Yamaha surge vitaminada e dá chance a Quartararo de acertar contas com Misano

Depois de bater na trave no ano passado, o francês terá a chance de aproveitar o ritmo superior da Yamaha em Misano e, enfim, conquistar o GP de San Marino. Maverick Viñales e Franco Morbidelli, porém, prometem dificultar a vida do líder do Mundial, enquanto Valentino Rossi precisa buscar mais um pouquinho de ritmo para aumentar poder de fogo

Fabio Quartararo tem contas a acertar com Misano. No ano passado, depois de liderar a maior parte das 27 voltas da corrida, o então estreante sucumbiu ao ataque de Marc Márquez na volta final e acabou na segunda colocação. Agora, porém, o piloto de Nice tem a chance de aproveitar o encaixe certeiro da Yamaha com o circuito Marco Simoncelli para encerrar o jejum da YZR-M1 no traçado samarinês ― a última vitória data de 2014, com Valentino Rossi.

O líder da MotoGP, contudo, não terá a chance de uma revanche. Afinal, o algoz do ano passado sequer embarcou para San Marino e segue em casa, em Cervera, em recuperação da fratura que sofreu no GP da Espanha, primeira etapa da temporada. Sem Marc e a ameaça da Honda ― que praticamente desapareceu do mapa no instante em que a roda da RC213V causou a fratura no úmero do hexacampeão ―, Fabio terá de encarar uma disputa doméstica, já que a M1 reinou soberana no circuito localizado na Via Daijiro Kato.

Fabio Quartararo, MotoGP 2020, Misano, Classificação
Fabio Quartararo mostrou o melhor ritmo de corrida em Misano (Foto: SRT)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Se na sexta-feira a KTM apareceu para rivalizar com o protótipo de Iwata, neste sábado a RC16 não deu nem para o cheiro. A Yamaha dominou todos os treinos e, pela primeira vez, colocou os quatro pilotos no top-4 do grid da MotoGP: Maverick Viñales anotou 1min31s411 e ficou com a pole, 0s312 à frente de Franco Morbidelli. Quartararo fecha a primeira fila, com Valentino Rossi surgindo na sequência para cobrir as quatro primeiras posições com 0s466.

Pelo que se viu nas quatro sessões livres realizadas sob o sol de Misano, Quartararo é dono de um ritmo superior, com Morbidelli e Viñales bem próximos na sequência. Rossi, por sua vez, tem um passo ligeiramente mais lento, mas o piloto de Tavullia é conhecido por ganhar força no domingo ― e isso muito antes de trazer o Viagra para o universo da classe rainha.

Mas apesar da superioridade demonstrada até aqui, o quarteto segue com os pés no chão e não espera apenas protagonismo da M1, especialmente por terem de recuperar terreno depois de apresentações pouco empolgantes nas corridas da Áustria.

“A corrida é sempre muito diferente, especialmente a aderência na pista, que muda muito”, disse Viñales. “O que vou tentar fazer é forçar desde as primeiras voltas, curtir a corrida e todas as voltas. Honestamente, depois de três corridas ruins, a única coisa que quero fazer é curtir a corrida e batalhar pela vitória. Isso é o mais importante”, defendeu.

Morbidelli acompanhou a visão de Viñales e evitou se animar com a performance exibida até aqui. Afinal, o ritmo da tarde de domingo é o que importa.

Maverick Viñales, MotoGP 2020, Misano, Classificação
Maverick Viñales vai sair na pole neste fim de semana (Foto: Yamaha)

“Eu não sei, eu também não sei. Me sinto bem com o ritmo, mas temos de ver o que acontece amanhã. Como Maverick disse, as coisas mudam um pouco”, sublinhou. “De qualquer forma, é bom ser rápido. Foi bom ser rápido no TL4 e durante todo o fim de semana, mas o importante é ser rápido na corrida. É importante entender a situação e as condições rapidamente, se adaptar a elas ligeiramente e tentar ser veloz também na corrida. Isso significa que alguns pilotos que hoje não pareciam muito bem, podem ser rápidos amanhã na corrida”, reconheceu.

Quartararo citou até alguns nomes que espera ver dentro da briga pela vitória no GP de San Marino e da Riviera de Rimini: Jack Miller e Álex Rins, quinto e sétimo no grid, respectivamente. Mas se mostrou otimista em relação ao potencial do protótipo de Iwata.

“Se não estou enganado, acho que Jack é o quinto, então ele estará lá na primeira curva. Sabemos que ele sempre faz ótimas largadas, então será importante tentar não perder muito tempo, mas parece que a Yamaha tem um pouco mais de ritmo do que os outros”, admitiu. “Talvez Rins também seja bem rápido, mas para mim, será uma luta entre a Yamaha se todo mundo chegar em segurança à metade da corrida, pois acho que temos um pouquinho a mais de ritmo no final”, opinou.

Mais experiente entre os pilotos da marca nipônica, Rossi não escondeu a alegria com a forma da Yamaha, especialmente após o desempenho abaixo da média do Red Bull Ring.

“Não consigo explicar o quanto estou feliz por nossa moto estar tão rápida, pois sofremos muito na Áustria e foi muito frustrante, mas aqui a M1 é a melhor moto e essa é uma grande alegria”, declarou Valentino. “Não podemos esquecer das Ducati da Pramac e das Suzuki, pois parece que elas também têm um bom ritmo”, alertou.

“Espero que a briga pela vitória seja entre nós, entre as Yamaha, mas tudo pode acontecer na corrida”, reconheceu.

Valentino Rossi, MotoGP 2020, Misano, Classificação
Valentino Rossi vai abrir a segunda fila (Foto: Yamaha)

Mais recuperado da lesão no ombro que sofreu em Jerez no início do campeonato, Rins também acredita que a Suzuki pode colocar um tempero na corrida de domingo.

“As Yamaha mostraram que são muito rápidas em uma volta. Olhando por cima, Fabio e Maverick têm o melhor ritmo, mas não nos descartamos”, comentou Álex. “Temos de fazer uma largada muito boa para nos colocarmos bem na primeira volta”, ponderou.

“Maverick e Fabio têm um ritmo muito bom e Valentino sairá muito motivado correndo em casa, mas tudo vai depender das primeiras voltas”, considerou. “Sair das primeiras duas filas é uma grande vantagem, pois este é um circuito estreito, não podemos errar, temos de parar a moto no ponto certo. É difícil saber que Yamaha podemos tirar do pódio, mas acho que temos condições de lutar por isso”, completou.

Companheiro de Suzuki, Joan Mir ficou com o oitavo posto no grid e também confia no desempenho da GSX-RR em Misano.

“Não estamos longe dos nossos competidores, mas é verdade que as Yamaha deram um passo aqui em termos de volta lançada”, avaliou Mir. “Temos um bom ritmo e o TL4 foi melhor do que eu esperava, mas foi um bom dia de treinos e estamos prontos para a corrida de amanhã”, assegurou.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP de San Marino e da Riviera de Rimini, sétima etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Confira as imagens desde sábado de GP de San Marino e da Riviera de Rimini de MotoGP

Álex Rins se mostrou confiante no ritmo da Suzuki (Foto: Suzuki)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube