MotoGP

Yamaha fala em “trabalhar melhor”, mas apoia Rossi: “Não questionamos nossa fé nele”

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis disse ao jornal espanhol ‘Marca’ que o time não questiona sua fé em Valentino Rossi mesmo após os três abandonos consecutivos de 2019. O dirigente reconheceu, no entanto, que é preciso trabalhar melhor

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Valentino Rossi chega à Alemanha depois de três abandonos consecutivos, mas nem por isso perdeu a confiança da Yamaha. Em entrevista ao diário espanhol ‘Marca’, Lin Jarvis, diretor do time dos três diapasões, admitiu que o momento é difícil, mas garantiu que segue ao lado do #46.
 
Jarvis ponderou que Rossi na teve culpa pelo abandono no GP da Catalunha, já que foi tirado da prova por Jorge Lorenzo, e considerou que o erro em Assen só aconteceu porque o italiano sentiu que podia tirar mais da YZR-M1.
Valentino Rossi segue contando com a confiança da Yamaha (Foto: Yamaha)
Paddockast #23
Lágimas em Le Mans



“Três corridas sem resultados é uma coisa dura. Mas temos de olhar para a situação da forma correta”, disse Jarvis. “Nós achamos que, em Montmeló, ele talvez pudesse ter corrido pela vitória. A situação não é tão ruim. Inclusive em Assen, por como estava indo não a sexta ou o sábado, mas o domingo, quando a moto funcionava muito melhor. No fim, da moto estava bem acertada. Mas ele cometeu um erro. E cometeu, pois apertou porque a moto lhe dava mais”, seguiu.
 
“Acho que os fatos são os fatos: três corridas seguidas com zeros e sem resultados, três quedas, é muito ruim. Mas, em Montmeló, ele não pode fazer nada. Em Assen, não controlaram bem, porque a moto era suficientemente rápida, de outro modo, não teria conseguido os resultados que conseguiu, então é importante estar junto a ele, apoiá-lo e encontrar uma maneira de trabalharmos juntos nas próximas corridas”, defendeu.
 
Ainda, Jarvis assegurou que a Yamaha não perdeu a fé no italiano e frisou que ele ainda é o líder do time na tabela do campeonato.
 
“Nossa fé nele não mudou em absoluto. Ele ainda é o piloto mais rápido da Yamaha no que diz respeito aos pontos, ainda está à frente de [Fabio] Quartararo, então não questionamos nossa fé nele, mas temos de trabalhar melhor”, reconheceu. “Sabemos pelo passado que, às vezes, ele só chegava ao acerto certo no domingo, as sensações adequadas e tudo mais. Mas precisamos dele desde sexta-feira. Essa é a nossa missão, nosso desafio”, sublinhou.
 
O GP da Alemanha de MotoGP está marcado para o domingo, às 9h (de Brasília). Acompanhe aqui a cobertura do GRANDE PRÊMIO.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.