Tricampeão da Fórmula Ford, Artur Bragantini morre aos 75 anos de doença respiratória

Artur Bragantini, três vezes campeão da Fórmula Ford brasileira, faleceu aos 75 anos. O ex-piloto estava internado na UTI para tratar de doença respiratória crônica

Morreu na manhã desta quarta-feira (21) Artur Bragantini, tricampeão da Fórmula Ford brasileira entre os anos 1970 e 1980. O ex-piloto, de 75 anos, lutava contra a DPOC, ou Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Internado na UTI, o piloto e instrutor de pilotagem não resistiu e faleceu. A informação foi confirmada pela família nas redes sociais.

A luta de Bragantini para superar a doença esbarrou em um quadro de pneumonia bacteriana. A complicação, por tabela, levou ao coma induzido. O quadro clínico eventualmente se provou irreversível.

A carreira de Artur Bragantini remonta o automobilismo dos anos 1970. O piloto começou a competir em Interlagos com um Puma GT em provas de endurance. Este era o foco da carreira, mas as coisas começaram a mudar em 1975. Foi nesse ano que Bragantini decidiu competir em carros de fórmula de forma assídua. Vieram corridas na Fórmula Ford, então principal categoria de monopostos no Brasil.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A família de Artur Bragantini confirmou a morte do ex-piloto (Foto: Reprodução)


A mudança surtiu efeito em 1977. Competindo mutuamente no Campeonato Paulista e no Campeonato Brasileiro de F-Ford, Bragantini foi campeão nos dois. 1978 traria mais um título estadual, mas sem sucesso nacional. Em 1979 e 1980, aquele que pode ser considerado o auge da carreira: Artur conseguiu mais dois títulos brasileiros, e com direito a vencer todas as oito corridas da temporada no ano do tricampeonato. Apesar do destaque, não houve a oportunidade de busca carreira internacional.

A carreira avançou em solo nacional nos anos 1980, mas sem o mesmo destaque. Bragantini viria a brigar pelo título do Brasileiro de Marcas e Pilotos em 1983, terminando em terceiro. Depois de mais algumas corridas esporádicas de monopostos, a carreira perdeu embalo. O retorno só se daria nos anos 2000, com destaque para passagem pela Stock Light em 2002 e 2003. Depois, Artur seguiu competindo de forma esporádica até 2017.

Nota da Redação: diferente do publicado anteriormente, a causa da morte de Artur Bragantini não foi a Covid-19.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar