Porsche

Di Mauro exalta “trabalho em equipe” em pole com Nonô na Porsche Endurance Series: “É emocionante”

Gaetano di Mauro não escondeu a grande satisfação em conseguir a pole-position na Porsche Endurance Series. Nesta sexta-feira (23), após anotar o melhor tempo ao lado de Nonô Figueiredo, aproveitou para ressaltar todo o aprendizado que tem conseguido ao lado do companheiro durante o final de semana
Warm Up / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos
A chuva apareceu em Interlagos, mas ela não foi capaz de parar Nonô Figueiredo e Gaetano di Mauro. Nesta sexta-feira (23), a dupla anotou o tempo de xx para conquistar a pole-position para a final da Porsche Endurance Series, e é claro que eles não poderiam comemorar mais o feito.
 
Pouco antes da tomada de tempos começar em Interlagos, o céu, que ficou azul durante todo o dia, deu espaço para nuvens negras. Entretanto, apesar da ameaça, a água apareceu apenas no final do dia.
 
Quando o grupo de Gaetano foi para a pista, o piloto conseguiu se colocar como o mais rápido da sessão com 1min35s334. Quando foi a vez de Nonô acelerar, ele apenas concretizou a pole para a corrida de longa duração do sábado.
Di Mauro e Nonô (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
“É emocionante. Na verdade, é um trabalho em equipe, sem a experiência dele não iria evoluir muito nesse final de semana. Tudo contou, conheci o carro agora e consegui encaixar bem na tomada de tempo, consegui pegar um vácuo na reta, tudo isso valeu. Muito importante estar aqui aprendendo, conseguir fazer essa pole é emocionante”, falou Gaetano.
 
Nonô contou que a chuva chegou a ter um papel importante na tomada de tempos, mas algo que ele conseguiu contornar. “[A chuva] Intimidou, atrapalhou, mas acho que acabei dando sorte, pois me posicionei bem na saída dos boxes. Estavam Lucas [Di Grassi], Marcos Gomes e [Felipe] Fraga bem na minha frente”, explicou.
 
“Em uma situação dessas, não ser o primeiro da fila ajuda bastante, estava de olho em tudo o que acontecia, se eles faziam, eu poderia fazer também. Ser o primeiro da fila naquela hora atrapalha bastante. Observei bastante e aproveitei as referências”, continuou.
 
“Mas, na verdade, o mérito é muito maior do Gaetano, pois na tomada dele, ele acabou abrindo uma diferença boa para os outros, o que me ajudou muito”, encerrou.