Irritados com problemas de insegurança na Austrália, pilotos do WRC consideram boicotar estágio noturno

Sébastien Ogier e Kris Meeke, entre outros pilotos do Mundial de Rali, consideram boicotar etapas que consideram menos que seguras - especialmente noturnas - após o fracasso do testes na Austrália. Já passaram a possibilidade inclusive para o presidente da FIA, Jean Todt

Os pilotos do WRC fizeram um teste à noite na Austrália durante o mês de setembro. Quando os organizadores do rali australiano anunciaram que o mesmo exercício será repetido em 2016, os pilotos ficaram extremamente insatisfeitos. Tanto que consideram boicotar e ficar de fora dos eventos que consideram inseguro.
 
O atual bicampeão mundial Sébastien Ogier insistiu numa reunião no início de outubro entre equipes e o presidente da FIA, Jean Todt. Nela, foram expressados todos os medos em relação a um evento noturno que teve péssimas condições neste ano. Segundo os pilotos, os problemas com a poeira impediram que a atividade ocorresse normalmente.
 
Kris Meeke foi um dos pilotos mais enérgicos. Gostou de falar com Todt – um veterano do rali -, mas manteve o boicote como uma carta na manga.
 
"Eu não vou começar a dizer quem vai e quem não vai participar num estágio ou o que pode acontecer. Seremos sensíveis, vamos nos juntar e trabalhar nisso. E falar com Jean Todt, como sempre, foi muito útil. Mas, se alguém pudesse me dar uma coisa só, só uma, que aquele estágio adicionou ao Rali da Austrália, eu ficaria interessado em ouvir", disse.
Sébastien Ogier é um dos nervosos (Foto: Reprodução/Facebook)
"E então, vou dar dez razões do motivo de ser estúpido. Escutei alguns argumentos ridículos na Austrália que me irritam – eles sabiam que seria cheio de poeira e nos mandaram de qualquer jeito. Se eles tentarem em 2016, acho que verão alguns rostos vermelhos", seguiu.
 
Os chefes de equipe apoiaram Meeke. Jost Capito, da Volkswagen, por exemplo, afirmou que não vai deixar os pilotos do seu time irem à ação se não houver segurança.
 
"Se algo não é seguro, então não vou deixar nossos pilotos participarem. Para mim, o estágio da noite não adiciona nada a não ser risco. Os espectadores não veem nada, a TV não mostra e não conseguimos mandar comunicados de imprensa em tempo. Não é algo contra etapas noturnas, é a poeira no escuro – isso é irresponsável", argumentou.
 
Após ouvir, Todt prometeu investigar. Se realmente não houver condições, o estágio está fora. No entanto, se for uma reclamação acima do necessário pelos pilotos e tiver ido tudo bem, vai querer mais etapas à noite.
 
"Temos que fazer o que der para tudo ser tudo o mais seguro possível, mas nunca vão ser são seguro quanto queremos. Se for verdade que depois de cinco minutos a pista foi bloqueada pela poeira, não é aceitável. Mas se não foi isso, foi encorajar mais organizadores a fazer estágios noturnos", afirmou.
 
"Eu amo automobilismo e rali e não sonho com começar às 9h até às 13h, quando para para o almoço, e então vai embora às 15h e volta às 19h antes do almoço", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube