Tempestade atinge Charlotte e força paralisação de etapa da Nascar. Truex lidera após 143 voltas

Martin Truex Jr. liderava com facilidade quando uma forte tempestade atingiu Charlotte. A pista virou alvo não só da chuva, como também de relâmpagos. Nessas condições, a Nascar achou melhor acionar a bandeira vermelha

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Uma das corridas mais importantes do calendário da Nascar foi vítima do clima ruim. As 600 Milhas de Charlotte, disputadas neste domingo (28), foram paralisadas por conta de uma forte tempestade que atingiu a Carolina do Norte.
 
A prova foi paralisada na volta 143 de 400. A chuva ameaçava a corrida desde as primeiras voltas, mas acabava desviando. A primeira grande célula do temporal não atingiu Charlotte por pouco. A segunda, por sua vez, pegou em cheio: primeiro a Nascar acionou a bandeira vermelha por conta dos relâmpagos, e depois por conta da intempérie.
 
Martin Truex Jr. lidera a corrida no momento da intervenção. O piloto do #78 assumiu a ponta nos boxes, aproveitando um pit-stop ruim de Kyle Busch, vencedor do primeiro segmento. Martin estava encaminhando uma vitória simples no segundo, mas a forte chuva e consequente perda de aderência da pista devem ser um grande desafio.
 
Jimmie Johnson, Kyle Larson, Kyle Busch e Matt Kenseth completavam o top-5 na hora da bandeira vermelha. Os únicos pilotos fora de combate eram Jeffrey Earnhardt – com problemas mecânicos – e Brad Keselowski e Chase Elliott, que se bateram ainda nas primeiras voltas.
A chuva veio com força em Charlotte (Foto: Reprodução/TV)
Saiba como foi a etapa de Charlotte da Nascar

Primeiro segmento

 
O último ato do grande fim de semana de automobilismo começou exatamente às 19h24 (de Brasília). A largada foi marcada por um embate entre Kevin Harvick e Kyle Busch: os dois primeiros do grid andaram lado a lado ao longo das duas primeiras voltas. No fim das contas, Kyle levou a melhor e consolidou a liderança. Erik Jones também passou Kevin, que se conformava com o terceiro posto.
 
Jones só serviu para atrasar Harvick, no fim das contas. O piloto do #77 só ficou em segundo por três voltas antes de voltar ao terceiro posto. Ryan Blaney e Matt Kenseth eram os últimos pilotos do top-5.
 
Na volta 20, o primeiro acidente da prova. E foi logo um forte: Chase Elliott ficou subitamente lento na pista, sem qualquer motivo aparente. Brad Keselowski, com o pé afundado no acelerador, não teve chance de reação e encheu a traseira do #24.
Chase Elliott e Brad Keselowski se envolveram em um acidente estranho (Foto: Reprodução/TV)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A bandeira amarela levou os pilotos à primeira parada do dia. Um pit-stop muito bom recolocou Harvick na liderança, com Kyle Busch em segundo. Tal ordem se manteve na relargada: mesmo que por pouco, Harvick manteve Kyle Busch atrás. A dupla, claramente com bom ritmo, logo abriu vantagem sobre Kenseth, agora em terceiro. Enquanto isso, Ty Dillon e AJ Allmendinger ficavam para trás por problemas com pneus.
 
Enquanto os dois primeiros disparavam, o vencedor da Charlotte 600 de 2016 não dava pinta de ter o melhor dos rendimentos. Martin Truex Jr. era quarto, 1s8 atrás de Kenseth e sofrendo pressão de Jimmie Johnson.
 
As voltas passavam e, passada metade do primeiro segmento, os cinco primeiros iam se aproximando. Kenseth, Truex e Johnson apresentavam ritmo para acompanhar Harvick e Kyle Busch de perto.
 
Mesmo assim, Truex não arriscou uma ultrapassagem na pista. O #78 foi aos boxes primeiro, 35 voltas antes do fim do segmento, e ganhou tempo. Quando Harvick, Kenseth e Kyle Busch pararam, Martin surgiu na frente. Kenseth, aliás, passou Kyle Busch justamente com esse método, mas não passou Harvick.
 
Truex se consolidou em primeiro quando o ciclo de pits acabou por completo, mas isso não durou muito. Kyle Busch, com pneus melhores, passou tanto Harvick quanto Kenseth. Depois, com 8 voltas para o fim, o #18 encaixou uma ultrapassagem sobre Truex.
 
Líder, Kyle não enfrentou mais nenhum problema. O #18 abriu a vantagem que precisava e venceu o segmento.
Martin Truex Jr. (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Segundo segmento
 
A liderança construída no primeiro segmento virou pó no segundo. Logo na visita aos boxes, Kyle Busch perdeu quatro posições. O #18 teria de relargar em quinto.
 
Assim, a relargada contou com Truex em primeiro. E aproveitou: o #78 se manteve em primeiro, mas logo começou a perceber uma aproximação de Harvick, segundo.
 
Mas a aproximação não deu em nada: 10 voltas depois, o #4 começou a sentir uma vibração nos pneus. Por precaução, parou bem mais cedo que previsto. Assim, Johnson assumiu o segundo lugar, mas 3s atrás. Kyle Larson, Kyle Busch e Kenseth completavam o top-5.
 
Restando 58 voltas para o fim do segmento, o segundo acidente do dia. Matt DiBenedetto passou reto na curva 2, bateu e trouxe mais uma amarela. Harvick, retardatário, ganhou o Lucky Dog e retornou à volta do líder.
 
A cor da bandeira mudou uma volta depois. Por conta de relâmpagos na região de Charlotte, a Nascar optou por acionar a bandeira vermelha. Não chovia, mas era perigoso seguir correndo.

Nascar 2017, Charlotte, corrida, 143 voltas:

1 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA 143 voltas  
2 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET +8.437  
3 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +9.668  
4 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +11.202  
5 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +12.632  
6 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +16.221  
7 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS FORD +19.784  
8 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +25.858  
9 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +28.045  
10 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +33.049  
11 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +35.555  
12 77 ERIK JONES EUA FURNITURE ROW TOYOTA +37.567  
13 88 DALE EARNHARDT JR. EUA HENDRICK CHEVROLET +39.931  
14 14 CLINT BOWYER EUA STEWART-HAAS FORD +42.276  
15 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +44.150  
16 19 DANIEL SUÁREZ MEX JOE GIBBS TOYOTA +48.835  
17 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD +53.541  
18 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +58.578  
19 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +1 volta  
20 43 REGAN SMITH EUA RICHARD PETTY FORD +1 volta  
21 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +1 volta  
22 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS FORD +1 volta  
23 37 CHRIS BUESCHER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +2 voltas  
24 95 MICHAEL McDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +2 voltas  
25 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS FORD +2 voltas  
26 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTG DAUGHERTY CHEVROLET +2 voltas  
27 38 DAVID RAGAN EUA FRONT ROW FORD +2 voltas  
28 13 TY DILLON EUA GERMAIN CHEVROLET +3 voltas  
29 34 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +3 voltas  
30 72 COLE WHITT EUA TRISTAR FORD +3 voltas  
31 7 JJ YELEY EUA TOMMY BALDWIN CHEVROLET +3 voltas  
32 32 MATT DIBENEDETTO EUA GO F A S FORD +4 voltas  
33 83 COREY LAJOIE EUA BK TOYOTA +4 voltas  
34 15 REED SORENSON EUA PREMIUM TOYOTA +4 voltas  
35 23 GRAY GAULDING EUA BK TOYOTA +4 voltas  
36 51 TIMMY HILL EUA RICK WARE RACING CHEVROLET +6 voltas  
37 55 DERRIKE COPE EUA PREMIUM TOYOTA +7 voltas  
38 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +124 voltas NC
39 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD +124 voltas NC
40 33 JEFFREY EARNHARDT EUA CIRCLE SPORT CHEVROLET +125 voltas NC
 
TÉO JOSÉ ACERTA PALPITE DA INDY 500, CONFIRA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube