MotoGP

Zarco ressalta dia de sentimentos divididos com KTM e lamenta que tempo de volta “não veio tão fácil”

Johann Zarco não teve um começo tão fácil com a KTM. Mesmo animado com o potencial da nova equipe, reconheceu que o primeiro dia de treinos pré-temporada, em Valência, não conseguiu mostrar a velocidade desejada
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Johann Zarco (Foto: Circuito Ricardo Tormo)
Johann Zarco não teve um começo dos sonhos com a KTM. Após o primeiro dia de treinos pré-temporada, o piloto reconheceu que estavam um pouco mais lentos do que o desejado, mas que é apenas o primeiro dia de ensaios.
 
Na abertura dos testes, o francês foi o primeiro a sair para a pista, mas no final anotou apenas a 17ª marca da tabela, sendo 1s4 mais lento que o primeiro colocado e sustentando 0s6 de desvantagem para seu companheiro, Pol Espargaró.
 
“Fiquei um pouco triste que o tempo de volta não veio tão fácil. Tivemos que mudar muitas coisas na moto apenas para achar a base da moto. Não é um drama, pois é o primeiro dia, é realmente outro espirito se comparado com o que tive nos dois últimos anos na MotoGP”, explicou.
Johann Zarco (Foto: MotoGP)
“Depois que acharmos uma boa base, espero que nas condições secas já comecemos no mais alto nível da moto. Tivemos um pouco de falta de sorte que a chuva começou, pois não estávamos usando os novos pneus para tentarmos ser rápidos, e estávamos no caminho para ao menos ficar em uma melhor posição, mas não havia tempo. Então, é um sentimento dividido”, completou.
 
Zarco ainda ressaltou que as entradas de curva foram o ponto em que mais sofreu durante a sessão. “É um traçado pequeno aqui onde você deve se sentir confortável em ir rápido na curva, talvez esse tenha sido o ponto mais fraco da moto”, frisou.
 
“Não foi possível jogar com a velocidade na entrada da curva, então você perde tempo, caso venha muito lento, não consegue ser rápido. Acredito que foi bom entender isso já. Não temos nenhum problema com pneus, aderência traseira, não posso reclamar sobre essas coisas, pois não éramos rápidos o suficiente”.
 
“Precisamos fazer as coisas claras e então, quando formos rápidos, termos o potencial de trabalhar bem. Eu diria que a entrada da curva tem sido a parte mais difícil para mim, é por isso que fui um pouco lento”, encerrou.