Animado com primeira vitória pela Citroën, Hirvonen define título do WRC como meta para 2013

Seis meses depois de perder a vitória no Rali de Portugal por conta de uma irregularidade em seu DS3, Mikko Hirvonen e Jarmo Lehtinen finalmente chegaram ao primeiro triunfo pela Citroën. Sem a oposição de Sébastien Loeb em 2013, a dupla tem como meta o título mundial

O fim de semana do Rali da Itália foi histórico para Mikko Hirvonen, Jarmo Lehtinen e a Citroën. Foi a primeira vitória da dupla finlandesa pela montadora francesa no Mundial de Rali. E é possível dizer que o triunfo na Sardenha foi o início de uma nova era para ambos. Para a Citroën, que não terá mais Sébastien Loeb em uma temporada completa e para Hirvonen e Lehtinen, que terão a chance de liderar a equipe rumo a mais um título.

Muito animado com a vitória na Itália — 15º triunfo da sua carreira, que lhe valeu a conquista do vice-campeonato mundial pela quarta vez em cinco temporadas —, Hirvonen entende que a conquista é um ponto de partida para um campeonato que só terminará no ano que vem. “De certa forma, sinto como se eu tivesse vencido meu primeiro rali”, vibrou o nórdico, de 32 anos, que defendeu a Ford desde 2006 até se transferir para a Citroën, nesta temporada.

Ao lado do navegador Lehtinen, Hirvonen mira título mundial em 2013 (Foto: Citroën Racing)

“Nós conversamos com a equipe e com os mecânicos antes do início do rali e decidimos que este seria meu primeiro rali de 2013. Então nós começamos bem, e agora eu quero manter isso”, disse o piloto.

Há seis meses, Hirvonen e Lehtinen venceram o Rali de Portugal, disputado na região de Faro. Contudo, o DS3 da dupla foi submetido à inspeção da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que detectou irregularidades no sistema de embreagem. A vitória, naquela prova, acabou sendo herdada por Mads Ostberg, a primeira e única de um piloto de equipe particular nesta temporada.

Em declaração feita ao site da Citroën Racing, Hirvonen disse que teve de fazer uma corrida cerebral e poupar o equipamento, já que grandes favoritos à vitória, como Loeb, Thierry Neuville, Jari-Matti Latvala e Petter Solberg enfrentaram problemas e deixaram a luta pela vitória na Sardenha.

“Eu sabia que poderíamos fazer isso [chegar à vitória], certamente. Você ainda tem de terminar todas as especiais e levamos isso de maneira estável. Sabia que poderia ir para o fim [do rali] mais lentamente, apenas certo de que não cometeria nenhum erro, e nós fizemos isso, então estou muito feliz”, comemorou o experiente piloto, de olho no título de 2013.

E se depender de Yves Matton, chefe de equipe da Citroën, Hirvonen terá todo o apoio para deixar de ser o número 2 e virar o primeiro piloto da escuderia francesa na próxima temporada. “O resultado não foi oferecido a eles em um prato. Eles tiveram de adotar um nível altíssimo de performance desde o começo da prova, e os outros líderes cometeram erros ao lutar com eles pela ponta. E depois de vencer os títulos de pilotos e construtores no Rali da França, agora fechamos vice de Mikko”, destacou o dirigente francês, que fez questão de avisar. “Só falta um passo para ele dar em sua carreira, e nós vamos trabalhar duro para ajuda-lo a conseguir isso em 2013”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube