Com Alonso em 26º, De Villiers vence Rali do Marrocos. Peterhansel é campeão mundial

Giniel de Villiers manteve a vitória do Rali do Marrocos, ao passo que Stéphane Peterhansel terminou em quarto e ficou com o título mundial de rali cross-country junto da navegadora experiente Andrea Peterhansel - os dois são casados. Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin ficaram com o título mundial na classe T3

O Rali do Marrocos, etapa derradeira do Campeonato Mundial de Rali Cross-Country, terminou nesta quarta-feira (9), na cidade de Fez, e teve a vitória de Giniel de Villiers entre os carros. O piloto sul-africano, que conta com Alex Haro como navegador, completou a disputa em 17h48min44s a bordo de um Toyota Hilux.
 
Um trio com carros MINI veio na sequência. Carlos Sainz concluiu em 18h06min26s, 41 minutos mais cedo que Jakub Przygoński. 
 
O quarto lugar ficou com o Mr. Dakar Stéphane Peterhansel. O francês conta com a esposa, Andrea Peterhansel, como navegadora. Com os pontos do quarto lugar, apesar do acidente em que se envolveram na terça-feira, confirmaram o título mundial de Rali Cross-Country e alcançaram uma marca: é a primeira vez que um casal casado vence o Mundial em parceria. É importante lembrar que Andrea tem longa carreira nos ralis, não é uma iniciante.
 
"É nosso primeiro ano juntos e com muito sucesso. Podemos melhorar, mas foi legal demais fazer isso juntos. Ontem era possível ganhar o rali e o Mundial, algo que não deu, no fim das contas, cometemos um erro grande demais. Faltava um Mundial para mim, nunca estive focado nele, mas tivemos essa oportunidade com a X-Raid, a Mini, de fazer três corridas. Termos feito isso juntos foi bom. A primeira grande emoção foi quando ganhamos o Desafio do Deserto de Abu Dhabi, creio que foi a primeira rodada do Mundial, e agora ganhamos o campeonato. Grande emoção e baita memória", disse Stéphane.
Stéphane e Andrea Peterhansel (Foto: Divulgação/FIA)
"Sinto-me bem, foi uma gangorra", seguiu Andrea. "Fomos de heróis a vilões e de vilões a heróis, incrível. É diferente quando fazemos isso com nosso parceiro, é diferente e as emoções nos deixam muito felizes", completou. 
 
E Fernando Alonso? Após um começo de semana complicado, o bicampeão mundial de F1 terminou na 26ª colocação ao lado de Marc Coma, o experiente piloto, como navegador.
 
"Claro que tivemos problemas todos os dias, mas estamos aprendendo com eles. Mesmo assim, gostei muito, hoje o lugar era muito bonito, foi legal guiar. Tivemos dificuldades e perdemos tempo, mas mesmo assim eu me sinto satisfeito com a posição, o tempo final. Terminar o Rali é mais difícil que parece, e conseguimos logo de cara. Estou feliz por isso, mas temos muito a aprender, do meu lado, para o futuro", comentou.
O veículo de Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin (Foto: Divulgação/Mundo Press)
Título mundial da dupla brasileira
 
Entre os UTVs, na classe T3, a dupla formada pelo piloto Reinaldo Varela e o navegador Gustavo Gugelmin venceu o Rali do Marrocos e, desta forma, confirmaram a conquista do título mundial. Na realidade, o rendimento foi tão sólido que garantiu aos dois o terceiro lugar geral do Mundial, entre os carros, superando vários de categorias superior. Apenas Peterhansel e Nasser Al-Attiyah ficaram à frente. No Marrocos, terminaram no sétimo lugar geral.
 
"A missão foi cumprida, somos os campeões da categoria T3 e ainda compusemos o Top 3 dos carros no Mundial. A temporada foi muito difícil, ainda mais aqui no Marrocos, que é um rali que atrai competidores de todo o mundo por ser preparatório para o Rali Dakar. A cada dia, tivemos um desafio maior. A quinta e última etapa foi duríssima, com muitas pedras", destacou Varela, que já conta com outros dois títulos mundiais, mas na classe T2. 
 
"A navegação foi muito exigida em todas as etapas. O entrosamento foi importante na nossa dupla, em algumas ocasiões eu ajudei o Gugelmin a navegar e ele me ajudou a pilotar, tamanha a sintonia. O Can-Am Maverick X3 é outro ponto muito importante, pois é um equipamento robusto e compacto, o que nos tranquiliza muito para buscar o melhor em cada prova", finalizou. 
 
Já na classe T2, o título ficou Mohammed Al-Meer, apesar da vitória no rali marroquino ter caído na mão de Tomasz Baranowski.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube