Johnson aproveita bandeira amarela no fim, ultrapassa Larson e conquista 11ª vitória em Dover

Jimmie Johnson teve o fim de prova dos sonhos: quando estava conformado com o ritmo superior do líder Kyle Larson, uma bandeira amarela surgiu para juntar todo mundo. Na relargada, Larson derrapou e permitiu a ultrapassagem de Johnson

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Parecia um fim de corrida simples para Kyle Larson: era só completar as últimas quatro voltas em bandeira verde e levar a primeira vitória em Dover. Mas a história foi outra: uma bandeira amarela no final misturou o grid e, na relargada, Jimmie Johnson ultrapassou o rival para vencer pela 11ª vez no oval de Dover neste domingo (4).
 
Johnson tirou proveito de uma relargada péssima de Larson. O #42 derrapou e permitiu a ultrapassagem do #48. Quando Kyle se preparava para tentar dar o troco, um grande acidente na última volta acabou com a corrida em definitivo. Ty Dillon, AJ Allmendinger, Kasey Kahne, Erik Jones, Trevor Bayne, Clint Bowyer e Cole Whitt foram alguns dos envolvidos no enrosco.
Jimmie Johnson venceu mais uma em Dover (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O terceiro lugar ficou com Martin Truex Jr., que dominou boa parte da corrida, mas ficou devendo na segunda metade da prova. Ryan Newman e Chase Elliott, sobreviventes do acidente, ficaram na rabeira do top-5. Daniel Suárez, Jamie McMurray, Denny Hamlin, Kevin Harvick e Danica Patrick completaram o top-10.
 
A vitória também é a 83ª da carreira de Jimmie Johnson na Nascar. O piloto do #48 empata com o tricampeão Cale Yarborough, sétimo maior vencedor da história da categoria.
 
A próxima etapa da Nascar é em Pocono, no próximo final de semana.
 

Saiba como foi a etapa de Dover da Nascar

 
Primeiro segmento
 
A largada foi de poucas brigas entre os líderes. Kyle Busch sustentou a primeira posição com certa tranquilidade, enquanto Martin Truex Jr. se afirmava em segundo. Daniel Suárez, Kyle Larson e Kurt Busch formavam o top-5 nas primeiras voltas. Matt Kenseth, que largou em quarto, ia perdendo posições.
 
Truex se esforçava para manter contato com Kyle Busch, mas estava difícil. Depois de 15 voltas, o #78 estava 1s2 atrás do #18. A boa notícia é que este número era estável. Logo atrás, Larson passava Suárez e tomava o terceiro lugar.
 
A primeira bandeira amarela veio na volta 16. Ryan Sieg rodou sozinho e quase foi acertado por Daniel Suárez. Todos foram aos boxes, com Kyle Busch voltando em primeiro. Mas não adiantou muito: o pneu traseiro esquerdo não estava preso e se soltou por completo. A traseira do carro estava muito danificada, o que praticamente acabava com qualquer chance de vitória. O piloto estava em 33º depois do incidente.
 
Truex herdou a liderança, e ainda contava com um aliado. Ricky Stenhouse Jr. não parou e, mais lento, tratava de segurar outros pilotos enquanto Martin escapava. Kurt Busch, Daniel Suárez e Brad Keselowski completavam o top-5.
 
A barreira de Stenhouse durou até a volta 35, quando Kurt Busch tomou o segundo lugar. O #41 estava 2s atrás de Truex, mas logo começou a se aproximar.
Largada em Dover (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Perder o segundo lugar foi ruim, mas o que veio na sequência para Stenhouse foi pior. O #17 furou o pneu dianteiro direito e bateu com alguma força no muro externo. A bandeira amarela foi acionada novamente e todos foram aos boxes. Por lá, Larson e Kenseth trocaram apenas dois pneus e saíram em primeiro e segundo.
 
Larson manteve a liderança, mas Kenseth despencou. Kurt Busch, Truex e Keselowski acompanhavam o #42 de perto após a relargada.
 
Apenas dez voltas em bandeira verde foram necessárias para novo acidente acontecer. E, uma vez mais, com Stenhouse: já com o carro danificado, o #17 foi reto em uma curva e avariou o carro em definitivo, acabando com a corrida.
 
A relargada veio, mas veio acompanhada de mais acidentes. Kurt Busch tentou ultrapassar Larson, mas tudo que conseguiu foi perder controle e acertar Keselowski. Os dois acabaram com danos sérios.
 
A relargada foi mais tranquila. Larson voltou a segurar a liderança, mas agora com Truex logo atrás. Foram várias voltas de disputa entre os dois. Na 83, Martin deu um toque sutil na traseira de Kyle, que foi para a parte de cima da pista e quase bateu. O #42 estava intacto, mas acabou caindo para quarto.
Kyle Larson errou quando menos podia (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Voltas depois, a quinta amarela do dia. Kurt Busch, já com um carro muito avariado, explodiu um pneu e destruiu o que restava do #41. Todos foram aos boxes, de onde um inesperado Clint Bowyer surgiu em primeiro. A alegria do #14 acabou aí: problemas mecânicos levaram o carro à garagem.
 
A relargada virou um embate entre Truex e Harvick, com o #78 prevalecendo. 0s5 separavam os dois com 13 voltas para o fim do segmento. Johnson, Kenseth e Laron fechavam o top-5.
 
Larson estava voando: de quinto, saltou para segundo em dez voltas. Mesmo assim, a vitória no segmento estava destinada a Truex.
Segundo segmento
 
O segundo segmento começou com uma jogada interessante de Larson. O #42 não parou – assim como outros pilotos – e assumiu a liderança. Truex, com quatro pneus novos, pintou em 13º.
 
Larson se manteve em primeiro na relargada, já conseguindo alguma vantagem sobre Ryan Blaney. Kenseth, Kyle Busch (!!!) e Kasey Kahne eram os outros do top-5.
 
A mistura de estratégias deixou o segundo segmento embaralhado.  Truex precisava ganhar posições, mas perdia tempo no processo. Depois de 20 voltas em bandeira verde, tudo que Martin conseguiu foi saltar para quarto.
 
O primeiro incidente do segmento foi cortesia de Danica Patrick. A pilota rodou sozinha e acionou a bandeira amarela. Larson manteve a liderança nos boxes enquanto Blaney acertava a traseira de Kenseth nos pits e danificava o #21.
Martin Truex Jr. (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A relargada voltou a ser ótima para Larson: enquanto o #42 abria vantagem, Michael McDowell – que não havia parado – dificultava a vida dos outros pilotos. Quando o incrível Kyle Busch pintou em segundo, o líder já tinha 1s9 de vantagem.
 
Essa vantagem só crescia, passando dos 3s quando a bandeira amarela voltou, faltando 36 voltas para o fim. Tinha sido a vez de Joey Logano furar um pneu, batendo no muro e se complicando bastante.
 
Nos boxes, Larson seguiu em primeiro. E na relargada também: o #42 viu Truex tentar algo por dentro, mas conseguiu se segurar por fora. Johnson, Kyle Busch e Kenseth também estavam no top-5.
 
Mas Larson não conseguiu disparar. Pelo contrário: o #42 estava saindo de traseira e logo caiu para terceiro, sendo ultrapassado por Truex e Johnson. A sorte do piloto da Ganassi foi que Landon Cassill bateu em seguida, trazendo a amarela. Kyle foi o único a parar, tamanho o problema do carro.
 
Truex e Johnson ficaram em primeiro e segundo, sem nem disputar posição. O segmento seguiu sem qualquer briga entre os dois e Truex venceu. Larson, muito beneficiado pelos pneus novos, saiu de 19º para terminar em quinto.
Jimmie Johnson (Foto: Nascar Media)
Terceiro segmento
 
Larson repetiu a estratégia de trocar apenas dois pneus no início do segmento, tomando a liderança novamente. Seria difícil segurar Truex, com quatro novos.
 
Mais atrás, um grande drama para Blaney. O #21 quebrou a suspensão do carro – algo que já havia acontecido em Charlotte, no final de semana passado. O piloto recolheu para a garagem, fez reparos e voltou.
 
A briga entre Larson e Truex recomeçou tão logo a bandeira verde foi agitada. Depois de algumas voltas colado na traseira do #42, o #78 tentou uma ultrapassagem por dentro e quase rodou. Na brincadeira, foi ultrapassado por Johnson.
 
Truex tentou o mesmo tipo de ultrapassagem sobre Johnson, e cometeu o mesmo erro. O #78 quase rodou o #48, perdeu tempo e caiu para quarto. Pouco a pouco, Martin estava deixando os líderes escaparem.
 
A Nascar precisou de mais uma amarela em seguida: a pista estava com detritos, principalmente na parte alta. Todos voltaram aos boxes, mas a ordem dos pilotos não mudou.
 
Larson manteve a liderança sobre Johnson na relargada, mas com mais tranquilidade – 0s4 separavam os dois pilotos.
 
Kenseth precisou parar pouco depois, consequência de um problema nos pneus. Antes terceiro, o #20 desabou para a rabeira da volta do líder. E a situação piorou: o veterano excedeu o limite de velocidade dos boxes durante a parada emergencial. Depois da punição, o #20 era o 27º.
Ryan Newman conseguiu um bom quarto lugar (Foto: Nascar Media)
Faltavam 100 voltas para o fim e Larson tinha 2s8 de vantagem para Johnson, que claramente estava perdendo ritmo. O #48 logo foi ultrapassado por Truex, novo segundo colocado.
 
Ao contrário de Larson, Johnson não teve a sorte de ver a amarela rapidamente. 20 voltas depois, o heptacampeão ainda estava perdendo posições, logo surgindo em sétimo. Sorte que, cinco giros depois, todos partiram para pits em bandeira verde.
 
E mais sorte ainda por conta do que aconteceu pouco depois: Regan Smith bateu sozinho e trouxe a amarela no meio do ciclo de pits. Como Johnson ainda estava esperando para parar – ao contrário de Larson e Truex – o #48 poderia sair dos boxes na liderança.
 
A corrida ficou ainda mais estranha porque Johnson não virou líder. Quem tomou a ponta foi Ty Dillon, com um bom pit-stop. Newman, Johnson, Austin Dillon partiriam atrás.
 
Ty Dillon e Newman seguiam em primeiro e segundo, conforme Johnson sofria com uma relargada mediana.
 
Depois de dez voltas em bandeira verde, outra amarela. Chris Buescher e Paul Menard se envolveram em um acidente desnecessário e acabaram com carros muito avariados.
 
Ty Dillon voltou a abrir vantagem na relargada, mas o mesmo não aconteceu com Newman. O #31 foi ultrapassado por Johnson e Larson ao mesmo tempo e caiu para quarto. O #48 e o #42 tinham 45 voltas para buscar o #13.
E buscaram com facilidade. Antes, Larson fez uma belíssima ultrapassagem sobre Johnson por fora, tomando o segundo lugar. Isso permitiu uma manobra mais simples sobre Ty com 38 giros para o fim da prova.
 
Johnson também passou Ty Dillon rapidamente e manteve contato com Larson. 0s5 separavam os dois e tudo estava em aberto.
 
Mas o ritmo de Johnson em ciclos longos de bandeira verde virou um problema. As voltas passavam e o #48 não era capaz de acompanhar o #42 – pelo contrário: a diferença alcançou a casa dos 2s6. Mas aí…
 
Faltando 4 voltas para o fim, David Ragan furou um pneu e bateu sozinho. Bandeira amarela, mas ninguém parou.
 
Na relargada, todo o trabalho de Larson foi para o espaço. O #42 derrapou na reaceleração e entregou a liderança de bandeja para Johnson. Depois, um acidente de maiores proporções acabou com a corrida – os pilotos começaram a bater depois da Linha de Prorrogação, o que determina o final da prova.

Nascar 2017, Dover, corrida, final:

1 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET 406 voltas  
2 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +0.638  
3 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA +1.283  
4 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +1.811  
5 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +2.274  
6 19 DANIEL SUÁREZ MEX JOE GIBBS TOYOTA +2.507  
7 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +2.624  
8 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +3.313  
9 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS FORD +3.944  
10 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS FORD +4.461  
11 88 DALE EARNHARDT JR. EUA HENDRICK CHEVROLET +5.371  
12 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +6.024  
13 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +6.832  
14 13 TY DILLON EUA GERMAIN CHEVROLET +42.437  
15 77 ERIK JONES EUA FURNITURE ROW TOYOTA +1 volta NC
16 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +1 volta  
17 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +2 voltas NC
18 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +2 voltas NC
19 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +2 voltas NC
20 15 ROSS CHASTAIN EUA PREMIUM TOYOTA +3 voltas  
21 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +4 voltas NC
22 72 COLE WHITT EUA TRISTAR FORD +4 voltas NC
23 37 CHRIS BUESCHER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +4 voltas  
24 23 GRAY GAULDING EUA BK TOYOTA +4 voltas  
25 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD +4 voltas  
26 83 RYAN SIEG EUA BK TOYOTA +6 voltas  
27 33 JEFFREY EARNHARDT EUA CIRCLE SPORT CHEVROLET +6 voltas  
28 66 TIMMY HILL EUA MBM MOTORSPORTS CHEVROLET +8 voltas  
29 32 MATT DIBENEDETTO EUA GO F A S FORD +9 voltas  
30 38 DAVID RAGAN EUA FRONT ROW FORD +13 voltas  
31 14 CLINT BOWYER EUA STEWART-HAAS FORD +15 voltas  
32 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +33 voltas  
33 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +63 voltas NC
34 43 REGAN SMITH EUA RICHARD PETTY FORD +77 voltas NC
35 51 CODY WARE EUA RICK WARE RACING CHEVROLET +123 voltas NC
36 34 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +149 voltas NC
37 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS FORD +313 voltas NC
38 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD +340 voltas NC
39 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +342 voltas NC

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube