Corrida caótica da Nascar em Darlington acaba com Edwards batendo Keselowski e conseguindo vitória improvável

A prova de Darlington da Sprint Cup, disputada neste domingo (6) foi marcada pelo acaso. Depois de um recorde de bandeiras amarelas – 18 –, Carl Edwards, que já havia levado uma volta do líder, Brad Keselowski, se recuperou e partiu para sua segunda vitória da temporada

As 4h29min de prova da Nascar em Darlington, neste domingo (7), tiveram duas coisas acontecendo frequentemente: Brad Keselowski na liderança e bandeiras amarelas. Mas, no fim, as coisas mudaram: os trechos em bandeira verde ficaram mais longos e Carl Edwards deu a volta por cima para vencer a segunda em 2015.
 
O #19 chegou a ficar uma volta atrás do líder depois de uma decisão errada nos boxes. Edwards optou por trocar apenas dois pneus em uma bandeira amarela, ficando muito lento na pista. Quando fez uma parada em bandeira verde para reverter o erro, levou uma volta de Brad Keselowski. Mas, quase 300 voltas depois, o piloto da Penske seria batido pelo da Joe Gibbs Racing.
Edwards, em prova caótica, conseguiu sua segunda vitória em 2015 (Foto: AP)
Atrás dos protagonistas, Denny Hamlin cruzou a linha de chegada em terceiro. O #11 teve papel crucial na vitória do companheiro de equipe: segurou Keselowski na última relargada, impedindo que o #2 atacasse Edwards. Joey Logano e Kevin Harvick, quarto e quinto, também fizeram provas elogiáveis, mas cederam no final.

A prova acumulou o incrível número de 18 bandeiras amarelas, registrando o novo recorde do oval de Darlington – o máximo anterior fora 17. Com isso, vários pits marcaram a disputa – o que chegou a ameaçar o limite de pneus fornecidos pela Goodyear, 12.

A próxima prova da Nascar, última antes do Chase, será no oval de Richmond. No próximo sábado (12), os pilotos decidirão as últimas vagas em aberto para o mata-mata da Nascar.

Saiba como foi a etapa de Darlington da Sprint Cup

 
Brad Keselowski sustentou a primeira posição, conquistada com a pole de sábado (5). Kevin Harvick saltou para segundo, passando seu companheiro de equipe, Kurt Busch, que também foi passado por Joey Logano e caiu para quarto. Jeff Gordon sustentava o quinto posto.
 
A primeira bandeira amarela veio já na volta 7. Chase Elliott e Cole Whitt se tocaram, rodando na reta oposta. Brett Moffitt, à frente da dupla, também foi afetado.
Na relargada, Kurt Busch tratou de despachar Logano. Mais uma volta e Harvick foi outra vítima. Enquanto isso, Keselowski tratava de abrir vantagem.
 
Logano e Gordon, todavia, sofriam para sustentar as posições. Poucas voltas após a relargada e o #22 aparecia em quinto, e o #24, sexto. Martin Truex Jr. passou a dupla e assumiu o quarto posto.
 
A briga particular entre Logano e Gordon logo esquentou. E o #24, naquela que poderia ser sua melhor prova em meses, assumiu o quinto lugar.
 
Matt Kenseth, que vinha beliscando o top-5, sofreu uma forte baixa no 22º giro. O #20 saiu de traseira, tocando com certa força no muro – o que o obrigou a fazer uma longa parada. Greg Biffle, enquanto isso, era vítima de um pneu furado.
 
Com 31 voltas de prova, Keselowski e Kurt Busch já tinham grande vantagem sobre o terceiro colocado, Harvick: 3s.
A largada para a etapa de Darlington da Sprint Cup (Foto: AP)
Mas 3s não é nada que Harvick não pudesse descontar. 15 voltas depois, o atual campeão encostou em Kurt e assumiu o segundo posto.
 
Logo depois, a bandeira amarela foi acionada. Ryan Newman havia rodado sozinho. Com isso, a maioria dos pilotos iria aos boxes.
 
Keselowski seguia liderando o pelotão. Harvick, Kurt Busch, Truex Jr. e Denny Hamlin o seguiam.
 
Keselowski manteve a ponta na relargada, enquanto Kurt Busch passava Harvick. Carl Edwards fez o mesmo com seu companheiro, Hamlin, entrando no top-5.
 
A bandeira amarela retornou na volta 67, quando detritos foram notados na reta principal. Depois dos pits, Kasey Kahne – trocando apenas dois pneus –, Keselowski, Hamlin, Kurt Busch e Logano eram os primeiros.
 
Hamlin não teve dificuldades para deixar Kahne para trás. Logano fez o mesmo pouco depois. Agora, Kurt Busch e Keselowski estavam nos retrovisores do #5.
 
Daí em diante, o que se viu foi Kahne despencar. Kurt, Keselowski, Harvick, Larson, Gordon… todos passaram Kasey.
 
Mais algumas voltas e ficou claro que trocar apenas dois pneus foi uma péssima ideia. Kahne, Edwards e Danica Patrick, três que tomaram essa decisão estavam abaixo do 25º posto.
 
Keselowski, depois de dominar as primeiras 50 voltas, parecia incapaz de manter um bom ritmo. Depois de se consolidar em terceiro após a relargada, o #2 foi ultrapassado por Harvick. A sorte do #2 é que Logano, quinto, estava distante.
Hamlin liderou muitas voltas no começo da prova em Darlington (Foto: Nascar)
Com 108 voltas, a quarta amarela. Michael Annett rodou sozinho na reta oposta. Era a deixa para mais uma rodada de paradas.
 
Hamlin manteve a ponta após a parada. Keselowski, Harvick, Kurt Busch e Logano fechavam o top-5.
 
As únicas alterações pós-relargada foram as ultrapassagens de Kurt sobre Harvick e de Truex Jr. sobre Logano, entrando no top-5.
 
Mas isso até Keselowski acordar. O #2 passou Hamlin, que também acabou perdendo posição para Kurt Busch e Harvick. A bandeira amarela foi acionada logo depois, por causa de uma batida de Mike Bliss.
A relargada foi dada pouco depois… Para que outra amarela surgisse na sequência. JJ Yeley havia se tocado com o mesmo Bliss.
 
A relargada seguinte também foi irrelevante. Isso por causa de Jimmie Johnson, que rodou após tocar de Logano. Mais uma bandeira amarela, terceira em um curto espaço de tempo.
 
A tentativa seguinte foi melhor sucedida. Keselowski manteve a ponta, com Harvick, Kurt Busch, Truex Jr. e Tony Stewart atrás.
 
Truex Jr., com pneus mais conservados, conseguia fazer um bom trecho. Não tardou para o #78 passar Kurt Busch, assumindo o terceiro posto.
 
Mais algumas voltas e a oitava amarela da tarde surgiu. Trevor Bayne, depois de bater rodas com Danica e Austin Dillon, teve um pneu furado, rodando na pista.
 
Os pilotos, quase pensando em fazer paradas em bandeira verde, pararam. Keselowski saiu à frente, com Kurt Busch, Harvick, Hamlin e Logano atrás.

As cinco posições foram mantidas na relargada. Isso até que, duas voltas depois, Logano ultrapassasse Hamlin, tomando o quarto lugar. Gordon também fez uma manobra sobre Denny, retornando ao top-5 depois de algumas voltas.
 
O que parecia ser um longo trecho de bandeira verde acabou em amarela quando Danica acertou o muro, consequência de uma saída de traseira.
 
Os pilotos foram aos boxes uma vez mais. Keselowski, como de hábito, liderou a saída dos pits, com Kurt Busch, Logano, Harvick e Truex Jr. atrás.
 
Mas, como de costume, a bandeira verde que sucedeu foi breve. Seis voltas após a relargada, Ricky Stenhouse Jr. bateu com certa força no muro interno, acabando com seu #17.
Keselowski teve boas chances de vitória em Darlington (Foto: Nascar)
A nova relargada trouxe a primeira troca de líder em um bom tempo. Kurt Busch passou Keselowski, que se acomodava em segundo. Logano, Harvick e Truex Jr. se mantinham atrás.
 
Mas, bem, adivinhe: mais uma amarela na sequência. Greg Biffle havia rodado após bater em Kyle Busch. Muitos pilotos aproveitaram para ir aos boxes – de onde Logano liderava Hamlin, Kurt Busch, Harvick e Keselowski. Mas o líder, de fato, era Larson, que não havia parado.
 
Mas a liderança de Larson foi breve. Stewart, na mesma estratégia, tomou a ponta.
 
Hamlin, enquanto isso, assumia a ponta entre os pilotos que haviam feito pits. E já vinha em segundo, trazendo Harvick no vácuo, deixando Larson para trás.
 
A liderança de Stewart, raridade nos últimos anos, foi breve, Hamlin logo chegou e passou Tony. Harvick, preso atrás do #14, perdia contato com o novo líder. Quando Kevin conseguiu tomar o segundo posto de seu chefe, Denny já tinha ido embora.
 
A bandeira amarela foi acionada pela 12ª vez na volta 228. Chase Elliott, pela segunda vez na noite, havia encontrado o muro. Isso era ótimo para Stewart e Larson, que perdiam muito ritmo.
 
Nos boxes, Harvick tomou a ponta. Logano, Johnson, Busch, Keselowski e Hamlin vinham atrás.
 
A relargada, dada depois de alguns minutos de limpeza da pista, não alterou o top-5.Outra chance viria na relargada seguinte, após uma bandeira amarela causada por Trevor Bayne.
 
Alguns pilotos optaram por ir aos boxes, enquanto muitos seguiram para os boxes. Logano assumiu a liderança por não parar. Harvick, líder dos que haviam parado, era 11º.
 
Após a relargada, a ordem passou a ser Logano, Truex Jr., Keselowski, Gordon e Hamlin.
 
Essa parecia ser a hora do show da Penske. Keselowski passou Truex Jr., montando uma dobradinha enquanto Logano abria vantagem. Mas Harvick, com pneus novos, já aparecia em quarto e tinha boas chances de estragar a festa.
 
E assim foi feito. Mais três voltas e Harvick passou ambos Truex Jr. e Keselowski, assumindoo segundo posto. No limite do tempo: David Ragan acertou o muro interno, trazendo a enésima amarela da noite.
 
Kyle Busch reciclou a ideia de não fazer uma parada, assumido a liderança. Logano, com pneus novos, era segundo. Hamlin e Harvick estavam atrás.
 
Mas a ideia foi pífia. Kyle Busch perdeu cinco posições em menos de uma volta, entregando de bandeja a liderança para Logano.
 
E mais uma amarela. Ragan foi tocado novamente, batendo no muro com força. Dessa vez, poucos pilotos iriam aos boxes. Isso por causa do limite de sets de pneus, doze, que ameaçava as equipes.
Harvick, sem parar, liderou a nova relargada. Keselowski acompanhava de perto, com Kurt Busch, Truex Jr. e Gordon atrás. O #24, pouco depois, perdeu uma posição para Larson.
Harvick mostrou forte ritmo em Darlington, mas não teve constância (Foto: Nascar)
A 16ª bandeira amarela veio na sequência, e por um motivo banal: detritos na pista. Tentando poupar os poucos pneus novos que restavam, ninguém foi aos boxes.
 
A nova relargada veio e Keselowski aproveitou para tomar a ponta, com Harvick atrás. Kurt Busch estava em terceiro – até ser acertada por Truex Jr. e rodar. Edwards aproveitou para passar a dupla, assumindo o terceiro posto. O #78 ficava em quarto, enquanto o #41 ia para o fundo do grid.
 
Keselowski e Harvick abriram grande vantagem na nova relargada, enquanto Truex Jr. reassumia o terceiro posto, contra Edwards. Larson se consolidava em quinto.
 
Com 47 giros para o fim, a vitória parecia dividida entre Keselowski e Harvick. Kevin ameaçava ultrapassar, mas não conseguia concretizar a manobra. A briga da dupla fez Edwards, novamente em terceiro, voltar à disputa.

A punição para Harvick por não ultrapassar foi ser ultrapassado. Edwards assumia o segundo posto e, depois de perder voltas para o líder, estava com tudo na briga.
 
Agora em segundo, Edwards faria de tudo para vencer a segunda em 2015. Todavia, depois de ameaçar Keselowski, o #19 passou a ser ameaçado por Harvick novamente.
 
A 18ª bandeira amarela – recorde em Darlington – veio após um toque de Jeb Burton em Johnson. Os pilotos foram aos boxes pela última vez – e foi lá que Edwards tomou a ponta de Keselowski. Hamlin, Logano e Harvick seguiam o trio.
 
A expectativa da relargada era de ver Keselowski atacar Edwards. Mas quem foi para cima foi Hamlin, depois de passar várias voltas apagado. O #11 voltou para o segundo lugar.
 
Keselowski conseguiu, pouco depois, dar o troco em Hamlin. Mas Edwards aproveitou o contratempo do rival para abrir vantagem e não ser mais alcançado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube