha de pneus. É uma decisão difícil, mas estou feliz com o trabalho que a equipe fez. Veremos como será amanhã e vamos tomar nossa decisão. Tenho certeza de que todo mundo está na mesma posição, veremos o que podemos fazer”, lembrou.

Joan Mir, MotoGP 2020, GP da Catalunha, Classificação
Joan Mir também mostrou potencial para brigar pela ponta (Foto: Suzuki)

O sábado, porém, foi mais agitado para Rossi. Ainda nesta manhã, o italiano assinou com a Yamaha para correr pela SRT na temporada 2021, um anúncio que vinha se arrastando há semanas.

E foi justamente em ritmo de comemoração que o piloto de Tavullia apareceu para garantir a primeira fila do ano ― e a primeira desde o GP da Grã-Bretanha do ano passado. Além da boa posição de partida, Rossi também mostrou bom ritmo e tem uma boa chance de brigar pela vitória no domingo, inclusive por ser alguém que tradicionalmente cresce no domingo.

“Estar na primeira fila é um ótimo resultado. Hoje é um dia especial, pois assinei o contrato para o próximo ano. Estou muito feliz”, comentou Rossi. “Trabalhamos bem ontem e hoje no TL4 tive um bom ritmo, também com pneus usados. Sabia que podia fazer uma boa volta, mas nem sempre é fácil. No fim, consegui forçar ao limite, pilotando bem sem cometer nenhum erro. Estou muito feliz com a primeira fila, pois isso é muito importante para a corrida. Mas o mais importante é que a moto é competitiva”, frisou.

Assim como o francês, Valentino destacou a importância de reagir bem no apagar das luzes de largada, mas também mostrou confiança.

“Todos os pilotos da Yamaha têm um bom ritmo, então, precisamos fazer uma boa largada, fazer tudo certo desde o início e aí veremos. Sou competitivo e forte”, resumiu. “Posso ser rápido por toda corrida, mas a MotoGP é sempre difícil e as coisas podem mudar de um dia para o outro. Para bater os outros, você tem de chegar na bandeira quadriculada antes deles. Essa é a meta”, completou.

Brigando pela liderança do Mundial, Maverick Viñales vai sair apenas em quinto, mas tampouco se mostrou preocupado com a performance da YZR-M1.

Andrea Dovizioso, MotoGP 2020, GP da Catalunha, Classificação
Andrea Dovizioso vai precisar remar para conseguir um bom resultado em Montmeló (Foto: Red Bull Content Pool)

“A largada é sempre crucial e a quinta colocação é difícil, mas não é realmente um resultado ruim considerando que tivemos muitas dificuldades com os pneus nesta tarde. Vamos tentar dar outro passo à frente. Talvez possamos encontrar algo realmente bom para amanhã”, falou Maverick. “Em termos de ritmo, estamos bem, somos muito consistentes e isso é o mais importante. Amanhã, vou como um louco na primeira volta para subir para segundo ou terceiro, e aí veremos. O que entendemos é que temos um bom ritmo nas últimas dez ou 12 voltas, o que é importante, pois esta pista é muito exigente com o pneu traseiro. Vamos ver, mas estou confiante para a corrida”, contou.

Questionado sobre o motivo de a Yamaha ser tão forte no traçado catalão, Viñales respondeu: “No fim, é a tração. Está claro que na reta… Bom, aqui nos defendemos um pouco mais, mas perdemos muito. O que acontece é que o traçado tem curvas muito redondas nas quais temos boa aderência e isso faz a diferença, mas temos de ficar de olho, pois a Suzuki também está aí. Não somos os únicos. Miller também e vai largar em quarto e se colocar em primeiro na curva 1”.

Sétimo no grid, Pol Espargaró, que na sexta-feira se mostrou bastante desconfiado das possibilidades da KTM na Catalunha, previu uma corrida tumultuada.

“No final da corrida, pode vencer o piloto que menos se importar em cair, o piloto que mais se arriscar, não o mais rápido. Nas últimas 15 voltas, será perigoso”, apontou. “O problema que temos é que o pneu traseiro patina muito, com o passar dos quilômetros, o rendimento vai cair muito. Isso faz com que a gente não force o pneu dianteiro, que vai perdendo temperatura. É por isso que acho que não cair se converterá em uma tarefa muito complicada”, alertou.

Bem cotado na briga pelo título, Joan Mir não foi um grande destaque na classificação e, 0s830 mais lento que o ponteiro, vai largar apenas em oitavo. Ainda assim, o caçula dos pilotos da Suzuki está confiante nas suas chances de vencer, já que mostrou um bom ritmo de corrida nos treinos.

“No geral, foi um dia bastante bom, mas sofremos um pouquinho no Q2. Não é que me custe fazer o tempo, é que custa muito pouco para os outros”, brincou. “Nós sofremos um pouquinho mais, mas estou bem de ritmo, rápido. O problema é que aqui é como uma loteria, porque não sabemos muito bem quando o pneu traseiro vai perder rendimento. E aqui ele cai muito. Ninguém tem isso escrito e isso vai impactar a corrida. Veremos muitas surpresas”, previu.

“A classificação não muda os planos. Se tivermos ritmo, poderemos lutar pela vitória saindo da oitava colocação. Se fizermos uma boa largada e conseguirmos estar entre os cinco primeiros durante a corrida, se tivermos um pouco mais no final, que é algo que eu não sei, poderemos lutar”, ponderou. “Mas aqui o pneu desgasta muito, perde 1s ou 1s5 por volta. Está tudo aberto e isso não é um impedimento para fazermos uma boa corrida”, avaliou.

As imagens do sábado de classificação da MotoGP para GP da Catalunha

Álex Rins, MotoGP 2020, GP da Catalunha, Classificação
Álex Rins (Foto: Suzuki)

Líder do Mundial por só um ponto de vantagem, Andrea Dovizioso teve um dia para esquecer em Montmeló. 1s311 mais lento que Morbidelli, o titular da Ducati vai largar apenas em 17º.

“Infelizmente, ainda tenho dificuldade para entender como frear adequadamente e, obviamente, isso complica tudo, especialmente a classificação”, observou. “Como não estou confortável na freada, não posso ser rápido como quero e extrair o máximo dos pneus. É uma pena, pois o nosso ritmo para a corrida não é tão ruim, mas a posição em que vamos largar certamente vai afetar nossa performance”, exprimiu.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Catalunha, nona etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

LEIA TAMBÉM
Rossi assina contrato de um ano com Yamaha e corre pela SRT na temporada 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube