Truex Jr. deixa azar de lado, segura Harvick no fim em Darlington e parte para segunda vitória na temporada

Kevin Harvick dominou a prova, mas perdeu tempo nos boxes. Quem tirou proveito foi justamente Martin Truex Jr., tão prejudicado por pit-stops lentos. Um simples dia sem erros ou azar foi suficiente par o #78 vencer em Darlington

Martin Truex Jr. não é exatamente o piloto mais vencedor da Nascar, apesar do bom equipamento. Mas também é inegável que a série de azares do #78 não colabora para o sucesso. Pois Truex Jr. teve um dia tranquilo, sem erros e isso foi suficiente para despachar Kevin Harvick e vencer a corrida deste domingo (4) da Nascar em Darlington.
 
Harvick dominou a prova, tendo liderado a maioria absoluta de voltas. Mas os erros da Stewart-Haas nos boxes prejudicaram o #4, que precisou se contentar com o segundo posto. Como de hábito, o campeão de 2014 tinha carro para vencer, mas ficou pecando nos detalhes.
Martin Truex Jr. (Foto: Nascar Media)
Kyle Larson, Denny Hamlin e Joey Logano fecharam o top-5. O trio certamente mostrou velocidade, mas não foi capaz de estar no lugar certo quando mais foi o necessário: na frente durante a última relargada.
 
Brad Keselowski foi outro que mostrou um bom ritmo, tendo liderado um bom número de voltas. Mas problemas nos pneus jogaram o #2 para posições intermediárias, de onde não conseguiu voltar. O resultado foi o nono lugar.
 
A próxima etapa da Nascar será em Richomd, já no próximo final de semana. Será a última corrida antes do início do Chase.

Saiba como foi a etapa de Darlington da Nascar

 
A largada foi dada sob o pôr do sol de Darlington, em uma corrida que terminaria sob a luz da lua. Kevin Harvick recebeu o comando para acelerar oficialmente às 19h27 (de Brasília).
 
Harvick conseguiu manter a primeira colocação, seguido de perto por Brad Keselowski. Kurt Busch, Carl Edwards e Kyle Busch completavam o top-5. Os pilotos pareciam mais preocupados em se adaptar às condições da pista do que necessariamente partir para ultrapassagens mais ousadas.
 
Enquanto os líderes se acertavam, Ryan Newman enfrentava problemas. O #31 começou a ficar lento já durante as voltas de apresentação, precisando largar do fundo do pelotão. O #31, precisando de bons pontos para entrar no Chase, estava apenas em 31º lugar na volta 10. Apesar do apagão, o carro parecia estar voltando ao ser estado natural.
 
Depois de um breve período de estudo, Harvick optou por acelerar mais. O piloto do #4 conseguiu abrir 1s6 sobre Keselowski com alguma facilidade.
 
Logo atrás, Kyle Busch aparentava perder rendimento: o #18, quinto, foi ultrapassado por ambos Matt Kenseth e Martin Truex Jr. O outro Busch também começou a andar para trás: Kurt perdeu o terceiro lugar para Edwards. Mais um pouco e Kenseth também passou o #41.
 
Com 40 voltas completas, Harvick já tinha acumulado 4s de vantagem para Keselowski. O #4 parecia imbatível, mas as mudanças de temperatura da pista deveriam nivelar tudo. Na ocasião, Kenseth já estava em terceiro, com Edwards e Truex Jr. atrás.
Kevin Harvick (Foto: Nascar Media)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A sequência de pits em bandeira verde começou na volta 46, com Larson, Hamlin e Truex Jr. indo ao mesmo tempo. O trio acabou chamando todo o resto dos ponteiros. No meio disso, Austin Dillon recebeu um drive-through por excesso de velocidade nos boxes – suficiente para deixar o #3, na briga pelo Chase, uma volta atrás.
 
Ao fim da sequência de pits, o top-5 era formado por Harvick, Keselowski, Kenseth, Truex Jr. e Larson.
 
Conforme as voltas passavam, as diferenças entre os líderes seguiam relativamente grande. Harvick perdia vantagem para Keselowski, mas muito lentamente. Logo atrás, Larson perdia velocidade e posições para ambos Logano e Johnson.
 
Na volta 93, outro ciclo de pits em bandeira verde. Mas este foi interrompido no meio por uma bandeira amarela – Trevor Bayne havia rodado na entrada dos boxes. A intervenção bagunçou o grid: apenas três pilotos que não haviam parado estavam na volta do líder – Keselowski, Blaney e Stenhouse Jr.
 
O trio parou, deixando a situação um pouco mais normal. Keselowski e Stenhouse Jr. tiraram proveito da situação, ficando em primeiro e segundo. Blaney, que precisou de um pit extra, se viu uma volta atrás dos líderes. Fechando o top-5, uma ordem bastante estranha: Chase Elliott, Chris Buescher e Harvick.
 
Na relargada, pouco mudou. Keselowski abriu para Stenhouse Jr., que segurava Elliott. Buescher, por sua vez, virou presa fácil para Harvick, que tomou o quarto posto.
 
Mais atrás, Johnson era obrigado a ir aos boxes sob bandeira verde. Isso por conta de alterações proibidas no chassi do #48. Assim, Jimmie caia uma volta atrás do líder.
 
Cinco voltas após a relargada, Elliott havia se livrado de Stenhouse Jr. Mas o tempo perdido atrás do #17 já havia sido custoso: a distância entre os líderes era de 1s2.
Kyle Larson (Foto: Nascar Media)
A segunda bandeira amarela do dia veio em seguida. Brian Scott rodou sozinho, aparentemente por furo no pneu. Isso permitiu que Dillon conseguisse voltar à volta do líder.
 
Todos foram aos boxes, mas isso nem mudou a ordem dos ponteiros. O que fez a diferença foi a relargada: Keselowski seguiu em primeiro, mas agora com Harvick em segundo. Elliott, Truex Jr. e Stenhouse Jr. completavam o top-5. Buescher, conforme as voltas passavam, seguia despencando, aparecendo em sétimo.
 
Buescher, aliás, não era exceção. A bagunça que virou o grid após a primeira bandeira amarela começava a se normalizar, com pilotos beneficiados pela intervenção perdendo terreno.
 
Na frente também tinha gente perdendo terreno, mas não era qualquer um: Keselowski via Harvick chegando rapidamente, tirando proveito dos retardatários. Assim, Kevin retomou a liderança na volta 141. Atrás, o top-5 ainda contava com Elliott, Truex Jr. e Kenseth.
 
Na volta 163, outro ciclo de pits em bandeira verde. Ao fim desde, a ordem passou a ser a seguinte: Harvick, Keselowski, Elliott, Logano e Kyle Busch.
 
Elliott, aliás, que certamente não estava com a mesma velocidade de Michigan, onde ficou muito perto da vitória. Em Darlington, o #24 estava perdendo terreno para Harvick e Keselowski, além de ser ultrapassado por Logano em seguida.
 
Mais algumas voltas e Keselowski precisou ser ousado. O #2 estava reclamando do carro, optando por antecipar muito seu pit. Momentaneamente, Brad estava uma volta atrás.
 
A terceira bandeira amarela veio na volta 203. Scott voltou a ser o causador, depois de se enroscar com Tony Stewart. Todos foram aos boxes, mantendo a ordem de antes. Keselowski, através do Lucky Dog, passou a ficar na rabeira da volta do líder.
 
Na relargada. Harvick voltou a disparar na frente. Logano, então segundo, não partiu bem e entregou a posição para Kyle Busch. Enquanto isso, drama mais atrás: Johnson rodou sozinho mais atrás, trazendo a quarta bandeira amarela.
Denny Hamlin (Foto: Nascar Media)
A intervenção levou alguns pilotos a inovar na estratégia. Larson e Edwards foram alguns dos poucos que foram aos boxes, fazendo um pit extra.
 
Na frente, a relargada não trouxe muitas novidades – Harvick ainda liderava. Logano deu o troco em Kyle Busch, enquanto Elliott e Hamlin fechavam o top-5.
 
Logano e Kyle Busch não eram capaz de se desgrudar. Apesar de ter partido bem, Joey não estava nem perto de acompanhar Harvick. Assim virou presa fácil para Kyle Busch e até Elliott. O problema é que o próprio Kyle também passou por um momento ruim, sendo superado por ambos Joey e Chase.
 
Logo atrás, Larson tirava proveito dos pneus novos. O #42 escalou de décimo para quarto, mas ainda não parecia capaz de desafiar Harvick.
A quinta bandeira amarela foi acionada na volta 249, quando Jeffrey Earnhardt estampou o muro. Nos boxes, Hamlin brilhou: trocando quatro pneus, o #11 saltou de quinto para primeiro. Elliott, Kyle Busch, Logano e Harvick fechavam o top-5. Sim, Kevin sofreu nos boxes.
 
Hamlin, mantendo a tradição de boas largadas do ponteiro, disparou sob bandeira verde, ainda com Elliott e Kyle Busch atrás. Logano desabou, permitindo avanço de Harvick e Larson.
 
Hamlin, ao contrário de Harvick, não conseguiu disparar. O #11 precisou se defender muito de Elliott, que vinha com bastante ação. A sorte de Denny é que Greg Biffle bateu e trouxe mais uma bandeira amarela – do contrário, a liderança provavelmente seria perdida.
 
Todos voltaram aos boxes. Bem, nem todos: Kenseth e Kurt Busch seguiram, sustentando os dois primeiros postos. Hamlin surgia em terceiro, com Kyle Busch e Harvick atrás. Elliott perdeu posições nos boxes, ficando em sexto.
 
Kenseth seguiu líder na relargada, mesmo com pneus gastos. O mesmo não pode ser dito sobre Kurt Busch, que desabou para oitavo. Harvick, Hamlin, Kyle Busch e Elliott fechavam o top-5.
 
Kenseth, depois de tanto resistir, precisou entregar a liderança para Harvick. A resistência foi bonita, mas inútil. Matt seguiu em queda livre, logo pintando em sexto. Hamlin, Larson, Elliott e Truex Jr. haviam superado o #20, agora em uma posição bastante desconfortável.
 
A sorte de Kenseth é que outra bandeira amarela foi necessária. AJ Allmendinger rodou enquanto disputava posição com Ryan Blaney, forçando a intervenção. Nos boxes o jogo mudou muito: Hamlin ainda era líder, enquanto Harvick despencava para 12º.
 
O jogo mudou ainda mais na relargada: Larson, largando em segundo, foi perfeito. O #42 jantou Hamlin, que também foi engolido por Truex Jr.
 
Com 289 voltas, o top-5 passava a ser Larson, Truex Jr., Hamlin, Elliott e Jamie McMurray.
 
Quando conseguiu ficar com caminho livre, Larson disparou. Em grande fase, o #42 abria vantagem – 2s sobre Truex Jr. Mas era evidente que a concorrência reagiria – isso era questão de tempo.
 
Harvick, por exemplo, tinha todo o jeito de que voltaria para a briga pela liderança. Antes em 12º, o campeão de 2014 não teve dificuldades para voltar ao quinto lugar. Para brigar pela vitória, todavia, uma bandeira amarela seria necessária.
 
E ela veio, para reagrupar todo mundo. O motor de Stewart começou a falhar, soltando óleo e fumaça. Outro ciclo de pits acontecia, possivelmente o último. Larson seguiu líder nos pits, ainda com Truex Jr. em segundo. Hamlin, Harvick e Logano fechavam o top-5.
 
Larson foi muito bem na relargada, abrindo sobre os rivais com alguma facilidade. Truex Jr., Harvick e Hamlin vinham atrás, mas longe de brigar pela liderança.
Joey Logano (Foto: Nascar Media)
Mas o pelotão não manteve a disputa limpa por muito tempo. Paul Menard furou um pneu, perdeu o controle e envolveu Kurt Busch em uma batida forte. Bandeira amarela, todos nos boxes.
 
Menos dois: Newman e Keselowski assumiram a liderança por seguir na pista, enquanto Larson era ultrapassado por Truex Jr. nos pits.
 
Mesmo com pneus gastos, Newman sustentou a liderança. Truex Jr passou Keselowski, que segurava Harvick e Larson. Enquanto isso, Edwards tinha um princípio de furo no pneu e recolhia para os boxes sem causar bandeira amarela.
 
Mas é evidente que Newman não ia durar na primeira posição. Truex Jr. logo o despachou, assim como Harvick – agora segundo.
 
Newman serviu como escudeiro e, com poucas voltas para o fim, praticamente assegurava uma vitória de Truex Jr. Isso até a bandeira amarela se fazer presente: Bowyer e Almiola se enroscaram, com o #43 batendo com força no muro.
 
Todos se juntaram novamente e foram aos boxes. Truex Jr., Harvick, Larson, Hamlin e Logano ocupavam o top-5 com 15 voltas para o fim.
 
A diferença entre os dois primeiros veio na relargada. Truex Jr. abriu, Harvick ficou preso por Larson. Kevin até conseguiu se livrar, mas a perda de tempo praticamente entregou a vitória para Martin.
1 78 MARTIN TRUEX JR. EUA FURNITURE ROW TOYOTA 367 voltas  
2 4 KEVIN HARVICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +0.607  
3 42 KYLE LARSON EUA GANASSI CHEVROLET +1.668  
4 11 DENNY HAMLIN EUA JOE GIBBS TOYOTA +2.555  
5 22 JOEY LOGANO EUA PENSKE FORD +3.270  
6 20 MATT KENSETH EUA JOE GIBBS TOYOTA +5.397  
7 5 KASEY KAHNE EUA HENDRICK CHEVROLET +5.865  
8 31 RYAN NEWMAN EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +6.033  
9 2 BRAD KESELOWSKI EUA PENSKE FORD +6.510  
10 24 CHASE ELLIOTT EUA HENDRICK CHEVROLET +7.186  
11 18 KYLE BUSCH EUA JOE GIBBS TOYOTA +7.901  
12 3 AUSTIN DILLON EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +9.032  
13 21 RYAN BLANEY EUA WOOD BROTHERS FORD +10.215  
14 88 JEFF GORDON EUA HENDRICK CHEVROLET +10.861  
15 1 JAMIE McMURRAY EUA GANASSI CHEVROLET +10.923  
16 27 PAUL MENARD EUA RICHARD CHILDRESS CHEVROLET +11.906  
17 34 CHRIS BUESCHER EUA FRONT ROW FORD +13.045  
18 17 RICKY STENHOUSE JR. EUA ROUSH FENWAY FORD +13.273  
19 19 CARL EDWARDS EUA JOE GIBBS TOYOTA +1 volta  
20 7 REGAN SMITH EUA TOMMY BALDWIN CHEVROLET +1 volta  
21 23 DAVID RAGAN EUA BK TOYOTA +1 volta  
22 15 CLINT BOWYER EUA H SCOTT CHEVROLET +2 voltas  
23 47 AJ ALLMENDINGER EUA JTS DAUGHERTY CHEVROLET +2 voltas  
24 10 DANICA PATRICK EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +2 voltas  
25 13 CASEY MEARS EUA GERMAIN CHEVROLET +2 voltas  
26 83 MATT DIBENEDETTO EUA BK TOYOTA +3 voltas  
27 95 MICHAEL MCDOWELL EUA LEAVINE CHEVROLET +3 voltas  
28 46 MICHAEL ANNETT EUA H SCOTT CHEVROLET +5 voltas  
29 30 JOSH WISE EUA GO F A S FORD +5 voltas  
30 38 LANDON CASSILL EUA FRONT ROW FORD +6 voltas  
31 55 REED SORENSON EUA PREMIUM CHEVROLET +9 voltas  
32 43 ARIC ALMIROLA EUA RICHARD PETTY FORD +21 voltas NC
33 48 JIMMIE JOHNSON EUA HENDRICK CHEVROLET +39 voltas  
34 41 KURT BUSCH EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +41 voltas NC
35 14 TONY STEWART EUA STEWART-HAAS CHEVROLET +50 voltas NC
36 16 GREG BIFFLE EUA ROUSH FENWAY FORD +72 voltas  
37 98 COLE WHITT EUA PREMIUM CHEVROLET +117 voltas  
38 32 JEFFREY EARNHARDT EUA GO F A S FORD +120 voltas NC
39 44 BRIAN SCOTT EUA RICHARD PETTY FORD +168 voltas NC
40 6 TREVOR BAYNE EUA ROUSH FENWAY FORD +206 voltas NC
PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube