Beneficiado por pane seca, Kyle Busch herda vitória de Buescher na etapa da Xfinity em Bristol

Chris Buescher adotou uma estratégia ousada, optando por evitar os boxes e poupar combustível. Mas o esforço não foi suficiente: o #60 teve uma pane seca na última relargada e jogou a vitória no colo de Kyle Busch, que deu sequência a seu ótimo retrospecto em provas da Xfinity Series em Bristol

Kyle Busch é dono de um belo retrospecto em provas da Xfinity Series em Bristol. E o motivo ficou claro na etapa desta sexta-feira (21). Fazendo uma prova constante, o #54 evitou os erros de seus rivais e partiu para uma vitória suada.
 
Em um primeiro momento, parecia que a vitória iria cair no colo de Chris Buescher. O #60 evitou os boxes, optando por poupar o máximo de combustível possível. Mas a poupança não foi suficiente: o novato ficou sem etanol logo após a última relargada. Com isso, terminou em um melancólico 11º posto.
Kyle Busch deu sequência ao ótimo retrospecto na Xfinity (Foto: AJ Mast/AP)
Denny Hamlin foi o piloto que mais liderou voltas, mas não foi o competidor mais constante. Com pits lentos e relargadas medianas, o companheiro de Kyle Busch não conseguiu se manter nas condições ideais. O resultado foi um terceiro posto para o #20, atrás de Kyle Larson.

Apesar do resultado ruim, Buescher segue líder da Xfinity Series. Mas a vantagem é menor: Ty Dillon, que conseguiu um inesperado quarto lugar nas últimas voltas, diminiu a diferença para 19 pontos. Chase Elliott, 23 pontos atrás, também sonha com o título.
 
A próxima etapa da Xfinity Series será disputada em Road America, já no próximo final de semana.

Saiba como foi a etapa da Xfinity em Bristol

 
Denny Hamlin começou a corrida na pole, e assim continuou nas voltas iniciais da prova de Bristol. Mas também não foi tanto tempo assim: poucos minutos bastaram para que Kyle Busch, companheiro de equipe tomasse a liderança.
 
Hamlin só conseguiu começar a ameaçar o líder por volta do 25º giro. Kevin Harvick, terceiro, logo havia ficado para trás. 
 
Depois de andar do lado de Kyle Busch por algumas voltas, Hamlin tomou a ponta em definitivo. Mas por pouco tempo: novamente, Kyle não tardou em dar o troco.
 
Novamente líder, Kyle Busch não teria a oportunidade de abrir sobre Hamlin. Isso por causa da primeira bandeira amarela da tarde, por causa de detritos na pista. Os pilotos foram aos boxes pela primeira vez.
 
Nos pits, Kyle manteve a ponta, mas com Chris Buescher, Kevin Harvick, Ty Dillon e Brian Scott atrás. Isso por causa de uma péssima parada de Hamlin, que caiu para sexto.
 
Mas pior do que a parada de Hamlin foi a largada de Buescher. Lento, segurou toda a sua fila, permitindo que Harvick saltasse para segundo.
A largada para a etapa de Bristol da Xfinity (Foto: AP)
Harvick não teve nem tempo para aproveitar o segundo lugar. Hamlin, andando que nem um louco, logo conseguiu retomar a posição que ocupava antes da bandeira amarela.
 
Na volta 72, a ordem era Kyle Busch, Hamlin, Harvick, Ryan Blaney e Buescher.
A loucura de Hamlin foi compensada na volta 104, quando o pole se aproveitou de um erro de Busch para tomar a liderança. Atrás dos dois, Harvick ganhava velocidade e se aproximava.
 
Harvick, aliás, que também não teve dificuldades para passar Kyle Busch, um pouco mais lento. Agora em segundo, Kevin não tardou em se aproximar de Hamlin.
 
Mais atrás, Kyle Larson apresentava velocidade, deixando Buescher para trás e assumindo o quarto posto. Blaney, enquanto isso, vinha em queda livre na classificação.
 
Hamlin tentava colocar voltas em todo mundo, e a afobação logo cobrou seu preço. Denny ficou preso atrás de Brendan Gaughan, o que entregou a ponta para Harvick. A sorte do piloto da Joe Gibbs foi que Harvick não conseguiu se defender muito bem, perdendo a ponta.
 
A bandeira amarela foi acionada logo depois, por causa de detritos na pista. Com isso, os pilotos partiram para mais uma parada.
Chris Buescher fez uma prova sólida. Mas a pane seca no fim acabou com as chances de vitória (Foto: Reprodução/Twitter)
Nos boxes, a única grande diferença nas posições foi a ultrapassagens de Larson sobre Busch.
 
Hamlin manteve a ponta na relargada, com Harvick, Busch, Blaney e Scott atrás. Larson, com uma largada ruim, acabou em sexto.
 
A bandeira amarela retornou logo depois. Joey Gase foi rodado por John Wes Townley, até acabar batendo no muro.
 
A relargada seguinte quase colocou Harvick na ponta, mas acabou com a manutenção de Hamlin à frente. Blaney conseguiu deixar Kyle Busch para trás, ficando em terceiro.
 
Enquanto isso, drama para Harvick. Kevin cometeu um erro, ficando lento na pista até conseguir se reposicionar. Com isso, caiu para quinto, atrás de Larson.
 
E Larson foi um problemão para Harvick. O atual campeão da Sprint Cup ficou preso por várias voltas do #42, até fazer a ultrapassagem no 189º giro.
 
A volta 192 chegou e, com ela, a quarta bandeira amarela. Cale Conley fora tocado por trás, rodando e perdendo posições.
 
Nos boxes, Hamlin, Busch e Blaney seguiram os três primeiros dentre os que haviam parado. Larson ficou como o quarto deste grupo, depois de um pit lento de Harvick. Mas o líder, de fato, era Buescher.
Hamlin liderou muitas voltas em Bristol, mas não teve a constância de Kyle Busch (Foto: Reprodução/Twitter)
Buescher, ao contrário do que o senso comum indicaria, conseguiu manter a ponta na relargada. Isso muito por causa da partida ruim de Hamlin, que perdeu posições para Kyle Busch e Kyle Larson, ficando em quarto.
 
A sétima bandeira amarela pintou após 214 giros. JJ Yeley, lento na pista, foi atingido por Dakoda Armstrong. Os dois carros ficaram com sérios danos.
 
A relargada veio logo depois. Buescher conseguiu manter a ponta novamente. Enquanto isso, Hamlin passava Larson, logo colando em Kyle Busch.
 
Com Hamlin e Busch se desafiando, Buescher tentava abrir. Larson e Daniel Suárez fechavam o top-5.
 
Buescher, mesmo com pneus velhos, conseguia se manter com segurança na liderança. Havia até uma vantagem sobre Kyle Busch. Pena que isso seria anulado após mais uma amarela: Elliott Sadler foi tocado por Gaughan, fazendo o novato ser jogado contra o muro.
 
A relargada foi dada, mas outra seria necessária  Dylan Kwasniewski e Ryan Reed haviam se tocado antes mesmo da curva um, rodando na sequência.
Era a sétima bandeira amarela da tarde. Buescher, Kyle Busch, Larson e Hamlin evitaram os boxes, faltando 36 voltas para o fim.
 
Buescher, dando sequência a um ótimo trabalho, manteve a liderança na relargada, ainda com Kyle Busch em segundo. O terceiro passou a ser Hamlin, com Larson e Blaney logo atrás.
 
Blaney, aliás, que logo perdeu seu top-5. O piloto da Penske precisou fazer um pit extra, relatando problemas na traseira do carro.
 
A última bandeira amarela foi acionada com cinco voltas para o fim, por causa de uma batida de Brad Teague. Com isso, a corrida iria para a prorrogação.

Agora, o trabalho de Buescher era teoricamente simples: poupar combustível e manter a ponta. A parte de seguir líder foi feita com sucesso, mas o etanol secou logo em seguida. A vitória caiu no colo de Kyle Busch.

Atrás de Kyle Busch, Larson, Hamlin, Ty Dillon e Suárez completaram o top-5 em Bristol.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube