Porsche

Retrospectiva 2018: Porsche Carrera 3.8 chega com jovens talentos e aposta certeira do Junior Program

A Porsche Carrera Cup 3.8 teve um ano de estreia em grande estilo na pista. Com jovens talentos e a primeira edição do Junior Program, contou com uma temporada equilibrada e Vitor Baptista como grande campeão
Warm Up / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
 Vitor Baptista (Foto: Vitor Eleutério)
A temporada da Porsche Carrera Cup 3.8 chegou mostrando grande força m 2018. Pela primeira vez na pista, contou com jovens talentos que protagonizaram uma equilibrada disputada pelo título, vencida por Vitor Batista.
 
Entretanto, antes mesmo de começar a recapitular o campeonato, é preciso voltar um pouco no tempo em um ponto pouco antes de seu início. Pela primeira vez, a Porsche trouxe Junior Program, programa de seleção que elegeu três pilotos para receberem ajuda para disputar o ano completo. Os contemplados foram Vitor, Marcel Coletta e Marcus Vario.
 
E logo na primeira etapa do ano, o #120 mostrou ter sido uma aposta certeira do programa e que aquele seria apenas seu primeiro triunfo de 2018. Em Curitiba, conquistou uma segunda colocação na primeira corrida e uma vitória na corrida 2. Ali, já assumiu a liderança da tabela de pontos.
 
A partir de então, a ascensão brilhante do piloto foi cada vez maior. Nas disputas restantes, subiu mais nove vezes ao pódio – sendo três delas vitórias, e desembarcou como favorito ao título na decisão do campeonato, a etapa que seria a preliminar da F1.
Vitor Baptista (Foto: Luca Bassani)
Naquele final de semana, contou com ótimo desempenho e azar de Gaetano di Mauro, seu adversário pelo caneco, para sair como grande campeão da temporada. “Tenho sensação de dever cumprido. Esse foi nosso foco desde o começo do ano, quando surgiu a oportunidade da Porsche de entrar no Junior Program”, falou ao GRANDE PRÊMIO.
 
“Fico muito feliz em mostrar o meu potencial, mostrar que eles apostaram em algo que no fim deu certo, uma realização não só minha, como do Dener e da equipe da Porsche, e agora é focar no ano que vem na 4.0, o nível vai estar ainda melhor, tem pilotos da 3.8 subindo e outros pilotos já experientes na categoria. Vamos focar e tentar ganhar de novo”, completou.
 
Entretanto, ao longo do caminho, encontrou grandes nomes e adversários da pista. Não só Di Mauro, mas também Vario, Bruno Baptista, Marcel Coletta, Enzo Elias se mostraram competidores duros e grandes obstáculos na jornada pelo título.
 
“Foi um campeonato divertido e ao mesmo tempo aprendi bastante coisa. Alguns erros durante o campeonato, mas que no final serviram de lição e cheguei ainda mais forte no fim. Foi o primeiro ano da categoria em que eles apostaram em uma classe em que entraria pilotos mais jovens”, afirmou.
 
“A Porsche deixou de ser aquela categoria apenas de gentleman drivers. Então cho que eles apostaram de uma maneira certa, e também fico feliz de estar no primeiro ano do Junior Program no Brasil e também da categoria da Porsche apostando nesses pilotos jovens e ganhar”, completou.
Gaetano di Mauro (Foto: Luca Bassani)
Gaetano foi o grande vice-campeão de 2018, chegando a conquistar três vitórias. Apesar da grande evolução ao longo da temporada, teve uma etapa final bastante negativa, somando apenas oito pontos. “Acho que aprendi muito durante esse ano”, afirmou ao GP.
 
“Passei momentos de dificuldade, comecei o ano com dificuldade na Porsche, pois não tinha treinado, cheguei direto para a primeira corrida, acabei escapando na primeira corrida onde tinha ritmo para ganhar”, seguiu.
 
“Mas tudo faz parte, evolui muito durante esse ano, aprendi a correr, aprendi a entender um pneu que tem um grande gap do início da corrida para o final. Tudo isso é válido para um piloto, para a experiência de poder subir e ir para a próxima categoria”, concluiu.
 
A temporada 2019 da Porsche Cup já tem sua data para começar. O pontapé inicial acontece no dia 16 de março, em Interlagos.