Coluna Safety-car, por Felipe Giacomelli: Tentativa e Erro

Quando um piloto deixa o kart e vai começar nos monopostos, ele chega a uma equipe interessada, quebra o porquinho com as economias e entrega as moedinhas em troca de poder correr. Eis a Tentativa

Um dos pilares do método científico é a lógica da Tentativa e Erro, em que, como o próprio nome sugere, para se chegar a uma conclusão científica são feitas diversas tentativas, eliminando aquilo que não deu certo nas anteriores – os erros – até chegar a um resultado considerado satisfatório.

Embora o automobilismo às vezes seja cultura, você pode estar se perguntando por que estou falando isso. É simples e não precisa de nenhum teorema para se chegar a essa resposta. O assunto desta coluna são as tentativas e erros que regem o início de carreira dos jovens pilotos no esporte a motor.

Explico. Quando um piloto deixa o kart e vai começar nos monopostos, ele pega o próprio dinheiro, as economias da família e apoio de eventuais parceiros e patrocinadores para tentar negociar o primeiro contrato da carreira. Assim, ele chega a uma equipe interessada, quebra o porquinho e entrega as moedinhas em troca de poder correr. Eis a Tentativa.

O problema é que uma vez o cofrinho estando quebrado, os jovens pilotos não têm mais de onde tirar dinheiro. Em outras palavras, a cada decisão que tomar na carreira, os garotos estão vivendo a última chance de seguir em frente no esporte. Não é possível voltar atrás. A tal Tentativa e Erro, é só Tentativa nessas horas. E pode terminar sendo apenas Erro.

Só há um porquinho para ser quebrado (Foto: Divulgação)

Vamos voltar ao exemplo de quem está planejando deixar o kart nos próximos anos. Talvez a categoria onde todo mundo quer estar é a F-Renault Europeia, que nos últimos anos atraiu jovens pilotos da Ferrari, McLaren, Lotus, Red Bull e Caterham, além de diversos outros programas de desenvolvimento.

Assim, quem não faz parte desses programas precisa tomar a decisão certa para seguir no esporte. Competir por uma equipe ruim, mesmo sendo novato, pode ser o suficiente para se queimar diante das escuderias de F1.

Além disso, ainda há as ameaças externas. No próximo ano, a FIA planeja lançar a F4 e concorrer com a F-Renault. Ou seja, para quem quer ingressar no automobilismo precisa antever qual campeonato será mais rentável, lembrando que há apenas um porquinho para ser quebrado.

Por isso, a grande pergunta é como tomar apenas as decisões corretas e não cair no Erro finalizador. Infelizmente, não há uma resposta óbvia. Mas há duas sugestões para quem quiser viver esse momento. A primeira é se informar ao máximo sobre o que acontece no esporte e a segunda é entender que isso faz parte do jogo. Se 22 pilotos começam a temporada 2013 da F1 em Melbourne, nesta sexta-feira, muitos outros ficaram pelo caminho. E talento e dinheiro nem sempre é garantia de estar no lugar certo, na hora certa.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube