Em protesto, índios bolivianos ameaçam usar arame farpado para bloquear passagem do Dakar

Em protesto contra o cerco policial à sede do Conamaq (Conselho Nacional de Ayllus e Markas de Qullasuyu), índios ameaçam usar arame farpado para bloquear passagem dos competidores do Dakar. Indígenas também se queixam do impacto ambiental com a passagem do rali

Dakar 2014 é uma batalha anunciada entre Coma e Després

Às vésperas da largada, o Rali Dakar vê uma de suas etapas ameaçadas por protestos indígenas. De acordo com Rafael Quispe, dirigente indígena boliviano, os organizadores da competição devem obter uma autorização da Tierra Comunitaria de Origen (TCO), órgão que reúne os territórios indígenas da Bolívia, para poderem passar pelo local onde será realizada a especial entre Salta/Uyuni e Calama.
 
Segundo Quispe, a passagem das motos pode causar danos ambientais à região. O dirigente afirma que vai enviar uma carta aos organizadores da prova pedindo que a competição evite passar pelo local. 
Índios da Bolívia ameaçam protesto contra passagem do Dakar (Foto: BMW)
“Onde vão passar é da TCO Tolapampa, que é dos povos indígenas”, explicou Quispe. “Em resumo, lá estão os ovos de avestruz, a plantação de quinua e tem as vicunhas. Quando o Dakar passar, será como uma invasão”, justificou. 
 
“Deve haver uma consulta prévia, livre e informada, deve existir um estudo sobre o impacto ambiental”, defendeu. 
 
Além da defesa do meio ambiente, os índios também ameaçam barrar a realização da etapa do dia 13 de janeiro em sinal de protesto contra o cerco policial à sede do Conselho Nacional de Ayllus e Markas de Qullasuyu (Conamaq). 
 
O bloqueio, que já dura cerca de 20 dias, é resultado de uma disputa de poder pelo comando da Conamaq. O bloqueio ao prédio resultou em uma vigília no local, com alguns índios optando pela greve de fome.
 
O dirigente indígena sugeriu que a rota do Dakar seja bloqueada com arames farpados para evitar a passagem dos competidores. “Em relação ao Dakar, eu sugiro que coloquem arame farpado e assim para tudo”, falou. 
 
Falando à imprensa no Palácio do Governo, Evo Morales, presidente da Bolívia, minimizou os protestos e afirmou que é normal que existam alguns opositores ao rali, que passará pela Bolívia pela primeira vez.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube