Citroën desmente revista e nega venda de equipe do WRC para Al-Attiyah na temporada 2013

Yves Matton negou a informação veiculada pela francesa ‘Auto Hebdo’, que dava conta da venda da equipe octocampeã do WRC para um fundo de investimentos liderado por Nasser Al-Attiyah

Na última terça-feira (31), quase ao mesmo tempo em que Nasser Al-Attiyah conquistava a medalha de bronze no tiro skeet nos Jogos Olímpicos de Londres, uma nota publicada na revista francesa ‘Auto Hebdo’ estremeceu o mundo do rali. De acordo com a publicação, a equipe Citroën, octocampeã do WRC — sempre com Sébastien Loeb —, seria vendida a um fundo de investimentos do Catar, liderado justamente por Nasser. Além da sequência no WRC, a revista considerou que a Citroën, sob nova gestão, poderia voltar ao Dakar, com Al-Attiyah e também com Loeb em um futuro recente.

A Citroën negou que vá vender sua equipe no WRC para fundo de investimentos do Catar (Foto: Facebook)

São dois os fatores que levaram ao rumor veiculado na terça: a crise econômica no grupo PSA Citroën-Peugeot, que resultou no fechamento de uma fábrica na França e na demissão de 8 mil funcionários, além da ligação de Nasser com a equipe francesa. Da parceria com a Citroën nasceu o Team Qatar, onde o árabe guia o terceiro DS3 no Mundial de Rali. Contudo, Yves Matton, chefe da equipe francesa, desmentiu a nota veiculada pela ‘Auto Hebdo’ nesta quarta-feira.

“Não sei de onde isso veio. Claro, temos fortes ligações com Nasser e o Catar, mas esta é uma parceria com Nasser guiando um Citroën. Nada aconteceu além disso”, garantiu o dirigente francês, descartando a possibilidade de a equipe ser vendida, independente da crise econômica no mercado de vendas de automóveis.

“Simplesmente não é possível alguém vir e comprar a Citroën Racing. A Citroën é um departamento da empresa, não se trata de uma empresa distinta que pode ser vendida à parte. Seria como se alguém quisesse comprar o departamento de marketing da Citroën”, comparou Matton.

Contudo, o chefe da escuderia francesa admitiu que há preocupação com o momento econômico atual e que busca garantir maior poderio financeiro visando a próxima temporada. “Nós vamos estar à procura de mais parceiros visando o ano que vem para diminuir o valor líquido do custo para a marca, mas a venda da Citroën Racing não é, absolutamente, uma opção”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube