Beneficiado por interrupção e azar de Harvick, Kurt Busch vence etapa de Michigan afetada por chuva

A etapa da Sprint Cup em Michigan, comprometida por causa da chuva, não chegou ao fim. Beneficiado pela paralisação, Kurt Busch, então líder, garantiu a segunda vitória em 2015. O #41 também contou com o azar de Harvick, que enfrentou problemas com o pneu dianteiro, caindo de primeiro para 29º

Kurt Busch teve alguma sorte na etapa de Michigan da Nascar, disputada neste domingo (14). O piloto não só contou com um pneu furado de Kevin Harvick como também teve o apoio do clima. A chuva desabou com tudo com 62 voltas para o fim e a direção de prova optou por não recomeçar a etapa.
 
Esta é a segunda vitória de Kurt Busch em 2015, que também havia vencido em Richmond. O piloto já estava garantido no Chase.
 
Era a quarta e última paralisação por causa da chuva, que já havia interrompido a prova por 2h30min. Dada esta situação, era consenso que a direção de prova queria garantir pelo menos 50% da prova, assim dando 100% dos pontos aos pilotos.
Kurt Busch levou a melhor na truncada etapa de Michigan (Foto: Getty Images)
Sabendo que a próxima interrupção por causa da chuva seria definitiva, alguns pilotos optaram por não parar. Kyle Larson, por exemplo, evitou os boxes o máximo possível, na esperança de ver a prova sendo interrompida com o #42 na ponta. Todavia, falhou.
 
Kevin Harvick, ao longo da tarde, havia mostrado um ritmo melhor que o dos demais. Mas suas chances de vitória zeraram após o último pit, em que enfrentou problemas com um pneu dianteiro. Consequentemente, precisou parar mais duas vezes, terminando em 29º.

Saiba como foi a etapa da Sprint Cup em Michigan

 
O clima em Michigan prometia dificultar a vida dos fãs da Nascar. A chuva havia atingido a região norte dos Estados Unidos nas primeiras horas do dia. A sorte é que o sol começou a abrir e, com o auxílio dos jet-dryers, a corrida não precisou ser postergada. As temperaturas, 23ºC, continuavam amenas.
Kasey Kahne manteve a ponta na largada, mas por apenas uma volta. Carl Edwards, que havia largado em quarto, engatou um belíssimo começo, também superando Kevin Harvick e Brad Keselowski
 
Ao fim da quarta volta, a ordem era Edwards, Kahne, Harvick, Jeff Gordon e Ryan Blaney.
 
A bandeira amarela veio logo na volta 10, e por um péssimo motivo. A chuva tinha atingido o oval. Assim sendo, não tardou para a bandeira vermelha ser acionada.
 
Passada mais de uma hora sem ação na pista, a direção de prova permitiu que os carros saíssem dos boxes.
 
Mas a mãe natureza foi sacana. Muito sacana. Assim que os carros saíram dos boxes, uma outra garoa atingiu Michigan. Logo virou uma chuva forte, retardando o recomeço em mais uma hora. Eventualmente, os carros saíram dos boxes – agora era regime de bandeira amarela.
 
E ainda demoraria mais um pouco para vermos a bandeira verde. O pneu traseiro de Alex Bowman explodiu, deixando vários detritos na reta oposta.
 
Quando a bandeira verde finalmente veio, Edwards conseguiu manter a ponta. Kahne era segundo, enquanto um incrível Martin Truex Jr. assumia terceiro. Gordon e Harvick fechavam o top-5.
 
Edwards começou a abrir muito. Parecia um foguete. Truex Jr. passou Kahne logo depois, mas o #78 também não era capaz de chegar perto de Carl.
Harvick tinha o melhor ritmo, mas perdeu por causa de problemas nos pneus (Foto: Nascar)
A briga pela quarta colocação estava ficando cada vez mais quente. Gordon segurava Harvick, criando chances para Keselowski chegar junto.
 
A bandeira amarela de competição, programada, foi acionada na volta 40. Os pilotos, todos, foram aos boxes. A grande maioria optou por trocar apenas dois pneus.
Na saída dos pits, Harvick era o novo líder. Dale Earnhardt Jr., Kyle Busch, Edwards e Kahne fechavam os cinco primeiros. Jimmie Johnson, depois de problemas nos boxes, havia caído para 41º.
 
Mal sabiam eles que a bandeira verde não seria vista tão cedo. A chuva – mesmo que combinada com o sol – voltou, causando a terceira paralisação da tarde. Desta vez a corrida foi retardada em apenas meia hora.
 
Na relargada, Edwards tomou a segunda posição, deixando Dale Jr. e Matt Kenseth para trás. Mas ninguém foi capaz de superar Harvick.
 
A briga pela quinta posição era entre irmãos: os Busch. Mas, como normalmente acontece nas famílias ao redor do mundo, o mais novo levou a pior. Kyle foi tocado por Kurt, indo reto em direção ao muro e comprometendo muito o #18. Bandeira amarela.
A chuva que caiu no fim sacramentou o fim da prova (Foto: Reprodução/TV)
Via rádio, muitos pilotos reclamavam da decisão de autorizar a relargada. Segundo eles, ainda chovia em alguns pontos da pista. Gordon, por exemplo, soltou uma série de palavrões contra a decisão.
 
Harvick conseguiu manter a ponta na nova relargada, enquanto Edwards via Kenseth assumir segundo lugar. Kurt Busch e Keselowski fechavam o top-5.
 
A quinta posição trocou de mãos quando Keselowski cometeu um erro e caiu para oitavo. Quem herdou a colocação foi Kahne – até ser ultrapassado por Truex Jr.
 
O quarto, Kurt Busch, vinha com uma acentuada perda de ritmo. Depois de ser ultrapassado por Truex Jr., optou por ir aos boxes, mesmo que em bandeira verde.
 
Poucas voltas se passaram até que os outros líderes optassem pelo mesmo. Harvick, ao parar, havia voltado em 18º – mas ainda na frente dos outros que fizeram pits, como Kenseth, Edwards e Kurt Busch.
 
Dos pilotos que ainda não haviam parado, Joey Logano, Denny Hamlin e Danica Patrick depontavam. Enquanto isso Harvick, já em quinto, era quase 1s mais rápido que aqueles com pneus velhos.
 
Mas a audácia de Logano cobrou seu preço. O #22 ficou sem combustível, abrindo caminho para Danica assumir a liderança. Harvick, Kenseth, Edwards e Dale Jr. fechavam os cinco primeiros.
 
Danica parou pouco depois, abrindo espaço para Harvick, novo líder. Com 100 voltas completas, a vantagem sobre Kenseth já era de 2s8.
 
Enquanto isso, Edwards perdia a frente do carro na curva, perdendo uma série de posições e ficando em oitavo. Dale Jr, Kurt Busch e Truex Jr. ganharam posições dentro do top-5 com isso.

O dia de Kenseth ficou um pouco pior na volta 113. Matt, depois de se consolidar em segundo, perdeu ritmo e deixou Dale Jr. escapar. Mais quatro voltas e Kurt Busch fez o mesmo.
 
Harvick partiu para outra rodada de pits na volta 120. Mais um giro e Dale Jr e Kurt Busch fizeram o mesmo.
 
Kevin, todavia, enfrentou o azar pouco depois. Na volta seguinte, um dos pneus do #4 furou, exigindo um pit extra. Assim, perdeu duas voltas em relação aos líderes.
 
Um pedaço de borracha, possivelmente de Harvick, ficou na pista e causou uma bandeira amarela. Poucos pilotos foram aos boxes – alguns deles sendo Keselowski, Edwards e Logano.
 
A classificação estava virada do avesso. Alguns dos pilotos que não haviam parado o fizeram na esperança de que a chuva voltasse e acabasse com a corrida em definitivo.
 
Nesse momento, a ordem era Kyle Larson, Dale Jr., Truex Jr., Kurt Busch e Kenseth.
 
Larson segurou a liderança na relargada, enquanto Kurt Busch tomava o segundo lugar de Dale Jr. Truex Jr, por sua vez, abria caminho para Logano.
Mas Larson estava com pouco combustível e não pôde ficar muito tempo na pista. A tática de torcer por chuva havia falhado. O novo líder era Kurt Busch.
 
Enquanto isso, Logano perdia posições para Truex Jr. e Kenseth.
 
E aí parou tudo, no melhor estilo João Kléber. A chuva havia voltado – e com força.
 
Dessa vez, não teríamos relargada. Metade da prova já fora disputada, suficiente para dar os pontos em sua plenitude aos pilotos. Era a segunda vitória de Kurt Busch em 2015.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube