A caminho do México, líder Ogier evita falar sobre favoritismo da Volkswagen no WRC

Líder do Mundial de Rali após duas etapas, Sébastien Ogier prefere esperar um pouco mais antes de falar em favoritismo. O WRC disputa sua terceira prova em 2013 neste fim de semana: o Rali do México, em León

Nem Citroën, tampouco M-Sport. A grande líder do Mundial de Rali neste começo de temporada é a estreante Volkswagen. Mostrando logo de cara o trabalho que a consagrou no Dakar com os lendários Race Touareg, a montadora de Wolfsburgo alcançou dois resultados muito expressivos com Sébastien Ogier: segundo lugar em Monte Carlo e a vitória no Rali da Suécia — disputado no gelo —, com o francês superando seu ex-companheiro de equipe e maior piloto da história, Sébastien Loeb. Como consequência, veio a liderança da temporada.

Apesar da grande performance do Polo-R WRC neste princípio de Mundial, Ogier deixa claro que prefere esperar um pouco mais para avaliar o potencial do novo carro da Volkswagen. A expectativa do piloto francês está nas etapas que serão disputadas na terra e no cascalho. E essa nova fase da temporada começará neste fim de semana com a realização do tradicional Rali do México, em León.

Após vitória histórica na Suécia, Ogier viaja rumo ao México para manter liderança do WRC (Foto: Facebook/Rali da Suécia)

Por isso, Ogier pediu muita calma nessa hora. “Nós completamos somente duas de 13 etapas do Mundial Ainda não sabemos realmente o quão bom nós somos. Temos de esperar e ver como vamos estar na terra, que é a superfície da maioria das etapas do WRC”, comentou.

“Talvez tenhamos de repensar nossos objetivos na temporada depois de Portugal ou da Argentina”, comentou o líder do Mundial, mencionando as próximas etapas do WRC após a etapa em Guanajuato. A título de curiosidade, o Rali do México será a primeira prova do Mundial de Rali sem Loeb desde 2006. Na época, Sébastien ficou de fora de quatro etapas — Turquia, Austrália, Nova Zelândia e Gales — por conta de uma lesão no braço. Desta vez, contudo, sua ausência é justificada pelo fim da carreira de Loeb, que só vai correr na Argentina, em maio, e na França, encerrando sua jornada no WRC diante dos seus fãs.

Disposto a ocupar o lugar do mítico Loeb, Ogier parece determinado a brigar com todas suas forças pelo título. “Uma coisa é certa: se nós ainda tivermos uma chance no fim da temporada, vamos lutar até o fim”, garantiu. “Vou encarar todos os ralis com o mesmo espírito de luta. Nós, obviamente, estamos mais do que felizes com a forma como a temporada começou.”

“Entretanto, Monte Carlo e Suécia são ralis únicos, que não podem ser comparados com as outras etapas do Mundial. Ainda temos um longo caminho pela frente. Porém, não podemos baixar a guarda, já que temos pontos valiosos no Mundial”, ponderou Ogier, jogando a responsabilidade e a pressão para as equipes rivais. “Da mesma forma, as outras equipes agora estão mais pressionadas do que nós”, concluiu o gaulês.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube