carregando
Outras

Aos 41 anos, Biaggi anuncia aposentadoria após conquistar título de 2012 do Mundial de Superbike

Max Biaggi anunciou nesta quarta-feira (7) sua aposentadoria. Italiano, que conquistou o título de 2012 do Mundial de Superbike, disse que família pesou em sua decisão

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

 

Max Biaggi anunciou nesta quarta-feira (7) que vai deixar as pistas. Aos 41 anos, o italiano sai de cena poucos dias após conquistar seu segundo título no Mundial de Superbike, o sexto triunfo do piloto, que soma outras quatro conquistas nas 250cc. O anúncio foi feito no circuito de Vallelunga, o mesmo onde Biaggi iniciou sua carreira.
 
Max estreou no Mundial de Motovelocidade em 1991, correndo na extinta 250cc. O primeiro título veio em 1994, com Aprilia. O italiano dominou a classe intermediária nos anos seguintes, conquistando os campeonatos de 95 e 96, também pela Aprilia, e o de 97 pela Honda.
 
O triunfo com a marca nipônica o credenciou para a classe principal e em 98 Biaggi representou a Honda nas 500cc. No ano seguinte, Max se transferiu para a Yamaha, time que representou até 2002, quando voltou para a Honda.

Rivalidade com Rossi marcou carreira de Biaggi (Foto: Superbike)
O retorno à Honda, aliás, serviu para ampliar a rivalidade com Valentino Rossi. No período em que vestiu as cores da casa de Iwata, a M1 não chegava nem perto da boa moto que é hoje e Biaggi deixou o time alegando que precisa andar no mesmo protótipo que o rival italiano para poder competir com Rossi. 
 
A mudança, entretanto, não surtiu o efeito desejado já que, ao lado de Masao Furusawa, Jeremy Burgess e Davide Brivio, Valentino conseguiu transformar a Yamaha e iniciou um novo domínio na MotoGP. 
 
Com resultados ruins na gigante Honda, Biaggi perdeu sua vaga no fim de 2005 e ficou a pé na temporada de 2006, antes de migrar para o Mundial de Superbike representando a Alstare Suzuki. Antes de voltar para a Aprilia, Max também correu pela Sterilgarda Ducati em 2008.
 
“Foi uma noite muito longa, mas estou contente de parar aqui”, disse um emocionado Biaggi. “Não quero ser como os políticos que ficam agarrados as cadeiras”, continuou.
 
“Pensei em continuar, mas decidi me aposentar”, falou. “A família contou muito em minha decisão, quero dedicar tempo a eles. Não quero que hoje seja um dia triste”, defendeu.
 
Max ressaltou que para por sua própria vontade e não por ter ficado sem opções na categoria. “Saio porque quero parar, não porque não fui competitivo”, frisou. “Tinha um contrato se quisesse continuar. Além disso, saio andando, outros tiveram graves lesões”, lembrou. 
 
Questionado se gostaria de fazer uma última corrida com Rossi, seu eterno rival, Biaggi respondeu: “Se quero fazer uma última corrida com Valentino? Agora tenho que pensar na corrida com outros pilotos em beneficio da Fundação Marco Simoncelli”, disse, se referindo a disputa agendada para o dia 2 de dezembro.