carregando
Outras

Fraga vence GP da Nova Zelândia e é campeão do Toyota Racing Series

Igor Fraga coroou uma campanha impecável de quatro vitórias, três poles e nove pódios com o título de uma das principais competições das categorias de base do automobilismo internacional. O brasileiro entra para a galeria de campeões do Toyota Racing Series ao lado de nomes como Lando Norris, Mitch Evans e Lance Stroll

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
O fim de semana foi de festa para o automobilismo brasileiro. Horas depois de Sergio Jimenez vencer a etapa do México do Jaguar eTrophy, Igor Fraga conquistou o título do Toyota Racing Series, tradicional campeonato de base disputado todo início de ano na Nova Zelândia. Com evolução crescente ao longo de um calendário que compreendeu cinco rodadas triplas, o piloto de 21 anos fechou sua jornada com a vitória no GP da Nova Zelândia, prova derradeira do campeonato, disputado neste domingo (16) no circuito Chris Amon, em Manfeild. 
 
Liam Lawson, piloto do Red Bull Junior Team, campeão de 2019 e concorrente mais próximo de Fraga, terminou em terceiro, atrás da revelação do Toyota Racing Series 2020, o argentino Franco Colapinto, de apenas 16 anos.
 
A rodada dominical começou com a corrida 2 da etapa de Manfeild. Pelo regulamento, o grid da prova foi definido de maneira invertida em relação aos oito primeiros da disputa inicial. Fraga, que venceu a corrida 1, largou em oitavo, imediatamente atrás de Liam Lawson, Franco Colapinto e Caio Collet, enquanto a posição de honra do grid ficou com o sueco Lucas Petersson.
Igor Fraga é o mais novo campeão do Toyota Racing Series (Foto: Toyota Racing Series)
O resultado da prova foi decisivo para as pretensões de Fraga. Isso porque o brasileiro superou seu maior adversário na luta pelo título e chegou na quarta colocação, logo à frente de Lawson, enquanto Collet foi o sexto. A vitória ficou com o holandês Tijmen van der Helm, com Colapinto e o tcheco Petr Ptacek completando o pódio.
 
Lawson foi para a última corrida do campeonato com 329 pontos, somente 2 a mais em relação a Fraga. Ou seja, quem vencesse a prova conquistaria o título do Toyota Racing Series.
 
O brasileiro deu outro passo crucial para o campeonato quando conquistou a pole do GP da Nova Zelândia. Fraga marcou 1min02s706 na sua volta mais rápida e superou Collet, segundo do grid, por apenas 0s004. Lawson, o terceiro, não ficou muito atrás: apenas 0s018, para largar em terceiro, lado a lado com Colapinto, que virou tempo 0s046 mais lento que Fraga. Spike Kohlbecker fechou um top-5 separado por míseros 0s062.
 
Desde a largada, Fraga fez uma corrida segura e não deu chances aos adversários. Mesmo na esteira de três intervenções do safety-car, o piloto nascido no Japão manteve a dianteira e fechou com chave de ouro uma grande campanha na Nova Zelândia. Colapinto cruzou a linha de chegada 1s724 atrás do brasileiro, enquanto Lawson teve de se contentar com o terceiro lugar após vencer batalha com Collet, que terminou a campanha em quarto.
 
“Vencer é uma sensação inacreditável. Estou muito, muito feliz por conseguir e é algo muito especial. É importante agradecer a todo mundo que me ajudou aqui. Obviamente, meus pais, mas também o Gran Turismo, que desde o ano passado foi crucial para a minha carreira. Todos os caras da M2 Competition também trabalharam arduamente para entregar um carro competitivo”, festejou o mais novo campeão do Toyota Racing Series, que agora faz companhia a pilotos como Lando Norris, Lance Stroll e Mitch Evans, que já conquistaram o torneio.
 
O campeonato terminou com 362 pontos para Fraga, contra 356 para Lawson. Com grande ascensão ao longo do Toyota Racing Series, Colapinto terminou em terceiro e somou 313 pontos, com Yuki Tsunoda, outro protegido da Red Bull, em quarto com 254 tentos. Caio Collet completou o campeonato na sexta posição.
 
Fraga, fenômeno dos eSports e campeão mundial do FIA Gran Turismo, agora parte para outro grande desafio na carreira. Depois de uma boa campanha na F-Regional Europeia, em 2019, e do título do Toyota Racing Series neste começo de 2020, o piloto vai competir na F3 Internacional, o penúltimo degrau antes da F1, pela equipe Charouz.

Paddockast #48
MELHORES PILOTOS BRASILEIROS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.