Promotoria vê provas insuficientes, e Busch escapa de processo criminal após ser acusado de agredir namorada

Após ser acusado de agredir a então namorada Patricia Driscoll, Kurt Busch não terá de enfrentar um processo criminal. Piloto foi afastado da Nascar por tempo indeterminado

Kurt Busch escapou de uma ação criminal após ser acusado de agredir a ex-namorada Patricia Driscoll. O campeão de 2004 da Cup, entretanto, segue suspenso da Nascar por tempo indeterminado.
 
Em novembro de 2014, Driscoll acusou Busch de sufocá-la e bater sua cabeça na parede do motorhome durante uma briga. Os dois estavam no circuito de Dover no momento da discussão. Os advogados do piloto de 36 anos negaram todas as acusações.
Kurt Busch não vai responder processo criminal após ser acusado de agressão (Foto: AP)
O caso foi investigado pela polícia de Dover e, então, entregue ao Ministério Público. Durante uma audiência na Vara de Família do Condado de Kent, em Delaware, Busch se defendeu das acusações de uma forma um tanto atípica, alegando que Patricia era uma “assassina internacional”
 
Busch afirmou que Driscoll mostrava fotos de pessoas mortas para ele e teria chegado a afirmar certa vez que as personagens do filme "A Hora Mais Escura" — baseado numa história real que retrata a perseguição de uma obstinada agente do Serviço Secreto dos Estados Unidos ao terrorista Osama bin Laden — foram baseados nela e em algumas outras pessoas.
 
Na última quinta-feira (5), entretanto, a promotoria de Delaware anunciou que Busch não enfrentaria acusações criminais. 
 
“Depois de uma análise aprofundada de todas as informações disponíveis sobre o caso, ficou determinado que as evidências e testemunhas disponíveis provavelmente seriam insuficientes para satisfazer o ônus de provar além de qualquer dúvida razoável que o Sr. Busch cometeu um crime no incidente de 26 de setembro”, diz o comunicado da procuradoria. “Por esta razão, o Departamento de Justiça não irá prosseguir com as acusações criminais neste caso”, continuou.
 
Após o pronunciamento do Departamento de Justiça, Busch divulgou um comunicado à imprensa afirmando que voltará a correr assim que for liberado pela categoria norte-americana.
Driscoll lamentou decisão da justiça de não processar Busch criminalmente (Foto: Getty Images)
“Estou agradecido pelos promotores de Delaware terem ouvido, considerado cuidadosamente as evidências e, depois de uma investigação completa, decidido não apresentar acusações criminais contra mim”, disse Kurt. “Como disse desde o princípio, não cometi violência doméstica”, garantiu.
 
“Estou ansioso para voltar a correr o mais rápido possível e seguir com a minha vida”, completou.
 
Driscoll também emitiu um comunicado à imprensa lamentando a posição da justiça de Delaware. 
 
“Apesar de respeitar o processo, estou desapontada pela justiça plena não ter sido feita aqui”, lamentou. “Minha família e eu vamos nos consolar com a Ordem de Proteção contra Abuso concedida pelo comissário [David] Jones, [da Vara de Família], que avaliou que a minha versão dos fatos era mais crível”, completou. 
 
Ainda não se sabe quanto tempo levará para que a Nascar volte atrás na suspensão do piloto. A categoria norte-americana se posicionou sobre o caso após o Vara de Família ter determinado que o piloto da Stewart-Haas fosse submetido a uma avaliação de saúde mental, além de ter ordenado que ele ficasse a mais de 100 metros de distância de Driscoll e do filho dela. 
 
De acordo com o site ‘Charlotte Observer’, os documentos do processo diziam que Busch pode cometer atos de violência no futuro caso não seja tratado.
 
A Nascar está trabalhando com um especialista em violência doméstica para determinar como será a reintegração de Busch ao certame. 
 
“Ele aceitou os termos e condições do programa de reintegração e está participando ativamente do programa”, disse a Nascar. “A elegibilidade de Kurt Busch para ser reintegrado continuará a ser determinada por este programa e pelo regulamento da Nascar, embora a eliminação da possibilidade de uma ação criminal remova um entrave significativo para sua reinserção”, concluiu.
COMO CADA UM CHEGA

A pré-temporada da F1 terminou. Foram 12 dias de pista em que as equipes se concentraram em diferentes programas para avaliar os carros com os quais vão disputar a temporada 2015. Agora, restam poucos dias para que tudo seja preparado na fábrica e despachado para Melbourne, na Austrália. O GRANDE PRÊMIO traz um análise equipe por equipe, com as escuderias ordenadas pela quilometragem percorrida, do trabalho realizado na pré-temporada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube