Ícone do esporte chileno, ex-piloto Carlo de Gavardo morre aos 45 anos vítima de infarto fulminante em Santiago

Responsável pelo primeiro pódio do Chile no Dakar, ao terminar a competição das motos em terceiro lugar em 2001, Carlo de Gavardo morreu na tarde deste sábado (4) na capital, Santiago. O ex-piloto andava de bicicleta ao lado do seu filho quando sofreu parada cardiorrespiratória, chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu

Lenda do esporte chileno, Carlo de Gavardo morreu na tarde deste sábado (4), aos 45 anos, em Santiago. Campeão mundial de rali cross-country e terceiro colocado no Rali Dakar de 2001, nas motos, o ex-piloto sofreu um infarto fulminante em Huelquen, onde nasceu, na Região Metropolitana de Santiago, enquanto andava de bicicleta na capital chilena ao lado do seu filho. De Gavardo foi trasladado ao hospital de Buin, mas não resistiu e foi declarado morto às 13h49.

A morte de Carlo, conhecido no país como ‘Cóndor de Huelquen’, comoveu o mundo esportivo chileno. A organização da Copa América, que é realizada no país, determinou o cumprimento de um minuto de silêncio em memória do ex-piloto antes da final entre Chile e Argentina, na tarde deste sábado.

Lenda do esporte chileno, Carlo de Gavardo morreu neste sábado, aos 45 anos (Foto: Twitter)

Segundo o canal chileno 24 Horas, De Gavardo foi levado ao hospital, mas deu entrada “praticamente morto”, de acordo com o diretor do hospital, Sergio Aguilera. Mesmo após inúmeras tentativas de reanimação, que duraram cerca de 45 minutos, não foi possível acordar o esportista.

Bem antes de o Dakar ter o Chile como seu principal cenário desde que passou a acontecer na América do Sul, De Gavardo se notabilizou como um pioneiro do país no mais importante e desafiador rali do mundo. Em 1996, Carlo foi o primeiro chileno a correr oficialmente no Dakar na categoria motos e terminou em 17º lugar. Sua participação no Dakar foi contínua até 2004, garantindo como melhor resultado o top-3 em 2001.

Em 1997, alcançou uma das maiores honrarias que um atleta pode receber. O então piloto recebeu prêmios Fair Play das mãos do Comitê Olímpico Internacional e da Federação Internacional de Motociclismo ao abrir mão de conquistar um pódio no Dakar, na África, no ano anterior ao ajudar no resgate do mongol Shagdarsuren Erdenebileg, que sofreu múltiplas fraturas na coluna. Ao perceber que o piloto estava caído, voltou na contramão para auxiliar seu colega até a chegada dos médicos.

Foram 17 anos correndo no Dakar, sendo que entre 2007 e 2010 o chileno competiu na categoria Carros. De Gavardo também acumulou participações no Rali dos Faraós, no Egito, e também no Rali dos Sertões, no Brasil.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube