Com dez minutos de vantagem, Barreda vence etapa de Arequipa e Van Beveren sustenta liderança do Rali Dakar nas motos

Adrien Van Beveren segue na liderança do Rali Dakar, mas sabe que vai ter um grande rival pela frente ao longo da prova. Nesta quarta-feira de último dia de percurso completo no Deserto do Atacama, Joan Barreda Bort deu show e, com atuação perfeita, retomou a liderança da prova com a Honda. Matthias Walkner, da KTM, foi o segundo, à frente do argentino Kevin Benavides, também da Honda

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

5ª ETAPA | 10 de janeiro

San Juan de Marcona (PER) – Arequipa (PER)
Trecho cronometrado: 267 km
Percurso total: 932 km
 
Grande esperança da Honda no Rali Dakar, Joan Barreda viveu uma quarta-feira (10) quase perfeita no adeus da 40ª edição da prova ao Deserto do Atacama. Ao longo de um trecho cronometrado de 267 km, mas de percurso total de quase 1.000 km, o espanhol completou a especial entre San Juan de Marcona e Arequipa, a última totalmente em solo peruano, em 3h19min42s. A performance foi impressionante quando se nota a diferença para o segundo colocado. Matthias Wakner, austríaco da KTM, ficou 10min06s atrás de Barreda. 
 
Adrien Van Beveren foi apenas o quinto no geral, mas continua na liderança do rali. O francês ficou a 14min35s de Barreda. Van Beveren ainda foi superado pela Honda do argentino Kevin Benavides, que vem fazendo ótimo rali, e também por Antoine Meo, francês da KTM. Em seguida, finalizou outro gaulês, Xavier de Soultrait, companheiro de Van Beveren na Yamaha.
Joan Barreda teve uma quarta-feira perfeita no adeus ao Atacama na edição 2018 do Dakar (Foto: DPPI)
Campeão do Rali Dakar em 2016, Toby Price vai tentando se recuperar na prova e, perto do fim da primeira semana de competições, foi o sétimo mais rápido da quinta etapa, à frente de Gerard Farres-Guell, também da KTM. Ricky Brabec, norte-americano da Honda, que começou a especial como 24º na classificação geral, fechou a etapa em nono, enquanto Johnny Aubert, que corre pela Gas Gas, completou a lista dos dez primeiros.
 
Nos tempos totais após cinco etapas, Van Beveren tem 14h37min40s de prova. Sua diferença perante o segundo colocado, Kevin Benavides, é muito pequena, de apenas um minuto, cravado. Walkner aparece em terceiro na classificação geral, com 1min14s de desvantagem para o líder.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Barreda entrou de novo na briga pelo título do Dakar e agora está a apenas 7min33s de diferença para o líder, subindo para o quarto lugar. Foi um grande salto, uma vez que o espanhol da Honda começou a quarta-feira como o nono colocado.

 
De Soultrait aparece em quinto, à frente de Farres Guell e de Pablo Quintanilla. O chileno foi quem mais perdeu posições dentre os primeiros. Depois de ter largado em quarto na quinta etapa, o piloto da Husqvarna perdeu três posições no geral depois de chegar a Arequipa em 15º.
Pouco após o fim da especial, Barreda se mostrou satisfeito com sua recuperação na prova. “Sabíamos que era o último dia de areia e que tinha de tentar sair atrás. Mantivemos um ritmo muito forte e, no fim das contas, recuperamos alguns minutos. De novo no top-10”, destacou.
Joan Barreda está de volta à briga pelo título no Rali Dakar (Foto: Joan Barreda/Twitter)
Casale: mais líder que nunca nos quadriciclos
 
Na disputa dos quadriciclos, o Rali Dakar teve seu terceiro vencedor diferente em cinco dias de competição. A pontuar, antes, a recuperação do único brasileiro inscrito na modalidade, Marcelo Medeiros. O maranhense chegou a Arequipa na quinta colocação da etapa, enquanto o vencedor do dia foi o novato argentino Nicolas Cavigliasso, que ocupava a oitava colocação no geral até então.
 
No fim das contas, quem se deu bem foi o chileno Ignacio Casale, que é mais líder do que nunca na prova. Campeão em 2014, o piloto parte rumo ao bi com autoridade. Com uma prova sob controle, Casale fechou a apenas 1min23s de Caviliasso, enquanto Alexis Hernández, uma das grandes apostas do Peru para a conquista de um título no Dakar, foi o terceiro. Giovanni Enrico foi o quarto, e então veio Medeiros para completar o top-5 do dia.
Ignacio Casale caminha para o bi do Dakar nos quadriciclos (Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Em contrapartida, aquele que despontava como maior adversário de Casale na luta pelo título, o russo Sergey Kariakin, não completou a especial apenas um dia depois de vencer a etapaem laço em San Juan de Marcona. Assim, Casale abriu 40min13s de frente para o novo vice-líder da competição, Alexis Hernández, enquanto Pablo Copetti, sexto colocado em Arequipa, ocupa o terceiro posto. O argentino, contudo, está distante 58min37s do tempo do líder do Dakar nos quadriciclos.

Nesta quinta-feira, os pilotos do Rali Dakar deixam o Peru e encaram a altitude rumo à capital boliviana, La Paz, em um dia dos mais desgastantes, de 313 km de especial e 758 km de trecho total.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube