Após demissão, Araújo entra na justiça contra Mini e revela pressão para dizer que estava doente

O português Armindo Araújo fez duras acusações contra a Mini, marca que defendeu no WRC até o Rali da Finlândia. Demitido, o piloto revelou pressões da Mini e afirmou que a equipe tenta se isentar de qualquer culpa por problemas técnicos e repassá-la aos pilotos. A polêmica também inclui o uso de uma marca pertencente a Araújo

Demitido da Mini no WRC, Armindo Araújo está na justiça contra a equipe, depois que o time o pressionou para dizer que não competiria no Rali da Alemanha, próxima etapa do campeonato, neste fim de semana, por problemas de saúde – que, segundo o piloto, não existem.

A Motorsport Italia – nome oficial da equipe que compete no Mundial de Rali como Team Mini Portugal – afirmou, na ocasião da dispensa, que isso permitiria que Araújo “recuperasse seu foco”. O português se defendeu acusando o time de colocar a culpa por problemas técnicos nos pilotos.

Armindo Araújo não mais defenderá a Mini no WRC (Foto: Facebook/Team Mini Portugal)

“Durante um teste na Alemanha, entre 10 e 12 de agosto, não me deixaram testar o carro e me colocaram sob pressão para que eu dissesse que estava doente e que não competiria no Rali da Alemanha. No momento, eu não pude acreditar que algo do tipo estava sendo proposto”, revelou Araújo, em nota.

“Depois, em 15 de agosto, a Motorsport Italia pediu permissão para usar a licença WRC Team Mini Portugal, que pertence à minha companhia, com outro piloto até o fim da temporada. Eu recusei e, no dia seguinte, fui informado de que não era mais o piloto, sem qualquer justificativa ou explicação válida”, continuou o luso.

“No dia 17, eu informei a Motorsport Italia, a Mini da Alemanha e a Mini de Portugal que eu havia coletado todas as informações a respeito deste tema e enviado para os meus advogados, que tomarão todas as ações legais que se mostram necessárias para proteger o meu nome e o projeto pelo qual eu tenho um respeito enorme. Esses fatos também foram reportados à FIA”, explicou o piloto.

Araújo informou também que seus patrocinadores estão de acordo com sua atitude. A partir do Rali da Alemanha, o posto que antes era do português passará a ser ocupado por Chris Atkinson.

Por fim, o 13º colocado na classificação do WRC disse que, desde o Rali do México que a relação está mais complicada. “O time está tentando camuflar os problemas técnicos e jogar a culpa nos pilotos, em mim e no Paulo Nobre”, acusou, referindo-se ao piloto brasileiro que também representa a marca no Mundial de Rali. Além disso, “eles manipularam todos os meus press releases, que foram todos aprovados pela Mini Portugal e nunca fizeram nenhuma referência negativa a eles”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube