Brabec puxa trinca da Honda na 3ª especial e assume liderança do Dakar nas motos

Ricky Brabec completou o estágio realizado em Neom em 4h08min23s e venceu a terceira especial do Rali Dakar em um 1-2-3 da Honda com José Ignacio Cornejo Florimo e Kevin Benavides. Além da vitória na especial, Brabec tomou a liderança da disputa entre as motos

3ª etapa –  Neom – Neom
Trecho de especial: 404 km
Deslocamentos: 84 km
Trecho total: 488 km
 
A Honda teve um dia glorioso no Rali Dakar em Neom nesta terça-feira (7). A marca da asa dourada dominou o top-3 da especial, com Ricky Brabec conquistando uma vitória folgada em cima de José Ignacio Cornejo Florimo e Kevin Benavides.
 
Vencedor da etapa de segunda-feira, Ross Branch teve a dura missão de abrir o trecho em laço de Neom, uma tarefa que se provou custosa para Toby Price na segunda especial. Além da inexperiência em abrir a trilha, o piloto de Botswana ainda tinha de lidar com o fato de ter recebido a planilha apenas alguns minutos antes do início da especial.
Ricky Brabec (Foto: Honda)
Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Bem posicionado para a largada, Brabec começou a especial com força e, na marca de 43 km, já exibia 7s de frente para Kevin Benavides. Branch, por sua vez, tinha o terceiro tempo, só 10s atrás do norte-americano da Honda. Pouco depois, porém, Ross perdeu muito tempo no km 88, assim como Pablo Quintanilla.
 
O dia, aliás, foi cheio de percalços. Paulo Gonçalves parou depois de 30 km com um motor quebrado e ficou trabalhando na moto para tentar voltar à disputa. Bem antes, depois de só 3 km. Adrien Van Beveren, da Yamaha, caiu feio e precisou ser evacuado de helicóptero para o acampamento de Neom. Depois de exames iniciais, o francês foi levado ao hospital King Khalid com suspeita de fratura na clavícula. Guillaume Cholet abandonou depois de machucar o quadril numa queda no km 58. Olaf Harmsen caiu feio num salto no km 122 e precisou ser levado de volta ao acampamento pela equipe médica. 
 
Enquanto isso, Brabec seguiu firme e forte. Passados os primeiros 100 km da especial, Ricky sustentava 1min34s de vantagem para Kevin Benavides, com Price aparecendo em terceiro. Branch, por outro lado, caiu no km 90 e perdeu quase 40 minutos.
 
Depois da marca de 250 km da especial, Brabec subiu o ritmo para se afastar dos demais, abrindo 4min30s para Price e Kevin. Líder do Dakar na largada da especial, Sam Sunderland não vivia um dia dos melhores e tinha 10 minutos de atraso para Ricky.
 
O #9 não diminuiu o ritmo e, com 350 km de especial, levou a vantagem para Cornejo para 7min43s. Xavier de Soultrait e Price vinham na sequência da tabela. Enquanto isso, Quintanilla e Sunderland perderam muito tempo, cedendo mais de 20 minutos ao líder.
 
Na sequência, Price e De Soultrait saíram da trilha por 900 metros, perdendo bastante tempo.
 
Alheio aos problemas da concorrência, Brabec conquistou a vitória na especial de Neom com 9min39s de vantagem para Cornejo, com Barreda completando o trecho em terceiro, mais 3min77s atrás.
 
Algumas horas após o encerramento da prova, a organização anunciou uma mudança no resultado. Por conta de um problema com o GPS das motos, o Dakar decidiu que os resultados seriam estabelecidos com base no waypoint 53, depois de 389 km de especial.
 
Assim, Brabec venceu com 5min56s de vantagem para Cornejo, com Kevin Benavides saltando para o terceiro posto. Matthias Walkner foi promovido à quarta colocação, enquanto Toby Price se deu bem de verdade, já que ficou em quinto, cedendo só 8min35s ao norte-americano. Joan Barreda cai para sexto, seguido por Luciano Benavides, De Soultrait, Skyler Howes e Adrien Metge.
#GALERIA(10000)
Com a mudança na especial, Brabec mantém a liderança do Dakar, mas com 4min43s de vantagem para Kevin. Walkner aparece em terceiro, seguido por Barreda, Cornejo, Price, Luciano Benavides, Quintanilla, Sunderland e De Soultrait. 
 
Enrico vence especial. Casale mantém liderança nos quads
 
Giovanni Enrico levou a melhor no terceiro dia do Rali Dakar. O #267 completou o trecho de Neom em 5h08min08s, 1min à frente de Simon Vitse. Ignacio Casale completou o top-3.
 
Primeiro quad a entrar na especial desta terça, Casale começou bem o estágio e chegou a marca de 100 km com 43s de vantagem para Enrico. Rafal Sonik tinha o terceiro tempo, 2min39s.
 
Pela primeira vez desde o início do rali, Casale foi bastante pressionado. Com 200 km de especial, o chileno tinha só 22s de frente para Enrico, enquanto Sonik e Vitse já tinham cedido cerca de 3 minutos.
 
Depois de 352 km, Enrico virou o jogo e tomou a liderança de Casale, abrindo 1min45s de frente. O #267, então, seguiu firme para completar a especial em 5h08min08s, 1min à frente de Vitse, que passou Casale por 35s. Rafal Sonik ficou com o quarto posto, à frente de Manuel Andujar.
 
Apesar da derrota, Casale segue na liderança do Dakar entre os quads. O chileno tem 19min56s de vantagem para Sonik. Enrico é o terceiro na tabela, seguido por Vitse e Andujar. 
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube