Às vésperas do adeus da Peugeot, diretor descarta favorecer Loeb no Dakar: “O importante é que um dos nossos vença”

Diretor da Peugeot Sport, Bruno Famin descartou favorecer Sébastien Loeb na edição 2018 do Rali Dakar. Dirigente destacou que o que importa é um dos quatro carros da marca vença no adeus à competição

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Dominante ao longo dos últimos anos, a Peugeot se despede do Rali Dakar na edição 2018. Ainda assim, a marca francesa descarta favorecer Sébastian Loeb em detrimento de Carlos Sainz, Stéphane Peterhansel e Cyril Despres na prova que vai passar por Peru, Bolívia e Argentina a partir do dia 6.
 
Depois de Loeb declarar que 2018 é sua “última chance” de vencer o Dakar, Famin destacou que a força da Peugeot é ter um conjunto capaz de triunfar.
Bruno Famin descartou favorecer Sébastien Loeb no Dakar (Foto: Eric Vargiolu/DPPI)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“A força da nossa equipe é a de ter um conjunto capaz de vencer com os quatro pilotos e copilotos ao usar um carro realmente bom”, disse Famin. “Além disso, nossos quatro membros sabem extrair 100% o potencial do 3008 DKR e isso não se pode dizer de todos”, seguiu.
 
“Estou convencido de que, no final, será o próprio piloto que marcará a diferença, porque pode haver qualquer inconveniente no meio, apesar de termos tratado de construir o melhor carro possível. Vencerá o piloto que saiba resolvê-los”, apostou. “A única coisa que sabemos nesta corrida, como em todos os ralis, é que acontecerão muitas coisas. A meteorologia ou os incidentes de corrida, assim como as falhas e pilotagem, mecânicas ou de navegação, estarão ali. É impossível saber quem vai ganhar, se será Loeb ou não. Para nós, o importante é que um dos nossos vença. Ficaremos satisfeitos se isso acontecer”, frisou.
 
“Não duvido nem por um segundo de que nossos pilotos darão tudo para vencer, porque eles são profissionais, com um currículo de enorme nível e que deixam a alma quando correm. É por isso que os pagamos”, frisou.
 
Ainda, o dirigente destacou que o Dakar de 2018 terá um percurso bastante exigente e lembrou os problemas causados pela chuva no ano passado, que forçou o cancelamento de quase 50% das especiais.
 
“O percurso do Dakar 2018 é longo e complicado, com um dia mais em relação ao ano anterior. Pelo menos, teremos mais sol durante a corrida. Ou não confirmaram que teremos sol?”, brincou. “Podemos pensar que o ano passado foi algo excepcional, que não se repetirá”, considerou. 
 
“Mas é certo que a última etapa do Dakar 2018, o trecho em torno de Córdoba, com mais de 30°C, como anunciou o diretor-esportivo Marc Coma, me preocupa se chover”, reconheceu.
 
Questionado sobre o novo buggy da Mini e da X-Raid, Famin admitiu que sabe pouco sobre o bólido, mas destacou que a Peugeot está focada em seu próprio trabalho.
 
“Não tinha visto o carro até a apresentação dele em Paris no dia anterior à apresentação do Dakar 2018”, contou Bruno. “Por outro lado, sabíamos que ele existía, mas não tratamos de saber mais”, seguiu.
 
“Na Peugeot, como forma de agir, sempre nos preocupamos com as nossas coisas. Estamos concentrados no nosso trabalho. Não duvido que os demais tenham trabalhado bem, mas nós não fomos ver o que eles estão fazendo”, encerrou.
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube