Outras

Dono de três largadas na Indy 500, Clauson não resiste a ferimentos por acidente em oval de terra e morre aos 27 anos

Bryan Clauson não resistiu aos ferimentos sustidos após acidente no oval de terra de Belleville, no estado norte- americano do Kansas, na noite do úlitmo sábado. A morte do piloto de grande currículo em categorias de midget e sprint foi confirmada nesta manhã de segunda-feira (8)
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, Rio de Janeiro
 Os restos do sprint car de Bryan Clauson (Foto: Reprodução/Twitter)


Bryan Clauson não resistiu aos ferimentos que sofreu após o acidente na noite do último sábado, na Belleville Nationals, no estado norte-americano do Kansas. A morte do piloto de 27 anos, em virtude das graves lesões, foi anunciada nesta manhã de segunda-feira (8), durante uma coletiva de imprensa, realizada em Indianápolis, que contou com a presenção do presidente do IMS, Douglas Boles, e com o diretor-executivo da USAC, Kevin Miller.

Clauson sofreu um grave acidente quando disputava a liderança da corrida anual no oval de terra. O jovem californiano acertou o muro e teve o carro arremessado de lado de volta à pista. Acabou atingido por outro carro bem na região do cockpit. As condições do chassi ficaram tão ruins que a equipe de resgate levou 30 minutos para conseguir tirá-lo do local e colocá-lo no helicóptero que o levou ao Centro Médico do Oeste, em Lincoln, Nebraska, cerca de 209 km distante. 
 
A família do piloto havia divulgado um comunicado oficial no fim da tarde do domingo pedindo privacidade e sem dar novas informações que não fossem o estado crítico de Bryan.
Bryan Clauson esteve na 100ª edição das 500 Milhas de Indianápolis neste ano (Foto: IndyCar)

Hoje pela manhã, porém, a família de Clauson enviou uma nota sobre a perda do piloto, ocorrida na noite de ontem. "Na noite passada, em 7 de agosto, nós demos adeus ao nosso filho, noivo e amigo, Bryan Clauson. Ele estava cercado da família e dos amigos e somos extremamente gratos por termos ficado ao lado dele nos momentos finais", disse o comunicado. 
 
"Nosso Bryan lutou até o fim com a mesma força que demonstrava atrás do volante em todas as várias corridas de carro em que esteve. Porém, nós ficamos mais orgulhosos do nosso Bryan quando fazia o dia de um jovem fã, ou quando demonstrava sua bondade incomum e o apreço aos amigos e à família."
 
"Nós gostaríamos de agradecer a todos pela preocupação demonstrada nos últimos dias e por todas as orações. Nunca seremos capazes de realmente dizer o quanto somos gratos. Também gostaríamos de agradecer à equipe médica que cuidou de Bryan e que lutou com ele desde que chegou ao hospital. Sabemos que o nosso Bryan também é o seu Bryan", encerrou.
 
As cerimônias de despedida do jovem piloto serão realizadas no Indianapolis Motor Speedway em data e horário a serem anunciados em breve.
Bryan Clauson morreu aos 27 anos (Foto: Getty Images)
A USAC, a orgnizadora da prova, também emitiu um comunicado de pesar pela morte de Clauson. "É com extrema tristeza que devemos aceitar a morte de Bryan Clauson. Este é um dos dias mais sombrios da história da USAC em 60 anos. Perdemos um de nossos maiores campeões e um dos maiores embaixadores do nosso esporte", disse o comunicado assinado por Kevin Miller, diretor-executivo da categoria.
 
"Bryan estava disputando uma das corridas mais prestigiadas de nossa agenda quando o acidente aconteceu. Sua paixão pelo esporte era inigualável. Ele era um líder na pista e nos boxes. Estava no caminho para se tornar o piloto mais vitorioso da nossa história."
 
"Há agora um buraco enorme na nossa comunidade e estamos aflitos, compartilhando a dor da perda com sua família e amigos", concluiu a nota.
O carro de Bryan Clauson (Foto: Reprodução/Twitter)
Dono de currículo invejável nos ovais de terra norte-americanos, Clauson se classificou três vezes para as 500 Milhas de Indianápolis, em 2012, 2015 e 2016. O 23º posto desse ano foi o seu melhor. Na antiga Nationwide Series - hoje Xfinity -, andou pela Ganassi durante as temporadas 2007 e 2008, conseguindo uma pole e dois top-10, sendo um deles no tradicionalíssimo oval de Daytona.
 
Na terra, brilhou em categorias de sprint e midget nos Estados Unidos. Foi bicampeão americano de sprint car e midget, além de tricampeão nacional da USAC - prêmio dado ao piloto que teve melhores números em sprint, midget e silver crown durante o ano. 
 
Em 2016, Clauson tentava um feito pessoal: participar de 200 corridas. O desafio ganhou até nome: 'Chasing 200 Tour: Circular Insanity' - ou algo como Turnê de Perseguição das 200 corridas: Insanidade Circular. A prova do sábado era sua 116ª do ano.

Bryan deixa os pais, Tim e Di, a irmã Taylor e a noiva Lauren Stewart.
 
PADDOCK GP #40 RECEBE SÉRGIO JIMENEZ