Porsche

Líder, Jimenez minimiza classificação para decisão da Endurance Series e mantém foco na vitória

Sergio Jimenez pode não largar da pole-position na decisão da Porsche Endurance Series, mas não encarou isso como um problema. Ao lado de Werner Neugebauer, vai sair do sexto posto do grid e, durante a corrida, espera poder se esquivar dos problemas para erguer o troféu da temporada 2018
Warm Up / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos
 Jimenez e Neugebauer (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
A pole-position para a final da Porsche Endurance Series escapou das mãos de Sérgio Jimenez, mas isso não é um problema. Após a classificação, o piloto afirmou que a posição de largada em uma prova de longa duração não é importante, mas sim se manter na frente.
 
Ao lado de Werner Neugebauer, o piloto chegou a Interlagos em uma situação bastante confortável na classificação. Afinal, com 129 pontos, o Porsche #8 está na liderança da classificação, com 32 pontos de vantagem para os segundos colocados.
 
O primeiro passo para a decisão da temporada 2018 foi dado na tarde da sexta-feira. Na tomada de tempos, a dupla fez o tempo de 1min35s843 para conquistar o quinto posto do grid de largada, fato minimizado por Jimenez.
 
"Foi boa, minha volta foi boa. Dei uma escapadinha ali no mergulho, escapei um pouco na terra e minha melhor volta foi essa. Então perdi 0s1, arrisquei, mas acho que foi uma boa volta", explicou ao GRANDE PRÊMIO.
 
"Estou contente. Werner não conseguiu encaixar uma boa volta, isso comprometeu um pouquinho, mas conseguimos ainda a terceira fila, o que, em uma corrida de 500 km, não faz tanta diferença na verdade. É lógico que é gostoso largar na pole. O bom é estar confiante para a corrida, o ritmo é bom, o carro é durável. Amanhã vamos correr para tentar a vitória e dando tudo certo, levantar o título na bandeirada", continuou.
Jimenez e Neugebauer (Foto: Luca Bassani)
Apesar de postulante ao título, Jimenez entende que em uma corrida de longa duração, o importante é se manter longe de problemas. “Ano passado, estava liderando com 40s de vantagem com Rodrigo Baptista, ainda tinha metade da corrida, tinha super ritmo, uma baita estratégia, mas acabamos quebrando, um problema mecânico, comprometeu todo o fim de semana, não deu tempo de arrumar, então perdi o título, perdi a prova”, falou. 
 
“Têm as variáveis que você não controla, claro que vamos tentar escapar de algumas delas, batidas, retardatários. A condição climática vai ser um atrativo durante a prova, tudo indica que vamos ter chuva”, continuou.
 
“É tentar se manter na pista buscando estar na frente. Temos uma vantagem que temos que aproveitar para poder levantar e vencer esse título, que é o principal que a gente quer, mas também pensando na vitória da corrida”, pontuou.
 
Como Sergio falou, a previsão para a prova é de chuva. Questionado se isso trazia mais tensão ao postulante ao título, ele respondeu que "penso que não tem que ficar pensando, vamos para a prova, se chove ou não chove. Há coisas que não tem como a gente controlar", pontuou.
 
"Torcer, tentar se prevenir da melhor forma para que não nos peguem de surpresa em nenhum momento, mas focar para frente, não ficar pensando em defender e nem ficar fazendo conta. Vamos para frente e tentar vencer a prova", encerrou.