Com 30 anos entre primeira e 14ª vitórias no Dakar, Peterhansel se vê privilegiado

14 vitórias em 30 anos. Maior ganhador do Dakar, Stéphane Peterhansel ainda se enxerga como um privilegiado por ser campeão nas três fases do rali

14 vitórias no Rali Dakar. Pode até parecer um número totalmente incrível se jogado ao ar sem contexto, mas não é tão irreal assim para quem acompanha o histórico de Stéphane Peterhansel. O ‘Monsieur Dakar’ confirmou o troféu de número 14 na última sexta-feira, na chegada a Jedá, na Arábia Saudita. E três décadas após vencer a primeira ainda se enxerga como privilegiado.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Realmente, os números são impressionantes. A primeira conquista de Peterhansel veio em 1991, ainda nas motos e, 30 anos depois, ainda está no topo. Ao longo dos anos, foram seis vitórias nas motos – 1991, 1992, 1993, 1995, 1997 e 1998 – e oito nos carros – 2004, 2005, 2007, 2012, 2013, 2016, 2017 e 2021.

“Sempre há muita pressão, é por isso que eu sempre digo que todas as edições são muito complicadas de ganhar. Você precisa dar tudo de si, ser completo, ter um bom time, um bom carro e, claro, um ótimo copiloto”, afirmou à revista inglesa Autosport.

“Além disso tudo, o erro é humano, nós cometemos erros rapidamente. Vencer pela 14ª vez foi importante, porque permitiu que colocar 30 anos entre essa vitória e a primeira, em 1991”, recordou.

14 vezes Stéphane Peterhansel (Foto: Red Bull Content Pool)

“E mais, acredito que eu sou o único a ter vencido em todos os três continentes. Tendo vivido durante os anos de África, América do Sul e, agora, Arábia Saudita, ainda somos privilegiados”, avaliou.

Por fim, ainda exaltou o navegador Edouard Boulanger e falou sobre a capacidade de se manter tranquilo em momentos difíceis.

“Não é só a experiência, porque quando você olhar para Edouard Boulanger, ele tem pouquíssima experiência como copiloto. É a capacidade de ver as coisas claramente, analisar o mapa na parte da navegação. Da minha parte, tentei não me deixar levar quando me senti mais lento”, encerrou.

A vitória de Peterhansel em 2021 foi baseada na constância. O francês venceu somente uma das 12 especiais, ao passo que o rival Nasser Al-Attiyah levou cinco – e terminou mais de 13 minutos atrás na classificação geral. Os dois, inclusive, trocaram farpas depois da chegada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube