Austin Dillon se beneficia de acidente de Kyle Busch e parte para vitória na etapa da Xfinity em Charlotte

Uma prova que parecia destinada a Kyle Busch acabou trocando de mãos quando o #54 se envolveu em um acidente com Kasey Kahne, deixando ambos os carros com danos consideráveis. Com isso, a vitória caiu no colo de Austin Dillon, que soube tirar proveito dos infortúnios alheios

Austin Dillon talvez não tenha sido o piloto com o melhor carro na etapa deste sábado (9) da Xfinity Series, disputada em Charlotte. Mas certamente foi o que mais soube se beneficiar dos infortúnios alheios. Kyle Busch, depois de dominar a primeira metade da disputa, sofreu um acidente com Kasey Kahne e saiu da briga pela vitória – abrindo caminho para o triunfante Dillon.
 
Depois do acidente de Kyle, Austin Dillon só precisou se preocupar com Erik Jones que, fazendo uma prova sólida, chegou a ensaiar um ataque contra o novo líder, mas recuou e garantiu o segundo posto. Brad Keselowski, Daniel Suárez e Regan Smith fecharam o top-5.
Austin Dillon lucrou com o acidente de Kyle Busch (Foto: Reprodução/Twitter)
É importante ressalta que uma relargada ruim de Kyle Busch o colocou em uma posição ruim. Relargando em primeiro, o #54 caiu para terceiro e passou a ser pressionado por Kahne, então quarto. O imbróglio acabou com os dois pilotos no muro e danos sérios para o irmão de Kurt.
 
Os candidatos ao título da Xfinity tiveram uma noite de coadjuvantes. Chris Buescher perdeu posições nos boxes e nunca mais se recuperou, acabando em sétimo. Mas Chase Elliott, apagadíssimo, acabou em nono e viu a vantagem do rival aumentar em dois pontos.

Saiba como foi a etapa de Charlotte da Xfinity

 
A largada foi dada e, logo nos primeiros momentos, Austin Dillon perdeu a liderança. Kasey Kahne, com mais ação, tomou a ponta na volta 7. Kyle Busch, Chris Buescher e Erik Jones fechavam o top-5.
 
No 14º giro, Kyle Busch atacou Austin Dillon, tomando a segunda posição. Jones, depois de passar Buescher, também passou Dillon, assumindo o terceiro lugar. Enquanto isso, Kahne abria 3s de vantagem.
 
Apesar da vantagem, o ritmo de Kahne estava longe do ideal. A vantagem logo foi destruída por Kyle Busch, que, com grande facilidade, tomou a ponta na volta 40.
 
Austin Dillon, assim como Kahne, não vinha rendendo o esperado. Depois de cair para quarto, o irmão de Ty foi ultrapassou por Buescher, líder do campeonato.
 
A primeira bandeira amarela da noite veio no 49º giro, por causa de detritos na pista. Os pilotos aproveitaram para fazer a primeira parada da noite, que não acarretou em alterações significativas na classificação. A única mudança foi Jones passando Kahne nos pits.
Dillon largou na pole, mas perdeu a posição para Kahne pouco depois (Foto: Nascar)

Depois de poucas voltas sem ação, os pilotos relargaram – e Kyle Busch disparou, sem dar chances para os adversários.

 
Atrás, Jones segurava o segundo lugar, seguido por Buescher, Kahne e Austin Dillon.
 
Kahne, depois de perder algumas posições, tratava de tentar dar a volta por cima. O #88 logo colou em Buescher, conseguindo concretizar a manobra depois de duas voltas de disputa.
 
Todavia, Kahne não conseguiu sustentar o posto por muito tempo. Austin Dillon, agora com um ritmo mais adequado, deixou ambos Kasey e Chris para trás.
Com quase metade das 200 voltas completas, os pilotos começaram a se preocupar com pits em bandeira verde. Kyle Busch tentava fazer seu trecho render o máximo possível, enquanto Jones ia aos boxes no 99º giro.
 
Kyle Busch parou na volta 101, sendo seguido pelos outros ponteiros. Quando o ciclo se encerrou, o #54 seguia líder, ainda com Jones em segundo. Austin Dillon, Kahne e Buescher fechavam o top-5.
Kyle Busch parecia capaz de vencer, mas encontrou um Kasey Kahne no caminho(Foto: Nascar)
Enquanto os ponteiros se afirmavam nas primeiras colocações, Daniel Suárez tratava de mexer um pouco com a corrida. O mexicano começou a galgar posições depois do segundo ciclo de pits, eventualmente entrando no top-5, depois de passar Buescher.
 
Ao passar Buescher, Suárez fazia um favor para Chase Elliott. O atual campeão da Xfinity, que vinha em uma apagada 11ª posição, tentava minimizar o prejuízo na luta pelo título. Olhando por esse prisma, o líder do campeonato estar fora do top-5 era uma boa notícia.
 
Com 56 voltas para o fim, a segunda bandeira amarela da noite foi acionada – novamente por causa de detritos na pista. Os pilotos foram aos boxes, mas o top-5 – Kyle Busch, Jones, Austin Dillon, Kahne e Suárez – não foi alterado. Enquanto isso, Buescher perdia quatro posições, ficando em décimo.
 
Na relargada, as posições se embaralharam um pouco mais. Jones e Austin Dillon passaram Kyle Busch, que, por sua vez, estava ocupado tentando segurar Kahne.
 
À frente, Jones e Austin Dillon brigavam pela liderança com mais intensidade. Apesar do esforço de Erik, Austin tomou a ponta. Enquanto isso, Kyle Busch e Kahne viam Brad Keselowski, agora em quinto, se aproximando para disputar posições.
 
Kasey e Kyle, depois de andar lado a lado por algum tempo, se tocaram. Busch, por fora, levou a pior e bateu no muro externo com alguma força.
 
A bandeira amarela foi acionada por causa dos toques. Enquanto isso, ambos Kasey e Kyle faziam pits emergenciais para reparar danos nos carros.
 
Kahne conseguiu voltar para a pista, em 12º, enquanto Busch recolhia para a garagem, checando danos.
 
Na relargada, Dillon conseguiu abrir alguma vantagem sobre Jones, que passava a se preocupar mais com Keselowski, terceiro. Suárez e Regan Smith fechavam o top-5.

Daí em diante, as posições no top-5 se estabeleceram. Sem ser ameaçado pela vitória, Dillon rumou para o Victory Lane sem maiores dificuldades.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube