Campeão do Dakar, Al-Attiyah fatura medalha de bronze no tiro skeet nos Jogos Olímpicos de Londres

Em sua quinta participação nos Jogos Olímpicos, Nasser Al-Attiyah fez história mais uma vez no esporte. Vencedor do Dakar em 2011, o catariano conquistou a medalha de bronze no tiro skeet nesta terça-feira (31)

Um ano e meio depois de ter conquistado o título no Rali Dakar, Nasser Al-Attiyah voltou a escrever seu nome na história do esporte. Mas bem longe das trilhas de asfalto e terra dos ralis que costuma disputar ao redor do mundo. O ‘Príncipe do Deserto’, de 41 anos, disputou nesta terça-feira (31) a final do tiro skeet — ou tiro ao prato — nos Jogos Olímpicos de Londres. Em sua quinta Olimpíada, Nasser conquistou seu melhor resultado e faturou a medalha de bronze, derrotando Valeriy Shomin na etapa de desempate.

Após bater russo no desempate, Al-Attiyah conquista bronze no tiro skeet em Londres (Foto: Reprodução)

Até então, seu melhor resultado em Jogos Olímpicos havia sido o quarto lugar em Atenas, em 2004. Nasser também competiu em Atlanta 1996, Sydney 2000, Pequim e em Londres, onde sempre esteve entre os primeiros colocados desde o início da competição, se credenciando como um dos favoritos à medalha. O árabe é um dos quatro detentores do recorde mundial, alcançando a pontuação máxima, de 150 pontos, conquistado no campeonato asiático de tiro.

Al-Attiyah só foi superado pelo jovem norte-americano Vincent Hancock, de 23 anos, que se tornou bicampeão olímpico em Londres com 148 pontos. A prata ficou com o dinamarquês Anders Golding, com dois pontos a menos.

Nasser empatou em 144 pontos com Shomin, e conforme a regra do tiro olímpico, ambos foram para o desempate. Após três baterias de dois tiros cada, Al-Attiyah acertou todas as tentativas, enquanto o russo errou o último tiro, dando o bronze ao ‘Príncipe do Deserto’.

No automobilismo, Al-Attiyah compete atualmente no Mundial de Rali com o terceiro carro da Citroën no chamado Qatar World Rally Team. Contudo, para se preparar de maneira adequada para os Jogos Olímpicos, Nasser abriu mão de disputar o Rali da Nova Zelândia — cedendo a condução do Citroën DS3 de número 7 a Thierry Neuville — e também não vai correr na Finlândia, no próximo fim de semana. O responsável por pilotar seu carro será Chris Atkinson.

Al-Attiyah também tem passagem de sucesso pelo Brasil. Em sua única participação no Rali dos Sertões, em 2009, correndo pela Volkswagen, o catariano, ao lado do navegador alemão Timo Gottschalk, conquistou o segundo lugar, sendo batido apenas por Carlos Sainz e Lucas Cruz. Contudo, além da sua bela performance nas pistas, Nasser emocionou a todos no encerramento da competição ao doar US$ 20 mil para Helena Deyama e Joseane Koerich, que tiveram o carro destruído por conta de um incêndio durante a prova daquele ano.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube